Moulin Rouge | Temuco

Consejos | Trucos | Comentarios

Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa?

Quais são os animais que vivem em ambientes frios e que também apresentam camada de gordura?

Pinípedes – Os pinípedes são os leões-marinhos, os elefantes-marinhos, os lobos-marinhos, as morsas e as focas. Esses animais também vivem em regiões extremamente frias, com gordura corporal e pelos que ajudam a suportar o inverno. Além disso, eles se adaptam tanto na terra quanto na água. Portanto, cabe a nós fazer o que estiver ao nosso alcance para esses animais incríveis não deixarem de existir. Acompanhe o blog da Petz para continuar vendo informações sobre esses bichinhos e como podemos protegê-los!

Qual a função da camada de gordura dos animais que vivem em regiões polares?

Orca – Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa A baleia orca pode pesar até 10 toneladas. Os orcas são mamíferos que vivem principalmente nos mares de águas frias, mas também podem ser encontradas em águas equatoriais. Elas costumam fazer longas viagens: um grupo foi encontrado viajando do Alasca para a Califórnia, em uma distância de mais de 2 mil quilômetros.

Segundo a classificação científica, a orca é considerada um golfinho, e não uma baleia como normalmente pensamos. Porém, baleias e golfinhos fazem parte da mesma ordem, então a expressão «baleia orca» não está errada. As orcas são é facilmente reconhecidas pelas suas cores preta e branca. Esses animais possuem uma grossa camada de gordura que protege das baixas temperaturas, e podem pesar até 10 toneladas.

Comem de tudo: peixes, polvos, lulas, aves e mamíferos, como as focas e leões marinhos. Se alimentam em média de 200kg por dia, e mais da metade do seu tempo é dedicado a procurar comida. Elas estão no topo da cadeia alimentar dos seus ambientes, então não têm predadores naturais – apenas os humanos.

Qual é o animal mais resistente ao frio?

Tanto os cetáceos pequenos quanto os grandes mantêm uma espessa camada de gordura capaz de protegê-los do frio. Os pequenos cetáceos, por sua vez, conseguem suportar o frio intenso porque têm altas taxas metabólicas.

Quem são os gigantes do Ártico?

A região do Ártico está localizada no extremo norte do continente americano, europeu e asiático. Os países que possuem territórios ou parte deles no Ártico são: Estados Unidos (Alasca), Canadá, Noruega, Suécia, Finlândia e Rússia. Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa Na região do Ártico podemos encontrar o famoso Polo Norte e o Oceano Ártico. Durante o inverno a temperatura média pode atingir -40 ℃. São poucas as espécies de animais encontradas nessa região, como: Narval Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa O narval, também chamado de unicórnio-do-mar, é um mamífero marinho que faz parte da família das baleias. Sua característica mais peculiar é o enorme «chifre» localizado próximo de sua cabeça. Essa estrutura é na verdade um dente (um canino) que cresce de forma exagerada nos machos da espécie. Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa As Belugas, também conhecidas como baleias-brancas, são encontradas em torno do Círculo Polar Ártico, desde a costa da Groenlândia até a Noruega, e geralmente realizam migrações sazonais em grupos de 30 a 100 indivíduos. Essas migrações ocorrem para o Sul no outono (quando o mar congela). Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa A andorinha-do-Ártico percorre o trajeto mais longo do mundo, aproximadamente 70 mil quilômetros por ano, numa migração de ida e volta entre a Groenlândia, onde se reproduz, até a Antártida. No verão, elas passam o tempo aproveitando o sol no Ártico. No inverno, elas buscam os dias ensolarados da Antártida. Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa Também conhecida como coruja-das-neves, habita o Alasca, o Canadá e a Rússia. Mede entre 53 e 65 centímetros de largura e tem uma altura que varia de 1,25 a 1,5 metro. O seu peso varia entre 1,8 e três quilos. -Enquanto os machos são somente brancos, a pelagem das fêmeas apresenta algumas manchas escuras, o que facilita a camuflagem quando fazem o ninho no solo. Boi-almiscarado Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa O boi-almiscarado na verdade não é um boi. Ele pertence à família do carneiro e do bode, alimenta-se de gramíneas e habita as áreas de tundra do Alasca, do Canadá e da Groenlândia. Normalmente, anda acompanhado, em grupos de vinte a trinta indivíduos. Urso-polar Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa O urso-polar, também conhecido como urso-branco, é o maior urso e também o maior carnívoro terrestre conhecido, podendo pesar mais de 500 quilos e medir até três metros. Nas exposições «Marcas da Evolução» e «Mamíferos Aquáticos», no Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS, é possível conhecer um pouco mais sobre os diferentes grupos de seres vivos e suas peculiares características.

Tem animais na Antártica?

FAUNA DA ANTÁRTICA (POLO SUL) A fauna marinha é muito rica e, assim como no Ártico, existem animais lá que não são encontrados em mais nenhum lugar do planeta, como as 18 espécies diferentes de pinguins. Pinguim-imperador: São a maior espécie viva de pinguins, podendo chegar a 1,3 metro de altura e pesar até 40 kg.

Quem vive no Ártico e?

Este artigo foi útil? Considere fazer uma contribuição: Ouça este artigo: O Ártico é a região no Pólo Norte que se encontra dentro do Círculo Polar Ártico (paralelo que limita o Pólo Norte do planeta) e abrange algumas localidades ao redor onde a temperatura no verão inferior a 10ºC.

Fazem parte da região Ártica territórios da Rússia, Escandinávia, Alasca, Canadá, Groenlândia e o Oceano Ártico. O primeiro navio a chegar ao Pólo Norte foi o quebra-gelo nuclear » Arktika » em 1977, mas, antes dele o primeiro explorador a chegar ao Pólo Norte foi Robert Edwin Peary e seu assistente Matthew Henson acompanhados de mais 5 esquimós em 1909.

O Ártico é um local de temperaturas baixas constantes que o mantém congelado durante quase todo o ano e podem chegar a -60ºC, o que também contribuiu para a baixa densidade demográfica do local. A população do Ártico se restringe às regiões mais ao norte dos continentes que o circundam, sendo que o Pólo Norte é inabitado.

  • As principais cidades da região são Murmansk e Norilsk na Rússia com 325.100 e 135.000 habitantes respectivamente.
  • Os principais habitantes do Ártico são os esquimós que ficam em regiões do Canadá, Sibéria, Alasca e Groenlândia.
  • São famosos pelos seus trenós puxados por cães e por terem baixa estatura, olhos puxados e maçãs do rosto salientes.

Estima-se que atualmente existam mais de 100 mil esquimós no Ártico. Acredita-se que os esquimós siberianos sejam descendentes de tribos mongóis que teriam migrado para a região e se estabelecido por lá com seus cães por volta de 1.000 a.C. Os esquimós na verdade, distribuem-se em diversos grupos diferentes com dialetos característicos como os Inuit, Alutiit, Yuoik e Inupiat.

  • O chamado Pólo Norte (que faz parte da região Ártica) é uma enorme calota de gelo que permanece congelada durante todo o ano, podendo dobrar de tamanho no inverno.
  • Às placas de gelo que se formam sobre o mar dá-se o nome de banquisas,
  • Na região Ártica encontramos a última faixa de floresta perene, a Taiga,
See also:  Como Desabilitar Programas Que Iniciam Com O Windows?

Também conhecida como floresta de coníferas ou floresta boreal, ela pode ser encontrada em regiões do Canadá, Alasca, Groenlândia, Sibéria e outras regiões fora do Ártico, assim como a Tundra, que também é característica de climas frios. Quanto a fauna, na região Ártica podem ser encontrados os ursos polares, a rena, o caribu, o boi almiscarado, a baleia, o leão marinho, o narval, e diversas espécies de peixes como o salmão e o bacalhau,

  1. Contudo, não se deve confundir o Pólo Norte Magnético com o Pólo Norte Geográfico.
  2. O primeiro não tem uma posição fixa.
  3. Acredita-se inclusive que em algum momento da história o Pólo Norte tenha estado no hemisfério sul do planeta.
  4. Aliás, o Pólo Norte Magnético de que falamos, na verdade está mais próximo do Pólo Sul (e não no norte).

O que acontece é que para facilitar a navegação, convencionou-se chamá-lo de Pólo Norte (mesmo que ele seja o sul) para que não houvesse confusão entre as coordenadas. Esse fenômeno ocorre porque as correntes elétricas que fluem no núcleo metálico em estado de fusão no centro da terra gerariam o campo magnético do planeta (digo gerariam porque, na verdade, os fenômenos que criam o campo magnética ainda não são de todo conhecidos).

A existência desse campo magnético, por sua vez, gera um fenômeno conhecido como aurora boreal que ocorre quando as partículas eletricamente carregadas, transportadas pelo vento solar, chocam a grande velocidade com os átomos e moléculas da atmosfera terrestre, provocando uma excitação dos átomos e moléculas que emitem um fotão luminoso quando se descarregam.

Fontes: https://www1.folha.uol.com.br/folha/ https://www.visitfinland.com/ https://web.archive.org/web/20200117082901/http://nautilus.fis.uc.pt:80/ https://web.archive.org/web/20081219020631/http://www.arcticnet-ulaval.ca:80/ Texto originalmente publicado em https://www.infoescola.com/geografia/artico-polo-norte/

Como é a fauna da Antártica?

A Antártida, também chamada de Antártica, possui aproximadamente 14,1 milhões de quilômetros quadrados de extensão, no entanto, no período de inverno, essa área pode chegar a 26 milhões de quilômetros quadrados em razão do congelamento da água ao redor.

  1. Esse continente possui 98% de sua área coberta por uma camada de gelo, com espessura de 2 quilômetros e volume de 30 milhões de quilômetros cúbicos.
  2. É uma área de fundamental importância, pois nela estão presente 70% das reservas de água doce (em geleiras) do planeta e seu derretimento altera diretamente o nível dos oceanos, causando um desequilíbrio ambiental.

As condições naturais da Antártida dificultam a fixação do homem nesse território. Entre os principais empecilhos estão: a altitude média é de cerca de 2 mil metros; os ventos atingem velocidades de até 200 Km/h; é o lugar que apresenta as menores médias de temperatura do planeta (com temperaturas inferiores a 0 °C no verão, e 80 °C negativos no inverno).

  1. Mesmo com todas essas condições adversas, a Antártida é habitada por uma média de 4 mil pessoas durante o verão e 800 pessoas durante o inverno, sendo todos eles pesquisadores de 27 países diferentes, que possuem base científica no continente.
  2. O Brasil é uma das nações que realizam pesquisas com fins pacíficos nesse continente, com a base Comandante Ferraz.

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa Base Comandante Ferraz, na Antártida Localizada no Polo geográfico Sul, de latitude 90° sul, a Antártida é banhada pelos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. Possui um dos maiores lagos do mundo, o Vostok, com 10 mil quilômetros quadrados de extensão e enorme volume de água doce.

A vegetação é pouco diversificada em virtude das condições climáticas: fortes ventos, pouca luz solar, baixa fertilidade do solo. A fauna é composta por pinguins, baleias, focas, albatrozes, estrela-do-mar, crustáceos, entre outros. O processo de elevação da temperatura terrestre é extremamente prejudicial para a preservação desse continente.

O aquecimento global é o principal responsável pela redução da camada de gelo da Antártida; pesquisas revelam que essa região teve 3 mil quilômetros quadrados de extensão reduzidos em consequência do aumento da temperatura. Esse fenômeno promove, além da redução da área da Antártida, o aumento do nível dos oceanos, alterando a temperatura da água e ameaçando milhões de pessoas que residem próximas ao mar.

Quais são os povos que vivem nas regiões polares do Ártico?

Região ártica tem importância geopolítica, econômica e ambiental Por Animais Que Vivem Em RegiEs Polares Como A Morsa A região polar é habitada por povos locais que possuem raízes sociais e culturais no Ártico por gerações- Foto: Steffen Olsen / Reprodução O Ártico, localizado no hemisfério norte, é uma região de grande importância no cenário internacional, apesar de sua baixa visibilidade.

  1. Diferentemente da Antártida, que é um território destinado à exploração pacífica, a região ártica é formada pelo território de oito países e está condicionada às regras de soberania da ONU.
  2. Em diferentes períodos da história, o Ártico possuiu uma importância no cenário internacional, no contexto político ou econômico.

«Se a gente entender que o Ártico não é simplesmente a camada de gelo boiando em cima do oceano, mas sim esses espaços territoriais, terrestres e marítimos, conseguimos perceber que tem uma importância não só geopolítica», contou Arthur Capella, professor do Instituto de Relações Internacionais da USP, ao,

O círculo ártico é uma região que existe sob a jurisdição de oito países: Noruega, Suécia, Finlândia, Rússia, Estados Unidos, Canadá, Dinamarca e Islândia. Junto, esses países formam o Conselho do Ártico, órgão que toma decisões relacionadas à região. De acordo com Capella, é esse encontro entre territórios que são permeados por interesses econômicos e políticos entre países e povos originários da região que constitui um dos motivos que a tornam de grande importância para o cenário internacional.

Um exemplo da importância da região ártica pode ser vista na ocupação dela durante a Guerra Fria. Sendo o único território onde os Estados Unidos e a extinta União Soviética faziam fronteira, a região foi de extrema importância para a demonstração de força que os países realizaram durante o período.

  • Existe uma regulamentação jurídica internacional em torno desse espaço, que permite contemporizar algumas diferenças entre os países ou pelo menos alguma série de formas de convivência», explica Capella.
  • A importância ártica não se limita aos países que possuem territórios na região.
  • China, Índia e Brasil têm procurado aproximar-se da região ártica devido a suas agendas econômicas e ambientais.

«Alguns países que não estão perto do Ártico estão tentando se aproximar de maneira mais efetiva da exploração econômica local, mas também em atividades de preservação ambiental, exatamente porque se entendem como quase Ártico, próximos ao Ártico ou ainda afetados por esses fatores», afirma Capella.

Povos Locais e Exploração de recursos A região polar é habitada por povos locais que possuem raízes sociais e culturais no Ártico por gerações. Populações como as dos Inuit, Alutiit, Sami Eskimo e Esquimós são algumas das populações que ocupam a região. Como suas tradições e culturas estão lá enraizadas, eles possuem participação passiva no Conselho do Ártico, não podendo inferir nas decisões tomadas, porém, podendo opinar sobre elas.

See also:  2023 O Ano De Qual Signo?

Segundo Capella, existe uma preocupação em manter viva essa cultura desses povos, com a existência de entidades de estudos locais que buscam compreender a especificidade cultural da região. Apesar desse senso de conciliação, Capella ressalta que os membros do Conselho têm a possibilidade de não levar em consideração as opiniões.

O superaquecimento global vem provocando alterações no clima do planeta, causando o derretimento das calotas polares. Isso cria uma mudança na forma como os países exploram os recursos locais. «Há uma série de dispositivos da convenção das Nações Unidas sobre direitos do mar e alguns para exploração de recursos que estão em alto mar, então a regulação desse espaço está limitada», conta Capella, ao explicar as limitações que a região possui.

Segundo ele, o superaquecimento global e as limitações de explorações marítimas podem afetar a forma como os países exploram os recursos minerais, que antes estavam indisponíveis por conta do gelo. «Essa questão do derretimento tem levantado bandeiras de alguns países para explorarem os minerais, como petróleo, gás e mesmo novas formas de comércio a partir desse espaço, quando efetivamente derreter», explica o professor.

Por outro lado, o derretimento traria consequências diretas e consideráveis ao ecossistema e biodiversidade da região, assim como para as culturas locais. Para Capella, é preciso haver uma mediação por parte de órgãos oficiais para uma exploração sustentável da região. «A ideia é uma aproximação nesse espaço, uma nova leitura, uma leitura que busque recorrer a uma exploração econômica desse recurso ali disponível», conclui.

Jornal da USP no Ar é uma parceria da com a Escola Politécnica e o Instituto de Estudos Avançados. N o ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h e às 16h45.

Qual é o lugar mais frio do mundo inteiro?

Se falou Antártida, acertou O lugar mais frio do mundo fica na região da Antártida Oriental, também chamada de Antártida Maior, uma das duas principais regiões do continente antártico. A informação é de um artigo de 2018 publicado na revista Geophysical Research Letters.

Qual é o animal que representa o Japão?

Lista de animais que representam países

País Animal Nacional
Japão Faisão
Ilhas Maurícias Dodô
México Águia real
Axolote

Qual é o animal mais quente do mundo?

Cinco animais adaptados ao calor: – – O esquilo da terra do Cabo O Xerus inauris, nome científico do esquilo da terra do Cabo, apesar do nome, não vive na famosa e litorânea cidade do Cabo, mas sim nos estados do Cabo, no interior da África do Sul (Foto: Derek Keats/Wikimedia Commons) Este animalzinho parece familiar por causa de um primo norte-americano famoso, o esquilo cinzento ( Sciurus carolinensis ), retratado em diversas produções de Hollywood – algumas até como protagonista.

  • Mas, na verdade, eles são diferentes: este é o esquilo da terra do Cabo ( Xerus inauris ) e, diferente do parente, vive no Sul da África.
  • Outra diferença entre os dois é que este esquilo tropical é mais terrestre – leva uma vida junto ao solo, e não nas árvores.
  • Ele habita territórios de savana e de deserto.

Chama atenção sua resistência à variação de temperatura: no seu habitat, os termômetros podem variar entre 30 e 60ºC de dia, dependendo da região. O pequenino vive em tocas na terra, que servem tanto para fugir do calor quanto para se camuflar dos predadores.

  • Para manter a termorregulação do corpo, estes mamíferos costumam tomar «banhos de areia» e usar a cauda espessa como um guarda-sol, protegendo a cabeça dos raios solares.
  • Como são bem espertinhos, também usam o astro-rei a seu favor: pesquisas recentes descobriram que estes animais herbívoros escondem comida, mas, por exemplo, no deserto de Kalahari, onde eles podem ser encontrados, há poucos arbustos.

Então, o Xerus inauris utiliza a posição do sol para esconder e encontrar os alimentos armazenados. – A gazela dorcas O nome científico desta parece muito com o nome usual: se chama Gazella dorcas e é conhecida como. gazela dorcas (Foto: Wikimedia Commons) Este herbívoro ostenta um título singular: é a única espécie de antílope – grupo de mamíferos bovídeos – que vive em dois continentes.

  • Isso porque a Gazella dorcas está tanto na África quanto na Ásia.
  • Mas sempre em regiões desérticas e semidesérticas.
  • Habita o Norte e o Chifre da África e até para lá do rio Nilo, chegando a Israel e a Jordânia, no Oriente Médio.
  • Pode ser encontrada no Saara, o deserto mais quente do mundo.
  • Para driblar as temperaturas sufocantes, quando o calor está asfixiante, esta gazela troca o dia pela noite e realiza suas atividades sob o céu estrelado e as temperaturas baixas.

Apesar de não ser uma espécie de hábitos monogâmicos, quando os termômetros disparam e, por consequência, os alimentos escasseiam, estes antílopes costumam viver como casais: assim, um ajuda ao outro e só precisam dividir o alimento entre si. A Gazella dorcas é caçada para alimentação pelas populações locais, e chegou a desaparecer de algumas regiões. Há duas espécies de camelo: o dromedário (Camelus dromedarius), que possui apenas uma corcova nas costas, e o camelo-bactriano (Camelus bactrianus), que possui duas corcovas (Foto: Domínio Público/Wikimedia Commons) O camelo é possivelmente o animal mais famoso desta lista.

Símbolo do deserto, o quadrúpede vive na África, na Ásia e até na Oceania. Atualmente, o animal está praticamente extinto na vida selvagem – quase toda a sua população, que supera os milhões, é domesticada. Apenas na China (no deserto de Gobi) e na Austrália (para onde foram levados no século XIX) é possível encontrar estes espécimes em bom número na natureza.

Hoje, sobreviveram apenas duas espécies: o dromedário ( Camelus dromedarius ), que possui apenas uma corcova nas costas, e o camelo-bactriano ( Camelus bactrianus ), que possui duas corcovas. O camelo é moldado para resistir ao calor. Sua pelagem evita a transpiração.

Urina bem pouco apesar da sede: pode beber, de uma parada, mais de 100 litros de água. Ao contrário da crença popular, a corcova não serve para guardar água. O lugar contém uma gordura rica em energia que o camelo metaboliza para se manter quando há pouco alimento. Graças a este metabolismo, pode se manter por semanas.

No Império, dom Pedro II acreditou que os animais, pela resistência e características, podiam ser úteis para o Nordeste brasileiro. Mandou trazer um pequeno rebanho, que desembarcou no Brasil em 1859. Faltavam, no entanto, criadores especializados. A maior parte dos animais acabou por morrer e os sobreviventes viraram atração turística. Cataglyphis bombycina, nome científico da formiga-prateada-do-Saara, a mais rápida do mundo (Foto: Matthias Wittlinger) A classe de insetos detém a menor expectativa de vida do reino animal – crescem mais rápido e morrem primeiro. Talvez por isso, a formiga-prateada-do-Saara ( Cataglyphis bombycina ) não perde tempo: é a mais rápida do mundo.

See also:  Qual O Valor Do DCimo Terceiro De Um SaláRio MíNimo?

E a pressa é justificada, para além do relógio da vida. A formiga vive um ambiente de areias escaldantes, em que a temperatura pode chegar a 60ºC, o suficiente para matá-la. Portanto, a colônia sai para buscar alimentos apenas uma parte do dia, quando o clima está mais ameno, por volta de 47ºC. A Cataglyphis adota uma técnica que permite andar 47 passos (seus pequenos passos de formiga) por segundo e até mesmo dar alguns galopes, de modo a não afundar na areia.

Mas a preparação para a corrida começa antes de sair do ninho. Assim como outros animais, esta corredora produz as proteínas do choque térmico (HSP, na sigla em inglês), que ajudam a proteger o metabolismo das altas temperaturas externas. Mas, diferentes dos outros animais, o organismo da formiga-prateada-do-Saara não espera o calor para começar a produzir a proteção. A Alvinella pompejana, nome científico do verme-de-pompeia (Foto: Wikimedia Commons) Já pensou viver em uma panela de água fervendo? É mais ou menos como vive o verme-de-pompeia ( Alvinella pompejana ). Só que sua água é salgada, pois vive nas profundezas do mar.

E o calor não vem do fogo, mas de fissuras geotermais, por onde emerge o calor do núcleo da Terra para o oceano, em um fluxo conhecido como fumarola. As fumarolas negras, carregadas de metais, podem chegar a 300ºC. Já as fumarolas brancas atingem 60ºC. É neste clima que vive o verme-de-pompeia. Ele pode suportar até 105ºC, o que o torna animal complexo mais tolerante ao calor conhecido pela ciência.

Por isso, é classificado como um extremófilo, denominação atribuída a animais que vivem em condições extremas, prejudiciais a maioria das outras formas de vida. Inclusive, seu nome vem da antiga cidade romana de Pompeia, destruída pelo calor e pelas cinzas da erupção do vulcão no monte Vesúvio, em Nápoles, na Itália.

Qual o nome do urso da neve?

Um dos maiores carnívoros terrestre do planeta, o urso polar é também chamado de «rei do Ártico», a região gelada em que vive. Um urso polar macho pode atingir mais de 2 metros de comprimento e pesar cerca de 600 kg. Existem cerca de 20 mil ursos polares no mundo, de acordo com estudos realizados pela Unep, sigla em inglês para United Nations Environment Programme, que significa Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.

Quem vive nas geleiras?

Ursos polares, pinguins, focas, baleias e muitos outros animais vivem sobre ou sob o gelo em temperaturas abaixo de zero. Como eles sobrevivem às condições extremas e como estão se adaptando ao aquecimento global são questões que intrigam os cientistas. Conheça algumas dessas espécies resilientes e suas principais características! Urso-polar – Ursus maritimus — Foto: ( Andreas Weith/ Wikimedia Commons/ CreativeCommons) Os ursos polares, os maiores predadores do habitat, passam a vida inteira viajando pelas camadas de gelo em busca de comida e se alimentam principalmente de focas. Eles são excelentes nadadores, capazes de p ercorrer mais de 48 km de uma só vez. Pinguim-imperador – Aptenodytes forsteri — Foto: ( Domínio Público/ WikimediaCommons) Os pinguins são populares habitantes do gelo. Apesar de serem aves, eles não podem voar, mas são exímios nadadores. Vivem em grandes colônias, que podem incluir até 1 mil pássaros, e se alimentam de peixes, Lebre-ártica – Lepus arcticus — Foto: ( Steve Sayles/ Wikimedia Commons/ CreativeCommons) Como os outros animais desta lista, a lebre-ártica consegue viver em temperaturas extremamente frias. Quando dormem, elas cavam buracos para ajudar a mantê-las aquecidas. Foca harpa – Pagophilus groenlandicus — Foto: ( Lysogeny/ Wikimedia Commons/ CreativeCommons) Conhecida também como foca-da-Groelândia, a espécie habita o Atlântico Norte e o Oceano Glacial Ártico. Esses animais possuem uma espessa pelagem branca e preta que, junto com a gordura, ajuda a manter a temperatura. Raposa-do-Ártico – Vulpes lagopus — Foto: ( Erik F. Brandsborg/ Wikimedia Commons/ CreativeCommons) A raposa-do-ártico é um animal tão resistente e adaptado a condições extremas, que consegue sobreviver a temperaturas de até – 50° C. Ela possui patas felpudas, que a ajudam a caminhar na neve, e uma pelagem branca, que funciona como camuflagem no gelo. Beluga – Delphinapterus leucas — Foto: ( Steve Snodgrass/ Wikimedia Commons/ CreativeCommons) Também conhecido como baleia-branca, esse cetáceo vive em grandes grupos que se comunicam por cantos com muitas variações. Distinguidas por sua marcante pele branca, as belugas também possuem ricas expressões faciais e, muitas vezes, parecem estar sorrindo. Narval – Monodon monoceros — Foto: ( – » «/ Wikimedia Commons/ CreativeCommons) O narval é um dos animais mais peculiares do Ártico. Chamado também de unicórnio do mar, presa espiral incrivelmente longa. A presa pode crescer até 3 m e é, na verdade, um dente da frente que cresce no lábio superior. Morsa – Odobenus rosmarus — Foto: ( Jerzy Strzelecki/ Wikimedia Commons/ CreativeCommons) A morsa é um mamífero de grande porte que vive em águas extremamente geladas. Quando adultas, elas adquirem presas e bigodes e passam a maior parte do tempo sobre o gelo. Quando mergulham, preferem águas rasas onde caçam moluscos. Orca – Orcinus orca — Foto: ( S.E.Ingraham / Wikimedia Commons / CreativeCommons) Apesar de serem conhecidas como baleias-assassinas, as orcas não são baleias e também não possuem um comportamento agressivo que justifique o apelido. Na verdade, são golfinhos muito inteligentes e sociáveis, que preferem as águas frias da Antártica, apesar de ocorrerem em todos os oceanos.

Porque golfinho come gelo?

São predadores, ou seja, elas comem outros tipos de animais como os peixes, crustáceos, moluscos e até outros invertebrados marinhos. E o que acontece pra ela ter esse tipo de comportamento. é que o gelo ajuda. ela a ajustar a temperatura do corpo dela.

Tem focas no Pólo Norte?

A foca-leopardo (Hydrurga leptonyx) é uma foca que habita os mares em torno da Antártica. Também conhecida como leopardo-do-mar, é a segunda maior espécie de foca na Antártica (depois do elefante-marinho-do-sul).

Qual o tipo de gordura animal?

Você sempre faz um churrasquinho no fim de semana ou adora comer pão com manteiga todo dia no café da manhã? Então esse texto é para você. Mas, calma, a proposta aqui não é eliminar esses alimentos do prato e sim mostrar a melhor forma de consumi-los.