Moulin Rouge | Temuco

Consejos | Trucos | Comentarios

O Que óRgãO Expedidor?

O que é Órgão expedidor MG?

O que é órgão expedidor: – Órgão expedidor, ou órgão emissor, é o órgão público responsável por emitir documentos diversos aos cidadãos, como Carteira de Identidade (RG), Certidão de Nascimento, Atestado de Antecedentes Criminais, Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Passaporte, etc.

Quem vai ser o secretário de Segurança Pública do Estado da Bahia?

Ofício do secretário de Segurança Pública da Bahia sobre caso de violência em Campo Alegre de Lourdes Você está aqui: > > Ofício do secretário de Segurança Pública da Bahia sobre caso de violência em Campo Alegre de Lourdes Info Notícias O secretário de Segurança Pública do Estado da Bahia, Marcelo Werner Derschum Filho, enviou ofício à Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) referente ao ocorrido em 2 de setembro de 2023, no município de Campo Alegre de Lourdes (BA). O ofício do secretário está disponível neste, : Ofício do secretário de Segurança Pública da Bahia sobre caso de violência em Campo Alegre de Lourdes

O que fazer quando não tem o dígito do RG?

SED – Sistema não aceita RG sem dígito O que fazer quando o sistema não aceita RG sem dígito? Os RG sem o dígito verificador estão desatualizados, motivo pelo qual os sistemas recusam. É necessário que o usuário providencie um novo documento, com a inclusão do dígito, junto aos órgãos competentes de seu município. Palavras-chave: Sistema, RG, dígito, SED : SED – Sistema não aceita RG sem dígito

Qual o dígito do RG de SP?

DGITOS DE VERIFICAO CADASTRO DE ATIVIDADE ECONÔMICA DA PESSOA FÍSICA – CAEPF CADASTRO DE PESSOAS FÍSICAS – CPF CADASTRO NACIONAL DA PESSOA JURÍDICA – CNPJ CARTO DE CRDITO CARTEIRA DE IDENTIDADE IFP-RJ CARTEIRA DE IDENTIDADE SSP-SP CERTIDO DE NASCIMENTO/CASAMENTO/BITO IPTU-CURITIBA IPTU-SP MATRCULA DE SERVIDOR (MaSP) – MG NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO FISCAL (NIF-Portugal) PROCESSOS JUDICIAIS REGISTRO DE ENCOMENDAS — ECT TTULO ELEITORAL CNPJ, CPF ou CAEPF Saiba como se calcula o Número-Controle do CNPJ, do CPF ou do CAEPF do Ministério da Fazenda, Adicionalmente, veja o DV de qualquer nmero (CNPJ, CPF ou CAEPF), utilizando as rotinas abaixo. Introduza o nmero do CNPJ sempre COM 12 DGITOS (exemplo: 000123450001), o nmero do CPF, sempre COM 9 DGITOS (exemplo: 001234567) ou o número do CAEPF sempre com 12 DÍGITOS (exemplo: 034567892001). Se, todavia, o seu interesse na pesquisa de nmeros de CNPJ vai alm do cadastro da matriz ou de uma filial determinada e abrange a lista de todas as filiais, use a rotina abaixo. Introduza o nmero do CNPJ, sempre COM 12 DGITOS, onde os 4 ltimos dgitos sejam 0001 – filial n 1 (exemplo: 000123450001) e indique o nmero presumvel de filiais, at o mximo de 9999 (o sistema da Receita no prev nmero de filiais com mais de 4 dgitos). Você pode iniciar a sua lista com outro número que não necessariamente o nº 0001 (exemplo: 000123450101): Notas: O CNPJ tem a configuração XX.XXX.XXX/XXXX-XX, onde os primeiros oito dígitos são o número-base, os quatro seguintes o número de ordem das filiais da empresa, o penúltimo é o DV (Dígito de Verificação) módulo 11 (v. abaixo) dos doze dígitos anteriores e o último é o DV módulo 11 dos treze dígitos anteriores. Outra particularidade é que o oitavo dígito era DV módulo 10 (v. abaixo) dos sete anteriores, isso para os CNPJ emitidos anteriormente a 1993. A partir da, a regra foi abandonada, pois o oitavo dgito foi incorporado, para ampliar a capacidade de cadastros (de 10 milhes, a capacidade passou para 100 milhes de nmeros possveis). O CPF tem a configuração XXX.XXX.XXX-XX, onde os primeiros oito dígitos são o número-base, o nono define a Região Fiscal (v. abaixo), o penúltimo é o DV módulo 11 (v. abaixo) dos nove dígitos anteriores e o último dígito é o DV módulo 11 dos dez dígitos anteriores. O CAEPF tem a configuração XXX.XXX.XXX/XXX-XX, onde os primeiros nove dígitos são o número do CPF do titular (sem o DV), os três dígitos seguintes são o número de ordem das diversas contas do mesmo titular (001 a 999), o penúltimo dígito é o DV módulo 11 (v. abaixo) dos doze dígitos anteriores e o último dígito é o DV módulo 11 dos treze dígitos anteriores. O que é DV módulo 11 e o que é DV módulo 10 ? DV (Dígito de Verificação), também denominado número-controle, são dígitos incorporados a números para possibilitar a detecção de erros de digitação, no ato. Recurso muito difundido, por exemplo, na numeração de contas de depósitos bancários. No caso do CNPJ, o DV módulo 11 corresponde ao resto da divisão por 11 do somatório da multiplicação de cada algarismo da base respectivamente por 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 9, 8, 7, 6 e 5, a partir da unidade. O resto 10 é considerado 0 (algumas instituições, como o Banco do Brasil, tratam o 10, em seus números de contas, como «X»). O DV módulo 10 corresponde ao número que faltar para inteirar múltiplo de 10, em relação ao somatório da multiplicação de cada algarismo da base respectivamente por 2, 1, 2, 1, 2, 1 e 2, a partir da unidade, sendo que em cada multiplicação valores superiores a 9 deverão sofrer a operação «noves fora». Veja, abaixo, exemplo de cálculo de DV módulo 11 (o mais usado pelos bancos) e de DV módulo 10 para o CNPJ n 18781203/0001: 1 8 7 8 1 2 0 3 0 0 0 1 = 2 x x x x x x x x x x x x 6 7 8 9 2 3 4 5 6 7 8 9 – 6+56+56+72+ 2+ 6+ 0+15+ 0+ 0+ 0+ 9 = 22211=20, com resto 2 1 8 7 8 1 2 0 3 0 0 0 1 2 = 8 x x x x x x x x x x x x x 5 6 7 8 9 2 3 4 5 6 7 8 9 – 5+48+49+64+ 9+ 4+ 0+12+ 0+ 0+ 0+ 8+18 = 21711=19, com resto 8 Portanto, CNPJ+DV = 18.781.203/0001-28 – Conferncia do oitavo dgito: 1 8 7 8 1 2 0 = 3 x x x x x x x 2 1 2 1 2 1 2 – 2+ 8+ 5*+8+ 2+ 2 +0 = 27, para 30 = 3 (*noves fora) No caso do CPF, o DV módulo 11 corresponde ao resto da divisão por 11 do somatório da multiplicação de cada algarismo da base respectivamente por 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1 e 0, a partir da unidade. O resto 10 é considerado 0. Veja, abaixo, exemplo de cálculo de DV módulo 11 para o CPF n 280012389: 2 8 0 0 1 2 3 8 9 = 3 x x x x x x x x x 1 2 3 4 5 6 7 8 9 – 2+16+ 0+ 0+ 5+12+21+64+81 = 20111=18, com resto 3 2 8 0 0 1 2 3 8 9 3 = 8 x x x x x x x x x x 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 – 0+ 8+ 0+ 0+ 4+10+18+56+72+27 = 19511=17, com resto 8 Portanto, CPF+DV = 280.012.389-38 A Região Fiscal onde emitido o CPF (definida pelo nono dígito) tem a seguinte abrangência: 1 (DF-GO-MS-MT-TO), 2 (AC-AM-AP-PA-RO-RR), 3 (CE-MA-PI), 4 (AL-PB-PE-RN), 5 (BA-SE), 6 (MG), 7 (ES-RJ), 8 (SP), 9 (PR-SC) e 0 (RS). Mas, inexplicavelmente, já vi CPF válido, emitido no DF (Região 1) com o nono dígito = 5 (Região BA-SE), o que me faz imaginar que o nono dgito foi incorporado para ampliar a capacidade de cadastros (de 100 milhes, a capacidade passou para 1 bilho de nmeros possveis). No caso do CAEPF, o DV módulo 11 corresponde ao resto da divisão por 11 do somatório da multiplicação de cada algarismo da base respectivamente por 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 9, 8, 7, 6 e 5, a partir da unidade. O resto 10 é considerado 0. Veja, abaixo, exemplo de cálculo de DV módulo 11 para o CAEPF n 293118610001: 2 9 3 1 1 8 6 1 0 0 0 1 = 7 x x x x x x x x x x x x 6 7 8 9 2 3 4 5 6 7 8 9 – 12+63+24+ 9+ 2+24+24+ 5+ 0+ 0+ 0+ 9 = 17211=15, com resto 7 2 9 3 1 1 8 6 1 0 0 0 1 7 = 2 x x x x x x x x x x x x x 5 6 7 8 9 2 3 4 5 6 7 8 9 – 10+54+21+ 8+ 9+16+18+ 4+ 0+ 0+ 0+ 8+63 = 21111=19, com resto 2 Portanto, o CAEPF+DV seria 293.118.610/001-72. Mas há um senão: estaria sendo somado 12 ao DV encontrado. E se o resultado da soma for maior do que 99, diminui-se 100. No exemplo, o DV será 72+12=84. TTULO ELEITORAL O N de Inscrio do Ttulo Eleitoral tambm tem o seu DV, Para clculo do DV, observe-se que o nmero desmembrado em «n seqencial» (at 8 dgitos) seguido de 2 dgitos para a Unidade da Federao (UF) e dos dois dgitos do prprio DV. Assim, o Ttulo Eleitoral n 43568709/06 tem como n seqencial 435687, tem como UF 09 (SC) e tem como DV 06. O 1 dgito do DV corresponde ao DV-md.11 do n seqencial (435687) e o 2 dgito do DV ao DV-md.11 dos dgitos da UF seguidos do 1 dgito do DV (090). DV=06, portanto: 4 3 5 6 8 7 = 0 x x x x x x 4 5 6 7 8 9 – 16+15+30+42+64+63 = 23011=20, com resto 10 (10=0) 0 9 0 = 6 x x x 7 8 9 – 0+72+ 0 = 7211=6, com resto 6 Nota: O resto 10 ser sempre considerado 0, Excees: Para os ttulos emitidos em So Paulo ou Minas Gerais (UF 01 ou 02), o resto 0 no clculo do 1 ou do 2 DV ser assumido como 1, Tive, tambm, a informao que existem ttulos emitidos em SP ou MG com 9 dgitos no «n seqencial». No se preocupe: a rotina contempla essas situaes. Os dgitos de UF correspondem a: 01-SP, 02-MG, 03-RJ, 04-RS, 05-BA, 06-PR, 07-CE, 08-PE, 09-SC, 10-GO, 11-MA, 12-PB, 13-PA, 14-ES, 15-PI, 16-RN, 17-AL, 18-MT, 19-MS, 20-DF, 21-SE, 22-AM, 23-RO, 24-AC, 25-AP, 26-RR, 27-TO e 28-Exterior(ZZ). Veja o DV de qualquer Ttulo Eleitoral, utilizando a rotina abaixo. Introduza o N INSCRIO (exemplo: 43568709): CARTEIRA DE IDENTIDADE – SSP SP Saiba como se calcula o DV (Dgito Verificador) do nmero da Carteira de Identidade SSP-SP e veja o DV de qualquer nmero, utilizando a rotina abaixo. O DV corresponde ao resto da diviso por 11 do somatrio da multiplicao de cada algarismo da base respectivamente por 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9, a partir da unidade. Siga o exemplo abaixo: 1 2 0 3 0 0 0 1 x x x x x x x x 9 8 7 6 5 4 3 2 – 9+16+ 0+18+ 0+ 0+ 0+ 2 = 4511=4, com resto 1 (este o DV). Nota: Se o resto for 10, o DV ser a letra «X». Introduza o nmero da Carteira de Identidade (exemplo: 12030001): CARTEIRA DE IDENTIDADE — IFP RJ MATRCULA DE SERVIDOR (MaSP) – MG Saiba como se calcula o DV (Dgito Verificador) do nmero da Carteira de Identidade IFP-RJ e do nmero de Matrcula de Servidor Pblico de MG e veja o DV de qualquer nmero, utilizando a rotina abaixo. O DV corresponde ao nmero que faltar para inteirar mltiplo de 10, em relao ao somatrio da multiplicao de cada algarismo da base respectivamente por 2, 1, 2, 1, 2, 1. a partir da unidade, sendo que em cada multiplicao valores superiores a 9 devero sofrer a operao «noves fora». Siga o exemplo abaixo: 2 7 9 9 8 1 1 x x x x x x x 2 1 2 1 2 1 2 – 4+ 7+ 9*+9+ 7*+1+ 2 = 39 para 40 = 1 (este o DV). *noves fora Introduza o nmero da Carteira ou da Matrcula (exemplo: 2799811): CARTO DE CRDITO Os principais Cartes de Crdito do mundo tem um nmero de 14 a 19 dgitos, sendo que os 4 primeiros dgitos definem o Banco emissor e o primeiro desses quatro dgitos define a rede emissora (por exemplo: 4-Visa, 5-Mastercard). O ltimo dgito, na extrema direita, representa o DV (Dgito Verificador) dos dgitos anteriores. Veja o DV de qualquer Carto de Crdito, utilizando a rotina abaixo. O DV corresponde ao nmero que faltar para inteirar mltiplo de 10, em relao ao somatrio da multiplicao de cada algarismo da base respectivamente por 2, 1, 2, 1, 2, 1, 2, 1, 2, 1. a partir da unidade, sendo que em cada multiplicao valores superiores a 9 devero sofrer a operao «noves fora». Siga o exemplo abaixo: 3 0 1 1 1 1 9 8 7 6 3 3 3 x x x x x x x x x x x x x 2 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2 1 2 – 6 +0 +2 +1 +2 +1 +9*+8 +5*+6 +6 +3 +6=55 para 60=5 (este o DV). *noves fora Introduza os dgitos do Carto de Crdito, at o PENLTIMO (exemplo: 3011119876333): REGISTRO DE ENCOMENDAS — ECT Saiba como se calcula o DV (Dgito Verificador) do nmero de Registro de Encomendas da ECT, O Registro composto de 2 letras + 9 dgitos + 2 letras. Os 9 dgitos formam o nmero-base (8 dgitos) + o DV (1 dgito). O DV, por sua vez, corresponde a 11 menos o resto da diviso por 11 do somatrio da multiplicao de cada algarismo do nmero-base respectivamente por 7, 9, 5, 3, 2, 4, 6 e 8, a partir da unidade. Siga o exemplo abaixo: 4 7 3 1 2 4 8 2 x x x x x x x x 8 6 4 2 3 5 9 7 – 32+42+12+ 2+ 6+20+72+14 = 20011=18, com resto 2.11-2=9 (este o DV). Excees: Se o resto for 0, o DV ser 5 e se o resto for 1, o DV ser 0. Introduza o nmero-base (exemplo: 47312482): Nota : Ofereço, abaixo, programa desenvolvido na linguagem Excel, para aqueles que prefiram uma rotina executada «offline». Baixe o arquivo XLS e salve-o onde lhe aprouver. PROCESSOS JUDICIAIS Saiba como se calcula o DV (Dgito Verificador) do nmero de Processos Judiciais, O nmero composto de at 20 algarismos, no formato NNNNNNN-DD.AAAA.JTR.OOOO, onde o DV est colocado imediatamente aps o Nmero Seqencial (NNNNNNN). O DV calculado tomando-se o nmero do Processo e saltando o prprio DV (se for conhecido), ou seja, tomando-se NNNNNNNAAAAJTROOOO. Calcula-se ento 98 menos o resto de (NNNNNNNAAAAJTROOOO x 100 ÷ 97). Este resultado confirma o nmero do DV, com dois dgitos. A forma de clculo conhecida como «Mdulo 97, Base 10, ISO 7064». Introduza o nmero do Processo cujo DV desconhecido. Por exemplo, se o nmero do Processo for 0002080-??.2012.5.15.0049, introduza 208020125150049 e tenha o n completo do Processo, inclusive o DV: O formato adotado a partir de 01/01/2010 (NNNNNNN-DD.AAAA.J.TR.OOOO) tem a seguinte configurao: NNNNNNN – Nmero seqencial do Processo, por Unidade de Origem, a ser reiniciado a cada ano DD – Dgito Verificador AAAA – Ano do ajuizamento do Processo J – rgo ou Segmento do Poder Judicirio TR – Tribunal do respectivo Segmento do Poder Judicirio OOOO – Unidade de origem do Processo Nota : Advogados e servidores do Judiciário relatam-me que essa rotina de cálculo tem sido muito útil nos seus afazeres profissionais, mas que eles se ressentem da falta de uma rotina que pudesse ser executada «offline». Ocorreu-me oferecer-lhes uma rotina desenvolvida na linguagem Excel, que talvez responda aos apelos. Baixe o arquivo XLS e salve-o onde lhe aprouver. IPTU-SP Saiba como se calcula o DV (Dgito Verificador) do IPTU-SP e veja o DV de qualquer nmero, utilizando a rotina abaixo. O nmero-base do IPTU contm 10 dgitos, dos quais os 3 primeiros indicam o SETOR onde o imvel est localizado dentro da cidade, os trs seguintes a QUADRA dentro do Setor e os quatro ltimos o LOTE dentro da Quadra. O DV corresponde ao resto da diviso por 11 do somatrio da multiplicao de cada algarismo da base respectivamente por 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1 e 10 a partir da unidade. Siga o exemplo abaixo: 0 6 0 0 0 6 0 0 4 8 x x x x x x x x x x 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 – 0+ 6+ 0+ 0+ 0+30+ 0+ 0+32+72 = 14011=12, com resto 8 (este o DV). Nota: Se o resto for 10 o DV ser 1. Introduza o nmero do IPTU-SP (exemplo: 0600060048): Nota : Leitores da minha página relatam-me que essa rotina de cálculo tem sido muito útil nos seus afazeres profissionais, mas que eles se ressentem da falta de uma rotina que pudesse ser executada «offline». Ocorreu-me oferecer-lhes uma rotina desenvolvida na linguagem Excel, que talvez responda aos apelos. Baixe o arquivo XLS e salve-o onde lhe aprouver. IPTU-Curitiba Saiba como se calcula o DV (Dgito Verificador) do IPTU-Curitiba e veja o DV de qualquer nmero, utilizando a rotina abaixo. O nmero-base do IPTU contm 11 dgitos, dos quais os 2 primeiros indicam o SETOR, os 3 seguintes indicam a QUADRA, os próximos 3 indicam o LOTE, os 3 seguintes indicam o SUB-LOTE e o último é o DV. O DV corresponde a 10 menos o resto da diviso por 10 do somatrio da multiplicao de cada algarismo da base respectivamente por 2, 3, 4, 7, 8, 9, 2, 3, 4, 7 e 8, a partir da unidade. Siga o exemplo abaixo: 1 6 0 5 3 0 2 4 4 8 8 x x x x x x x x x x x 8 7 4 3 2 9 8 7 4 3 2 – 8+42+ 0+15+ 6+ 0+16+28+16+24+16 = 17110=17, com resto 1.10-1=9 (este o DV). Nota: Se o resto for 0 o DV será 0. Introduza o nmero do IPTU-Curitiba (exemplo: 16053024488): Nota : Ofereço, abaixo, programa desenvolvido na linguagem Excel, para aqueles que prefiram uma rotina executada «offline». Baixe o arquivo XLS e salve-o onde lhe aprouver. CERTIDO DE NASCIMENTO/CASAMENTO/BITO Saiba como se calcula o DV (Dgito Verificador) das novas Certides de Nascimento, Casamento ou bito institudas pelo Ministrio da Justia a partir de 2010. Adicionalmente, veja o DV de qualquer Nmero de Matrcula nos novos critrios, utilizando a rotina abaixo. Introduza o Nmero de Matrcula sempre COM 30 DGITOS (exemplo: 104539015520131000120210000123): O Nmero de Matrcula tem a configurao aaaaaa.bb.cc.dddd.e.fffff.ggg.hhhhhhh-ii, onde: aaaaaa indica o Código Nacional da Serventia (identificação única do cartório) ex.: 10453-9 (v. Nota final) bb indica o Código do Acervo (01-Acervo Próprio e 02-Acervos incorporados) cc indica o Tipo de Serviço Prestado (55 – Serviço de Registro Civil das Pessoas Naturais) dddd indica o Ano do Registro – ex.: 2013 e indica o Tipo do livro – 1-Livro A (Nascimento), 2-Livro B (Casamento), 3-Livro B Auxiliar (Registro de casamentos religiosos para fins civis), 4-Livro C (Óbito), 5-Livro C Auxiliar (Registro de Natimortos), 6-Livro D (Registro de Proclamas), 7-Livro E (Demais atos relativos ao Registro Civil ou Livro E único), 8-Livro E (Desdobrado para registro específico das Emancipações) e 9-Livro E (Desdobrado para registro específico das Interdições) fffff indica o Número do livro – ex.: 00012 ggg indica o Número da folha – ex.: 021 hhhhhhh indica o Número do Termo – ex.: 0000123 ii indica o Dígito Verificador DV, cujo clculo obedece ao seguinte esquema, dentro do critrio de DV MDULO 11 j conhecido: 1 0 4 5 3 9 0 1 5 5 2 0 1 3 1 0 0 0 1 2 0 2 1 0 0 0 0 1 2 3 = 2 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x 2 3 4 5 6 7 8 9 10 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 – 2+ 0+16+25+18+63+ 0+ 9+50+ 0+ 2+ 0+ 3+12+ 5+ 0+ 0+ 0+ 9+20+ 0+ 2+ 2+ 0+ 0+ 0+ 0+ 7+16+27 = 288 28811=26, com resto 2 (este o 1 dgito do DV) – Nota: se o resto for «10», o DV ser «1» 1 0 4 5 3 9 0 1 5 5 2 0 1 3 1 0 0 0 1 2 0 2 1 0 0 0 0 1 2 3 2 = 1 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 – 1+ 0+12+20+15+54+ 0+ 8+45+50+ 0+ 0+ 2+ 9+ 4+ 0+ 0+ 0+ 8+18+ 0+ 0+ 1+ 0+ 0+ 0+ 0+ 6+14+24+18 = 309 30911=28, com resto 1 (este o 2 dgito do DV) – Nota: se o resto for «10», o DV ser «1» Portanto, o Nmero de Matrcula+DV = 104539.01.55.2013.1.00012.021.0000123-21 Nota: Observe, apenas a título de curiosidade, que a identificação única do cartório (aaaaaa) tem no seu sexto algarismo (separado por um hífen) o DV especial dos cinco primeiros algarismos, calculado da mesma forma que se calcula, acima, o DV do número de Cartão de Crédito. NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO FISCAL (NIF-Portugal) Saiba como se calcula o DV (Dgito Verificador) do Nmero de Identificação Fiscal (NIF-Portugal) e veja o DV de qualquer nmero, utilizando a rotina abaixo. O DV corresponde a 11 menos o resto da diviso por 11 do somatrio da multiplicao de cada algarismo da base respectivamente por 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9, a partir da unidade. O número-base tem 8 dígitos. O 9º dígito é o DV – módulo 11. O dígito inicial indica a categoria da entidade (1 e 2 para pessoas físicas, 5 para empresas privadas, 6 para órgãos públicos, 8 para empresas individuais e 9 para pessoas jurídicas irregulares ou número provisório). Siga o exemplo abaixo: 5 0 3 5 3 9 9 3 x x x x x x x x 9 8 7 6 5 4 3 2 – 45+ 0+21+30+15+36+27+ 6 = 18011=16 com resto 4.11-4=7 (este o DV). Nota: Se o resto for 0 ou 1, o DV ser 0. Introduza o Nmero de Idenficação Fiscal (exemplo: 50353993):
See also:  Como Dar RemDio Para Quem NãO Quer Tomar?

Quando se iniciou o RG no Brasil?

Também chamado de Carteira de Identidade, o RG é considerado o documento mais importante do cidadão, uma vez que representa a identidade de cada pessoa registrada no Brasil. Criado em 1939 pelo Decreto-Lei nº 2.320, o RG é emitido pelos órgãos de segurança pública dos estados e do Distrito Federal.