Moulin Rouge | Temuco

Consejos | Trucos | Comentarios

Quando Usar O Ponto De ExclamaO?

Quando se deve usar o ponto de exclamação?

Ponto de exclamação ( ! ): quando usar? Daniela Diana Professora licenciada em Letras O ponto de exclamação (!) é um sinal de pontuação utilizado para exclamar algo. Ele é usado no final de frases exclamativas, que expressam emoção, surpresa, admiração, indignação, raiva, espanto, susto, exaltação, entusiasmo, dentre outros. Exemplos:

Ganhamos!Feliz aniversário!Não aguento mais isso!

Às vezes, para dar mais ênfase utilizamos mais de um ponto de exclamação, por exemplo: Não Acredito!!!

Como fazer uma frase com ponto de exclamação?

Exemplo 1: Que bela noite de lua! Exemplo 2: José, você é lindo! Exemplo 3: O bolo está uma delícia! Exemplo 4: Que rodovia horrorosa!

Quando usamos o ponto de interrogação e exclamação?

Quando usar interrogação e exclamação juntos? 19 Maio 2019 Várias gramáticas trazem informações acerca do uso associado do ponto de exclamação e do ponto de interrogação. A ordem mais comum é ?!, mas em algumas gramáticas também vemos !?, O critério para escolher entre essas opções depende do efeito que se espera expressar.

Se nossa frase for majoritariamente INTERROGATIVA, podemos iniciar com interrogação e acrescentar uma exclamação para indicar admiração ou surpresa. Podemos usar em frases como «O que você está fazendo aqui?!» ou simplesmente «Você por aqui?!». Esse uso também é comum para expressar dúvida e espanto: «Quê?!».

Podemos até mesmo repetir um sinal diante de uma besteira muito grande, por exemplo: «Hein?!!». Por outro lado, se a frase for majoritariamente EXCLAMATIVA, podemos iniciar com exclamação e acrescentar uma interrogação para indicar dúvida ou estranhamento.

Esse uso é menos comum (e algumas gramáticas nem mesmo o mencionam), mas também é possível, sim. IMPORTANTE: Combinar sinais diferentes implica o aumento da CARGA EMOTIVA do texto. Portanto, não é qualquer tipo de texto que admite esse uso (afinal, há contextos em que, em geral, a emoção e a subjetividade devem ficar de fora, como notícias ou dissertações, por exemplo).

Já em conversas ou gêneros mais informais (como as histórias em quadrinhos), esse recurso é bem-vindo! Falamos mais sobre as peculiaridades do uso da pontuação no nosso curso on-line. Se você quer assistir às aulas e ter a possibilidade de tirar dúvidas conosco por dois anos, acesse,

Várias gramáticas trazem informações acerca do uso associado do ponto de exclamação e do ponto de interrogação. A ordem mais comum é ?!, mas em algumas gramáticas também vemos !?, O critério para escolher entre essas opções depende do efeito que se espera expressar. Se nossa frase for majoritariamente INTERROGATIVA, podemos iniciar com interrogação e acrescentar uma exclamação para indicar admiração ou surpresa.

Podemos usar em frases como «O que você está fazendo aqui?!» ou simplesmente «Você por aqui?!». Esse uso também é comum para expressar dúvida e espanto: «Quê?!». Podemos até mesmo repetir um sinal diante de uma besteira muito grande, por exemplo: «Hein?!!».

  1. Por outro lado, se a frase for majoritariamente EXCLAMATIVA, podemos iniciar com exclamação e acrescentar uma interrogação para indicar dúvida ou estranhamento.
  2. Esse uso é menos comum (e algumas gramáticas nem mesmo o mencionam), mas também é possível, sim.
  3. IMPORTANTE: Combinar sinais diferentes implica o aumento da CARGA EMOTIVA do texto.

Portanto, não é qualquer tipo de texto que admite esse uso (afinal, há contextos em que, em geral, a emoção e a subjetividade devem ficar de fora, como notícias ou dissertações, por exemplo). Já em conversas ou gêneros mais informais (como as histórias em quadrinhos), esse recurso é bem-vindo! Falamos mais sobre as peculiaridades do uso da pontuação no nosso curso on-line.

Quais os tipos de frases exclamativas?

Frases exclamativas – As frases exclamativas são empregadas quando o emissor quer manifestar emoção. São sinalizadas com ponto de exclamação e podem ser afirmativas ou negativas.

Puxa!Que sorvete gostoso!Até que enfim!Não acredito!Não falaram absolutamente nada!

O que usar depois da exclamação?

Vírgula depois de pontos de exclamação e de interrogação, novamente Tem muita razão nas dúvidas que apresenta. Nas obras de pontuação por mim consultadas, quer portuguesas quer estrangeiras, não encontrei o emprego da vírgula a seguir a ponto de exclamação e de interrogação.

Ai!, até admira!. Ah!, suba, Sebastião, suba! Quer subir? Luísa, Luísa!, o que queres tu fazer? Não podemos romper assim! Escuta.

Todos sabemos que uma das funções da vírgula é separar as orações. As exclamações têm geralmente o valor duma oração – digo valor, não digo constituição, Aquele «Ai!» tem um valor significativo tão intenso e tão vasto (não sabemos qual), que leva a pessoa a dizer: até admira !.

Esse valor significativo só nos poderá ser transmitido por meio duma oração, pelo menos. Mais ainda: se suprimirmos o ponto de exclamação, poderemos ter um ai que não seja verdadeiramente uma exclamação, mas a vírgula permanecerá. Como se compreende então que, pondo o ponto de exclamação, teremos de suprimir a vírgula? Como se o ponto de exclamação fizesse também as vezes da vírgula? Isso não poderia ser.

Temos explicação semelhante para a frase 2. Vejamos agora a frase 3. Em Luísa, Luísa !, temos uma exclamação (e cá está também a minha vírgula indispensável). Mas este elemento Luísa, Luísa !, que só termina no ponto de exclamação, desempenha a função sintáctica de vocativo.

Que linda paisagem! – disse o João, quando chegou ao cimo do monte.

Aqui, todos compreendemos que este sinal de separação (o travessão) não se deve suprimir. Como não havemos de compreender que também não devemos suprimir a vírgula, sinal de separação, em frases como a 1., 2. e 3.? A explicação é idêntica para as frases da alínea 2. Vejamos agora as frases da alínea 3.:

Ah! sim? Cuidei que o tempo parara aqui. Ah! já sei, e a D. Teresinha Albuquerque.

Na frase 5., aquelas duas palavras «Ah! sim?» encontram-se intimamente ou, pelo menos, quase intimamente ligadas. Por isso, pronunciamo-las, geralmente, numa só emissão de voz, o que não acontece na frase 1. Não separemos com vírgula as palavras que se encontram intimamente ligadas.

Depois do ponto de interrogação, não ficaria bem uma vírgula, porque é natural a separação, quando pronunciamos. Tanto isto é verdade, que o que se segue começa por letra maiúscula: Cuidei que, Isto é, estamos em presença de duas frases – de duas frases, porque aquele «Ah! sim?» funciona como uma frase.

Veja-se também o que se disse acerca da frase 1. A frase 6. tem apenas uma vírgula, porque em sei termina uma oração. Aquele Ah ! está intimamente ligado a já sei, Por isso mesmo, pronunciamos aquelas três palavras numa só emissão de voz. Se alguma dúvida permanecer, o Ciberdúvidas está à disposição do prezado consulente.

O que que é uma frase exclamativa?

Tipos de frases – Português Não adentraremos no assunto que ora se evidencia sem antes focalizarmos sobre os aspectos que demarcam a oralidade e a escrita, uma vez que tal procedimento nos condicionará a uma efetiva compreensão mediante os objetivos propostos.

  1. Assim sendo, há que se mencionar que a oralidade permite que o emissor usufrua de determinados recursos, como gestos, expressões faciais, retomadas de pensamento, interrupções, dentre tantos outros.
  2. Recursos estes não condizentes com a linguagem escrita, visto que nesta modalidade tais intenções são retratadas pelos chamados sinais de pontuação, estando intrinsecamente ligados ao objetivo pretendido pelo emissor ao proferir sua mensagem.

De modo a estabelecermos essa distinção, analisemos: – Pensemos em alguém que se mostra visivelmente surpreso (a) mediante a chegada de uma determinada pessoa. Essa adjetivação (surpreso) poderia estar relacionada a distintos sentimentos – decepção, alegria, espanto, temor, etc.

  • Poderíamos perfeitamente mentalizar acerca das expressões corporais em relação ao emissor, algo que na escrita seria caracterizado por:
  • De forma específica, os sinais de pontuação fazem toda a diferença quando se trata dos diferentes tipos de frases, levando em consideração o contexto em que se encontram inseridas e a finalidade discursiva. Eis que, de acordo com o sentido que se deseja transmitir, as frases podem assim se classificar:
  • Frases declarativas – Informam ou declaram acerca de um determinado assunto, podendo ser afirmativas ou negativas.

Exemplos: Iremos ao baile de formatura. A conferência não tem horário definido para terminar. Frases interrogativas – Utilizadas quando se pretende obter alguma informação sobre algo, sendo que tal questionamento pode se dar tanto de forma direta quanto indireta.

  • Exemplos: Você participará dos jogos olímpicos? (forma direta) Gostaria de saber aonde você vai.
  • Indireta) Frases imperativas – Sua utilização pauta-se pelo objetivo pretendido pelo emissor em influenciar diretamente sobre o comportamento do interlocutor, ou seja, quando se quer dar uma ordem ou fazer um pedido.

Essas podem ser afirmativas ou negativas. Exemplos: Abra-se comigo, pois percebo que precisa desabafar. Não ajas assim, pode ser perigoso. Frases exclamativas – Relacionam-se à exteriorização dos sentimentos atribuídos pelo emissor, podendo ser expressos sob várias circunstâncias.

  1. Frases optativas – Exprimem desejos.
  2. Vá em paz!

Exemplo: Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 : Tipos de frases – Português

O que significa um ponto de exclamação no whatsapp?

Resposta – O ícone do ponto de exclamação vermelho em um resumo de chamada no Sell indica um possível erro:

  • Uma chamada foi feita para um número que não é um número de telefone válido.
  • Uma chamada foi feita para um número restrito ou que não existe mais.
  • Ocorreu um erro ao realizar a chamada porque não foi possível fazer uma conexão com o número.
See also:  Quando Vai Ser Pago O DCimo Terceiro Dos Aposentados?

Quando Usar O Ponto De ExclamaO Como resolver esse problema

  1. Faça uma chamada de teste fora de sua conta do Sell para o mesmo número para certificar-se de que você inseriu um número de telefone válido e que ele ainda existe. Se a chamada não for bem-sucedida fora do Sell, o número será inválido e não funcionará na sua conta do Sell.
  2. Se a chamada foi bem-sucedida fora do Sell, verifique a formatação do número no Sell para certificar-se de que o número foi digitado corretamente com o código do país e o código de área.
  3. Confirme seu código padrão do país usado ao fazer chamadas.
  4. Faça uma chamada de teste para outra pessoa em sua conta para assegurar que você tem uma conexão forte com a internet e pode fazer chamadas para outros números de telefone para o qual você discou com sucesso no passado.

Qual é o sinal de pontuação que indica que alguém vai falar?

O travessão é um sinal de pontuação cuja finalidade é indicar o discurso direto ou enfatizar (destacar) trechos de textos. O travessão é um dos sinais de pontuação da Língua Portuguesa.

Quando não usar o ponto de interrogação?

Resumo sobre ponto de interrogação –

O ponto de interrogação é um sinal usado na língua escrita para marcar a entonação feita em perguntas diretas. Em perguntas feitas de modo indireto, não há uso do ponto de interrogação. Quando o ponto de interrogação encerra uma oração, a palavra seguinte é iniciada com letra maiúscula. O ponto de interrogação pode vir acompanhado de outros sinais de pontuação em contextos específicos, como o sinal de exclamação (indicando surpresa) ou as reticências (indicando dúvida e hesitação).

O que significa quando uma pessoa manda um ponto para você?

Quando Usar O Ponto De ExclamaO Foto: Pexels/Reprodução Estamos passando por mudanças na utilização do sinal de ponto final. Há quem diga que ele caiu em desuso, enquanto outros afirmam que ele se tornou uma marca que traduz raiva e irritação nas mensagens de texto. Porém, o que de fato está acontecendo é que a linguagem escrita está se tornando mais flexível e ganhando seu próprio conjunto de normas estilísticas.

Leia mais: + China quer implantar sistema ‘Black Mirror’ de avaliação de pessoas + Qual aplicativo de paquera você deveria usar? Faça o teste e descubra A questão do ponto final é apenas um exemplo dessa mudança marcada por novas possibilidades na forma de se comunicar por mensagens escritas. Assim como temos diferentes formas de conversar por linguagem falada dependendo da situação, também apresentamos estilos de escrita alternativos para cada contexto.

Nas entrelinhas dos pontos Ainda que o ponto final continue sendo um sinal para demarcar o fim de uma sentença, muitos usuários omitem seu uso em mensagens de texto – especialmente se o conteúdo for curto. Essa opção do usuário por não pontuar suas frases acontece porque as mensagens de texto costumam ser muito dinâmicas, semelhantes aos diálogos da linguagem falada.

  • Quando estamos contando algo ao vivo, costumamos fazer uso de elipses e deixar brechas para que nosso interlocutor participe e acrescente comentários.
  • Assim também fazemos em mensagens de texto.
  • Daí que adicionar um ponto final é o oposto de abrir esse espaço, já que o o sinal significa um fim e quer dizer «É isso.

Fim de discussão». Para muitos, é justamente esse caráter de impor fim ao diálogo que faz a marcação não ser amigável. Um grupo de psicólogos dos Estados Unidos decidiu estudar a influência do sinal em conversas virtuais, Como resultado, eles notaram que os participantes da pesquisa percebiam as mensagens digitais marcadas com ponto final como desonestas ou falsas.

Porém, quando os mesmos textos eram reescritos manualmente (também com o ponto final), a sensação de infidelidade não existia. Outro estudo, realizado por linguistas, avaliou que mensagens digitais compostas por muitas sentenças raramente eram marcadas por pontos finais e somente 29% delas tinham uma pontuação ao final de todo o texto.

Segundo os pesquisadores, a razão para isso é que o momento em que apertamos «enter» e enviamos a mensagem coincide exatamente com o instante em que deveríamos pontuar as frases. Mudança de código situacional Mas por que sentimos que o autor da mensagem que usa pontos finais está sendo desonesto conosco? A resposta para isso pode ter relação com a «mudança de código situacional», termo cunhado pelo linguista John J.

Gumperz, A mudança de código situacional diz respeito às diferentes formas com as quais nós nos comunicamos dependendo do lugar, do meio e do nosso interlocutor. Um exemplo comum disso é analisar a forma como uma pessoa se comporta durante uma entrevista de emprego e no bar com os amigos. Normalmente, o locutor vai utilizar uma linguagem mais formal na entrevista do que no ambiente com seus colegas.

Caso o linguajar utilizado em ambos os casos seja o mesmo, provavelmente os amigos do bar vão estranhar e achar a situação um tanto quanto bizarra. O uso do ponto final é um exemplo disso. Quando o sinal aparece em uma mensagem de texto, ele é percebido como uma característica excessivamente formal.

  • Então, quando alguém encerra uma mensagem com um ponto final, é como se o indivíduo estivesse falando formalmente em uma mesa de bar com os amigos.
  • É uma mudança de código situacional que faz aquele ato parecer incorreto, insincero e esquisito.
  • Também é importante lembrar que, antigamente, a linguagem escrita era quase sempre associada à formalidade porque ela residia em livros e documentos.

No entanto, os tempos mudaram. As mídias sociais criaram espaço para que os usuários também trouxessem seu vocabulário casual para a linguagem escrita. Outra forma de sinceridade Mais um exemplo sobre a incorporação da fala na linguagem escrita é a repetição de letras.

Através de um estudo, uma pesquisadora analisou que estender letras e sinais de marcação confere mais intensidade às mensagens. Outra linguista decidiu se debruçar sobre o assunto e notou que repetir pontos de exclamação em uma conversa pode transmitir sinceridade, como exemplificado na frase abaixo: «JACKIE, EU ESTOU ME SENTINDO TÃO TÃO TÃO MAL! Eu pensei que você estivesse atrás de nós no táxi, mas depois eu vi que você não estava!!!!! Eu me sinto tãããããão mal! Pegue outro táxi e eu pagarei para vocêeee» Note que o texto não é terminado com um ponto final, já que o uso do sinal poderia contradizer o pedido de desculpas.

Ao invés disso, o interlocutor repete vogais e abusa de pontos de exclamação. Em um padrão formal, a mensagem seria escrita da seguinte forma: «Jackie, eu estou me sentido tão mal. Eu pensei que você estivesse atrás de nós no táxi, mas depois eu vi que você não estava.

  • Eu me sinto tão mal! Pegue outro táxi e eu pagarei para você.» Esse outro exemplo se parece muito mais com um e-mail enviado a um colega de trabalho do que como um pedido de desculpas sincero e amigável.
  • Esse tipo de situação tem muito a ver com a intuição, mas os exemplos servem para mostrar como a linguagem formal pode prejudicar a sinceridade de um pedido de desculpas.

Estamos destruindo a escrita formal? Há tempos existe um debate que visa analisar se nosso hábito de trocar mensagens de texto e utilizar um linguajar da web vai arruinar nossa capacidade de escrita. No entanto, uma pesquisa mais antiga identificou que nossa capacidade de alternar nossa fala dependendo da situação social pode sinalizar uma competência social, afirmar um sentido de identidade em uma comunidade e também servir como um indicador de alta capacidade intelectual em crianças,

Outro trabalho mostra que utilizar a «linguagem da internet» interfere muito pouco em como o indivíduo vai se sair em testes de pronunciação, de leitura e de vocabulário. Nessa mesma linha, uma pesquisa realizada na Universidade do Estado da Califórnia encontrou um uso pequeno de termos de «internetês» em redações estudantis.

Essa descoberta vai de encontro a mais uma pesquisa de psicologia, a qual encontrou uma correlação entre uso do linguajar digital com pontuações mais altas em testes de habilidade e de raciocínio verbal. Tudo isso mostra que pessoas fluentes na linguagem escrita casual podem facilmente intercalar os códigos da escrita.

Alguns educadores até estão começando a adotar lições sobre escrita formal e informal em suas salas de aula como forma de ajudar os alunos a diferenciar o uso que cada uma das situações pede. Em vez de ignorar ou menosprezar a variação da linguagem escrita, abraçar a mudança — e a habilidade dos falantes e dos escritores em mudarem o código — pode levar a melhores habilidades de comunicação em todos os contextos.

Saber quando um ponto pode indicar desonestidade é só uma delas. * Lauren Collister é estudante de biblioteconomia na Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. Este texto foi publicado originalmente em inglês no The Conversation.

O que significa 3 pontos de exclamação em uma frase?

Ponto de exclamação duplicado ou triplicado – O ponto de exclamação pode aparecer duplicado ou triplicado. Visa enfatizar e intensificar o sentimento que está sendo expresso.

Sim !! Sim !! – gritaram as meninas, cheias de alegria.Amei !!! Contem comigo! Que ideia fantástica !!!

O que é frase exclamativa é afirmativa?

Frases exclamativas – As frases exclamativas são usadas para expressar emoções e sentimentos. Terminam num ponto de exclamação. Frase exclamativa afirmativa : Você já está pronta! Frase exclamativa negativa : Você não está pronta!

O que cada ponto significa?

Ponto (.): pausa de longa duração que indica o final do período e é usado em abreviações. Ponto de exclamação (!): indica espanto, admiração, surpresa. Ponto de interrogação (?): indica dúvida, pergunta. Ponto e vírgula (;): pausa moderada na leitura.

See also:  Que Horas ComeA O Bbb?

Pode escrever depois do ponto de exclamação?

Duas particularidades ortográficas Há dois casos de ortografia que costumam produzir muita dúvida nos que pretendem escrever com acerto. Trata-se do emprego de letras maiúsculas ou minúsculas nas seguintes situações:

  1. Depois de ponto de interrogação ou de exclamação – Usa-se letra minúscula depois de ponto de interrogação ou de exclamação, no mesmo período, na primeira palavra que aparecer depois daqueles sinais, como em «Por que você demorou? p erguntou a mãe aflita.» e «Que paisagem mais linda! e xclamou Paulo.». Repare que os períodos só terminam em «aflita» e «Paulo», respectivamente. Vemos, pois, que o ponto de interrogação e o de exclamação não equivalem a ponto final quando não indicam fim de período. Situação diferente é a de «Por que você demorou?» e «Que paisagem mais linda!». Nestes casos, os sinais de pontuação marcam fim de período. A primeira palavra de outro que vier depois terá, obviamente, a inicial maiúscula: «Onde está o porteiro? P ensei que estivesse aqui.».
  2. Maiúsculas e minúsculas dentro de parênteses
  • Se o trecho entre parênteses constitui frase ou oração inserida no interior do período, ele principia geralmente com inicial minúscula, Nesta hipótese, não há ponto final dentro, mas pode ser utilizado ponto de interrogação ou de exclamação, conforme o caso. Exemplos: «A diretoria só examinará o pedido em setembro (ela reúne-se mensalmente), mas é possível aguardar a decisão»; «O parlamentar (quem diria?) arvorou-se em defensor da moralidade»; «As irregularidades foram tantas (que horror!) que a comissão pediu mais um mês de prazo para concluir o relatório final».
  • Se o trecho entre parênteses constitui frase ou oração a parte, colocada depois do fim do período, inicia-se com inicial maiúscula e o sinal de pontuação (ponto final, ponto de interrogação ou de exclamação) é colocado dentro dos parênteses e não, fora. Exemplos: «A data da reunião foi marcada propositalmente para o dia 30. (O prédio está vazio nos sábados.) «; «Sob o comando de Luxemburgo, a equipe mineira fez campanha fantástica. (Alguém se surpreende?) «; «A previsão do tempo para este fim de semana é de céu claro, sem chuva. (Que beleza!) «.

Pode usar ponto final depois de exclamação?

Inferência básica: não se usa ao mesmo tempo a interrogação e o ponto final, ou a exclamação e o ponto final. Basta um deles para marcar o término do período.

Quais são os 5 tipos de frases?

Frases optativas – As frases optativas expressam um desejo e são sinalizadas com ponto de exclamação.

Que Deus te abençoe!Espero que dê tudo certo!Muita sorte para a nova etapa!Tomara que não se atrasem.Espero que não se enganem no caminho.

Leia também e, Professora, produz conteúdos educativos (de língua portuguesa e também relacionados a datas comemorativas) desde 2015. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos (habilitação para Ensino Fundamental II e Ensino Médio) e formada no Curso de Magistério (habilitação para Educação Infantil e Ensino Fundamental I).

Como usar o ponto final exemplos?

Quando usar ponto final? – O ponto final é usado: No final das frases declarativas e imperativas, indicando que o período frásico está finalizado, com sentido completo.

Hoje de manhã acordei com dor de cabeça.O aluno já estudou toda a matéria da prova.Prestem especial atenção à próxima parte da apresentação.

Na escrita de palavras de forma abreviada, sendo chamado de ponto abreviativo e indicando que houve eliminação de letras.

V.Ex.ª chegará a Brasília dentro de minutos.Meu irmão mora no 1.º andar.

Exemplos de abreviaturas com ponto final abreviativo :

senhor – Sr.senhora – Sra.doutor – Dr.doutora – Dra.excelentíssimo – Ex.mo ou Exmo.atenciosamente – at.te ou atte.página – pág. ou p.observação – obs.honoris causa – h.c.adjetivo – adj.advérbio – adv.conjunção – conj.feminino – f.antes de Cristo – a.C.depois de Cristo – d.C.em mão – E.M.et cetera – etc.exemplo – ex.isto é – i.e.

Abreviaturas utilizadas internacionalmente devem ser escritas no singular, sem ponto abreviativo. Exemplos de abreviaturas sem ponto final abreviativo :

litro- lmetro – mgrama – gquilograma – kgquilômetro – kmcentilitro – clcentímetro – cmhora – hminuto – m ou minsegundo – s

Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia. : Ponto final

Quando é que se usa?

Particularidades de alguns sinais de pontuação: (.), (;), (:), (?), (!), (-) – Português Ao estabelecermos uma análise comparativa entre a linguagem oral e a escrita, constatamos que ambas são demarcadas por alguns aspectos que as fazem divergir entre si.

  1. Entre estes, citamos os sinais de pontuação que, uma vez evidenciados, reproduzem as entonações e pausas proferidas por meio da oralidade.
  2. Conjuntamente a esta finalidade, há também outras atribuições a eles destinadas.
  3. Entre tais, destacamos: distinguir determinadas palavras ou frases em um dado contexto linguístico, de modo a conferir-lhes uma ênfase maior, como também evidenciar graficamente as pausas conferidas mediante a elocução – consideradas como resultantes da sintaxe estabelecida pelos termos constituintes.

Usualmente, os sinais de pontuação que mais se destacam são: ponto-final, ponto e vírgula, ponto de exclamação, interrogação, dois-pontos, travessão, reticências, aspas, parênteses, vírgula e colchetes. Atendo-nos a uma análise acerca de suas principais características, estabeleceremos familiaridade com cada um deles, uma vez analisados de modo particular: Ponto-final : Caracteriza-se por indicar uma pausa maior no discurso, pautando-se pelas seguintes finalidades: * Indicar o fim de uma frase declarativa.

Ex: Os convidados demonstravam-se contentes durante todo o evento. * Representar as abreviaturas. Exemplos: bibl. = bibliografia C.C. = Código Civil a.C. = antes de Cristo obs. = observação Me. = mestre Rev.mo = Reverendíssimo Dica importante: Os símbolos referentes às unidades do sistema métrico decimal e aos elementos químicos não são acompanhados do ponto-final.

Exemplos: Kg, m, cm, Hg, Au, K, Pb, dentre outros. Ponto e vírgula : Representa uma pausa maior que a vírgula e um pouco menor que o ponto-final, sem, contudo, encerrar o período. Sua utilização encontra-se relacionada aos seguintes casos: * Separar as orações inerentes a um período muito extenso, principalmente se em uma delas já houver a presença da vírgula.

Ex: Dos mais de cem funcionários daquela empresa, apenas uma pequena porcentagem não concordou com as recentes decisões; o restante, todos aderiram às novas ideias. * Separar orações coordenadas assindéticas que exprimam relações de sentido entre si. Ex: As queimadas destruíram a vegetação; todos os animais silvestres foram mortos.

* Substituir, de modo facultativo, a vírgula em orações coordenadas sindéticas adversativas. Ex: Não concordava com as opiniões dos colegas; contudo, respeitava-as. * Separar orações coordenadas sindéticas conclusivas, sendo que as conjunções se encontram pospostas ao verbo.

  1. Ex: A família era responsável pela garota; precisava, portanto, de protegê-la em todas as circunstâncias.
  2. Separar itens de uma enumeração e artigos relacionados a decretos, sentenças, petições, dentre outros. Art.5º.
  3. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: I – homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição; II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei; III – ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante; IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; Constituição Federal de 1988.

Dois-pontos : Tem por finalidade introduzir palavras, expressões ou frases no intento de esclarecer, desenvolver ou explicar melhor uma passagem anteriormente citada. Sua empregabilidade está condicionada às seguintes circunstâncias: * Indicar uma citação do emissor, de autoria própria ou alheia.

  • * Indicar as falas dos personagens mediante a trancrição do discurso direto. Ex:
  • * Demarcar uma explicação ou sequência.
  • Ponto de interrogação :

Durante a aula, o aluno perguntou à professora: – Quando serão entregues os resultados referentes ao bimestre anterior? Ela respondeu-lhe: – Em breve. Ex: Eram muitos os requisitos para o pleito daquela vaga de emprego: possuir um ano de experiência no cargo, ter habilitação e disponibilidade de horário.

  1. Ponto de exclamação :
  2. * Depois de frases que retratem ordem, indiquem espanto, admiração, surpresa, dentre outros sentimentos. Exemplos:
  3. * Após interjeições e vocativos.
  4. * Diante de frases que exprimam desejo.
  5. Observações importantes:

Usado nas seguintes circunstâncias: Nossa! Não esperava vê-lo aqui. Tenha confiança! Obterás um ótimo resultado. Ah! Não me venha com este discurso fútil. Já sei! Foi você, garotinho esperto! Guarda-me Senhor! Que Deus o abençoe! – Quando o sentido proferido pelo discurso prescindir ao mesmo tempo de interrogação e exclamação, poderão ser utilizados ambos os sinais.

  • – Quando se quer enfatizar ainda mais o sentimento ora caracterizado, haverá a possibilidade de repetir o ponto de exclamação.
  • Travessão :
  • * Indicar a fala de um determinado personagem ou a mudança de interlocutor nos diálogos:
  • * Enfatizar uma palavra, frase ou expressão.
  • * Separar orações intercaladas em substituição à virgula ou ao parênteses.

Ex: Não!!! Já disse que não irei. Atribui-se a este sinal a função de: – Quando voltarás para cá? Seu amigo respondeu: – Não sei, por enquanto prefiro ficar por aqui, pois estou investindo muito na minha vida profissional. Ex: Era somente este o objetivo de Carlos – concluir sua graduação e seguir carreira militar.

Como usar o ponto final exemplos?

Quando usar ponto final? – O ponto final é usado: No final das frases declarativas e imperativas, indicando que o período frásico está finalizado, com sentido completo.

Hoje de manhã acordei com dor de cabeça.O aluno já estudou toda a matéria da prova.Prestem especial atenção à próxima parte da apresentação.

See also:  Qual Numero Da Vivo?

Na escrita de palavras de forma abreviada, sendo chamado de ponto abreviativo e indicando que houve eliminação de letras.

V.Ex.ª chegará a Brasília dentro de minutos.Meu irmão mora no 1.º andar.

Exemplos de abreviaturas com ponto final abreviativo :

senhor – Sr.senhora – Sra.doutor – Dr.doutora – Dra.excelentíssimo – Ex.mo ou Exmo.atenciosamente – at.te ou atte.página – pág. ou p.observação – obs.honoris causa – h.c.adjetivo – adj.advérbio – adv.conjunção – conj.feminino – f.antes de Cristo – a.C.depois de Cristo – d.C.em mão – E.M.et cetera – etc.exemplo – ex.isto é – i.e.

Abreviaturas utilizadas internacionalmente devem ser escritas no singular, sem ponto abreviativo. Exemplos de abreviaturas sem ponto final abreviativo :

litro- lmetro – mgrama – gquilograma – kgquilômetro – kmcentilitro – clcentímetro – cmhora – hminuto – m ou minsegundo – s

Professora de português, revisora e lexicógrafa nascida no Rio de Janeiro e licenciada pela Escola Superior de Educação do Porto, em Portugal (2005). Atua nas áreas da Didática e da Pedagogia. : Ponto final – Norma Culta

Qual é o sinal de pontuação que indica que alguém está falando?

Usos do travessão – 1. Discurso direto O uso mais comum do travessão é marcar a fala de alguém em texto. Para esse fim, pode-se utilizar também as aspas.

  • Veja:
  • João disse:
  • – Estou com fome!
  • OU:
  • João disse:
  • «Estou com fome!»
  • Embora ambos os sinais de pontuação tenham a mesma finalidade, é mais comum que se usem travessões em diálogos, visto que dá ao texto mais fluidez.
  • Leia também :
  • 2. Para separar expressões ou frases intercaladas
  • Os travessões também são utilizados substituindo as vírgulas para intercalar trechos em que se pretende dar ênfase,
  • Veja:

» Os Estados Unidos e a China – os maiores poluidores do planeta – não são signatários dos principais tratados de preservação ambiental. Isso significa que aqueles que mais prejudicam a natureza são os menos propensos a mudarem de atitude. Assim, dificilmente surgirão ações efetivas para a diminuição do desmatamento ou da emissão de gase-estufa.» Observe que, no parágrafo argumentativo acima, os travessões substituíram as vírgulas que isolavam o aposto explicativo com o intuito de destacar o trecho, ou seja, dar-lhe ênfase.

O que significa quando uma pessoa manda um ponto para você?

Quando Usar O Ponto De ExclamaO Foto: Pexels/Reprodução Estamos passando por mudanças na utilização do sinal de ponto final. Há quem diga que ele caiu em desuso, enquanto outros afirmam que ele se tornou uma marca que traduz raiva e irritação nas mensagens de texto. Porém, o que de fato está acontecendo é que a linguagem escrita está se tornando mais flexível e ganhando seu próprio conjunto de normas estilísticas.

Leia mais: + China quer implantar sistema ‘Black Mirror’ de avaliação de pessoas + Qual aplicativo de paquera você deveria usar? Faça o teste e descubra A questão do ponto final é apenas um exemplo dessa mudança marcada por novas possibilidades na forma de se comunicar por mensagens escritas. Assim como temos diferentes formas de conversar por linguagem falada dependendo da situação, também apresentamos estilos de escrita alternativos para cada contexto.

Nas entrelinhas dos pontos Ainda que o ponto final continue sendo um sinal para demarcar o fim de uma sentença, muitos usuários omitem seu uso em mensagens de texto – especialmente se o conteúdo for curto. Essa opção do usuário por não pontuar suas frases acontece porque as mensagens de texto costumam ser muito dinâmicas, semelhantes aos diálogos da linguagem falada.

  • Quando estamos contando algo ao vivo, costumamos fazer uso de elipses e deixar brechas para que nosso interlocutor participe e acrescente comentários.
  • Assim também fazemos em mensagens de texto.
  • Daí que adicionar um ponto final é o oposto de abrir esse espaço, já que o o sinal significa um fim e quer dizer «É isso.

Fim de discussão». Para muitos, é justamente esse caráter de impor fim ao diálogo que faz a marcação não ser amigável. Um grupo de psicólogos dos Estados Unidos decidiu estudar a influência do sinal em conversas virtuais, Como resultado, eles notaram que os participantes da pesquisa percebiam as mensagens digitais marcadas com ponto final como desonestas ou falsas.

  1. Porém, quando os mesmos textos eram reescritos manualmente (também com o ponto final), a sensação de infidelidade não existia.
  2. Outro estudo, realizado por linguistas, avaliou que mensagens digitais compostas por muitas sentenças raramente eram marcadas por pontos finais e somente 29% delas tinham uma pontuação ao final de todo o texto.

Segundo os pesquisadores, a razão para isso é que o momento em que apertamos «enter» e enviamos a mensagem coincide exatamente com o instante em que deveríamos pontuar as frases. Mudança de código situacional Mas por que sentimos que o autor da mensagem que usa pontos finais está sendo desonesto conosco? A resposta para isso pode ter relação com a «mudança de código situacional», termo cunhado pelo linguista John J.

  1. Gumperz, A mudança de código situacional diz respeito às diferentes formas com as quais nós nos comunicamos dependendo do lugar, do meio e do nosso interlocutor.
  2. Um exemplo comum disso é analisar a forma como uma pessoa se comporta durante uma entrevista de emprego e no bar com os amigos.
  3. Normalmente, o locutor vai utilizar uma linguagem mais formal na entrevista do que no ambiente com seus colegas.

Caso o linguajar utilizado em ambos os casos seja o mesmo, provavelmente os amigos do bar vão estranhar e achar a situação um tanto quanto bizarra. O uso do ponto final é um exemplo disso. Quando o sinal aparece em uma mensagem de texto, ele é percebido como uma característica excessivamente formal.

Então, quando alguém encerra uma mensagem com um ponto final, é como se o indivíduo estivesse falando formalmente em uma mesa de bar com os amigos. É uma mudança de código situacional que faz aquele ato parecer incorreto, insincero e esquisito. Também é importante lembrar que, antigamente, a linguagem escrita era quase sempre associada à formalidade porque ela residia em livros e documentos.

No entanto, os tempos mudaram. As mídias sociais criaram espaço para que os usuários também trouxessem seu vocabulário casual para a linguagem escrita. Outra forma de sinceridade Mais um exemplo sobre a incorporação da fala na linguagem escrita é a repetição de letras.

  1. Através de um estudo, uma pesquisadora analisou que estender letras e sinais de marcação confere mais intensidade às mensagens.
  2. Outra linguista decidiu se debruçar sobre o assunto e notou que repetir pontos de exclamação em uma conversa pode transmitir sinceridade, como exemplificado na frase abaixo: «JACKIE, EU ESTOU ME SENTINDO TÃO TÃO TÃO MAL! Eu pensei que você estivesse atrás de nós no táxi, mas depois eu vi que você não estava!!!!! Eu me sinto tãããããão mal! Pegue outro táxi e eu pagarei para vocêeee» Note que o texto não é terminado com um ponto final, já que o uso do sinal poderia contradizer o pedido de desculpas.

Ao invés disso, o interlocutor repete vogais e abusa de pontos de exclamação. Em um padrão formal, a mensagem seria escrita da seguinte forma: «Jackie, eu estou me sentido tão mal. Eu pensei que você estivesse atrás de nós no táxi, mas depois eu vi que você não estava.

Eu me sinto tão mal! Pegue outro táxi e eu pagarei para você.» Esse outro exemplo se parece muito mais com um e-mail enviado a um colega de trabalho do que como um pedido de desculpas sincero e amigável. Esse tipo de situação tem muito a ver com a intuição, mas os exemplos servem para mostrar como a linguagem formal pode prejudicar a sinceridade de um pedido de desculpas.

Estamos destruindo a escrita formal? Há tempos existe um debate que visa analisar se nosso hábito de trocar mensagens de texto e utilizar um linguajar da web vai arruinar nossa capacidade de escrita. No entanto, uma pesquisa mais antiga identificou que nossa capacidade de alternar nossa fala dependendo da situação social pode sinalizar uma competência social, afirmar um sentido de identidade em uma comunidade e também servir como um indicador de alta capacidade intelectual em crianças,

  • Outro trabalho mostra que utilizar a «linguagem da internet» interfere muito pouco em como o indivíduo vai se sair em testes de pronunciação, de leitura e de vocabulário.
  • Nessa mesma linha, uma pesquisa realizada na Universidade do Estado da Califórnia encontrou um uso pequeno de termos de «internetês» em redações estudantis.

Essa descoberta vai de encontro a mais uma pesquisa de psicologia, a qual encontrou uma correlação entre uso do linguajar digital com pontuações mais altas em testes de habilidade e de raciocínio verbal. Tudo isso mostra que pessoas fluentes na linguagem escrita casual podem facilmente intercalar os códigos da escrita.

Alguns educadores até estão começando a adotar lições sobre escrita formal e informal em suas salas de aula como forma de ajudar os alunos a diferenciar o uso que cada uma das situações pede. Em vez de ignorar ou menosprezar a variação da linguagem escrita, abraçar a mudança — e a habilidade dos falantes e dos escritores em mudarem o código — pode levar a melhores habilidades de comunicação em todos os contextos.

Saber quando um ponto pode indicar desonestidade é só uma delas. * Lauren Collister é estudante de biblioteconomia na Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. Este texto foi publicado originalmente em inglês no The Conversation.