Moulin Rouge | Temuco

Consejos | Trucos | Comentarios

Quem Foi JoO Calvino?

Quem foi João Calvino o que ele defendia?

Calvinismo é uma religião cristã surgida durante a Reforma Protestante e que se baseia na predestinação, na valorização dos bons costumes e na defesa do trabalho e do lucro. João Calvino fundou, em 1534, uma religião que acreditava na predestinação, ou seja, que a salvação fora determinada por Deus.

O que João Calvino fez na Reforma Protestante?

João Calvino (1509-1564) foi um teólogo, líder religioso e escritor francês. Foi o pai do Calvinismo – reforma protestante que impôs hábitos austeros e puritanos aos seus seguidores e que se espalhou por vários países da Europa Ocidental.

Qual é a diferença entre Lutero e Calvino?

Diferenças entre calvinismo e luteranismo A principal diferença está na salvação. Enquanto os luteranos acreditam que a fé e as boas obras do fiel os conduzem à salvação, os calvinistas consideram a salvação como algo já consumado e definido por Deus antes da criação do mundo.

Qual é a religião de João Calvino?

Principais vertentes da Reforma Protestante – No contexto da Reforma Protestante do século 16, o calvinismo é uma das três principais vertentes, ao lado do luteranismo e da criação da Igreja Anglicana. Desta forma, Calvino também foi um dos responsáveis por quebrar a hegemonia ocidental da Igreja Católica.

  • Foi o fim do monopólio católico na administração dos bens de salvação, permitido novas formas de cristianismo», pontua Moraes.
  • Em sua base, a teologia calvinista é fortemente apoiada nas escrituras sagradas, ou seja, nos textos bíblicos.
  • Neste aspecto procurava se diferenciar da Igreja Católica de então, já alicerçada pelas bases filosóficas da tradição escolástica.

«O protestantismo, em geral, é a volta à Bíblia como elemento essencial», sintetiza o teólogo. «Os calvinistas seguem os princípios gerais da Reforma Protestante: justificação por graça mediante a fé, sacerdócio geral dos crentes e a Bíblia como princípio de fé e prática», acrescenta a teóloga.

Sonia Mota, pastora da Igreja Presbiteriana Unida do Brasil e diretora executiva da Coordenadoria Ecumênica de Serviço. «Calvino enfatizou de maneira especial: o princípio da soberania de Deus, ou seja, tudo redunda para a glória de Deus; fidelidade aos preceitos da Bíblia; valorização da ética e do trabalho social e a predestinação.» Moraes destaca a chamada teologia da aliança como um princípio do calvinismo.

«Aliança porque entende-se que Deus vai fazendo pactos ao longo da história, e renovando essas alianças. Com a vinda do Messias, todos aqueles que aceitarem-no como senhor e salvador passam a fazer parte do povo de Deus», diz Moraes. Outro ponto que se destaca é a ideia da eleição, da predestinação. Quem Foi JoO Calvino Crédito, Domínio público Legenda da foto, A Igreja Presbiteriana do Brasil é hoje a maior igreja no país que segue os princípios calvinistas «Em Calvino, a teologia da predestinacão não ocupa um espaço de primazia, um espaço central.» «A centralidade da teologia de Calvino é a encarnação de Cristo, e assim esse pacto, essa aliança.

Por que Calvino foi expulso da Igreja Católica?

Por Rainer Sousa No processo de consolidação da Igreja Católica, observamos que a imposição dos dogmas e a rigidez hierárquica foram elementos fundamentais na organização desta instituição. Além das regras e dos cargos, outras ações tiveram grande importância para que esta religião milenar alcançasse sua estabilidade.

Entre tantas, a excomunhão teve papel essencial na busca por esse princípio de unidade e preservação. O termo, de origem latina, significa «aquele que está fora da comunidade». Para alguns debatedores do assunto, a excomunhão não deve ser interpretada como uma punição espiritual que antecede o julgamento divino.

Ou seja, o excomungado não é alguém previamente condenado ao inferno. Segundo o Concílio de Niceia, de 325, o excomungado apenas deixa de receber os sacramentos católicos. Entretanto, saindo de seu entendimento teórico e observando a sua prática, a excomunhão teve outras destinações bem mais amplas e severas.

  1. Nos primeiros séculos da Era Cristã, a excomunhão foi largamente utilizada para se afastar os líderes cristãos que praticavam ou ignoravam alguma determinação religiosa da Igreja.
  2. Com o passar do tempo, a mesma serviu de critério para que outras ações fossem adotadas.
  3. Durante muito tempo, nenhum inglês que fosse excomungado poderia mover algum tipo de ação judicial.

Já no Reino dos Francos, o monarca Pepino, O Breve (714 – 768), ordenou que todos os excluídos fossem sumariamente expulsos do território. Nesses casos, observamos que a punição religiosa acabou servindo para que a aproximação dos laços entre Estado e Igreja se firmasse.

Contudo, podemos ver que a Igreja também empregou a excomunhão para desafiar ou limitar os interesses de vários reis, principalmente na Idade Média. Na Baixa Idade Média, o Sacro Império Romano foi o Estado no qual essas ações se deram com maior frequência. A sobrepujança da influência eclesiástica, tanto no âmbito religioso como econômico, levou os líderes da Igreja a determinarem a expulsão de Frederico II (1194 – 1250) e Luís IV (1282 – 1347).

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 No século XVI temos a excomunhão de líderes religiosos célebres que não concordavam com os dogmas católicos. Martinho Lutero e João Calvino, respectivos fundadores do Luteranismo e do Calvinismo, foram expulsos da Igreja ao pregarem uma religiosidade cristã apartada da chancela papal.

  1. Nesse mesmo século, o rei britânico Henrique VIII foi expulso ao desrespeitar os sacramentos que determinavam a continuação da união marital entre o rei inglês e a infanta Catarina de Aragão.
  2. Nos dias de hoje, a excomunhão acabou sendo transformada em um ato de implicação ideológica.
  3. A discriminação e outras mazelas antigamente sofridas pelo seu exercício tiveram seu sentido reconfigurado.

Em 1962, o ditador cubano Fidel Castro foi expulso da Igreja Católica após conduzir o processo revolucionário em seu país. Na década anterior, o presidente Juan Perón também foi igualmente penalizado após decretar a expulsão de dois bispos que criticavam seu governo.

  • Recentemente, a cantora irlandesa Sinéad O’Connor fez de tudo para que os dirigentes da Igreja lhe concedessem essa infame honraria.
  • No começo da década de 1990, quando se apresentava em um famoso programa de televisão norte-americano, ela encerrou sua performance rasgando uma foto do Papa João Paulo II.

Contudo, a repreensão católica só aconteceu em 1999, quando ela recebeu uma ordenação para ocupar o cargo de sacerdotisa na chamada Igreja Independente Católica. No Brasil, tivemos dois casos recentes de excomunhão que tiveram grande reconhecimento. O primeiro deles aconteceu em 1984, quando o teólogo e escritor Leonardo Boff quase foi expulso por defender as diretrizes da chamada Teologia da Libertação.

O que a Igreja fez com João Calvino?

Calvinismo – O Protestantismo disseminado pelo cristão Calvino ficou conhecido por Calvinismo, ideais influenciado pelo humanismo e o Luteranismo de Martinho Lutero. Embora tenha se inspirado nas ideias de Lutero, o calvinismo desenvolveu sua própria teologia baseada na riqueza humana como evolução do espírito e, sobretudo, na «Doutrina da Predestinação».

  • Essa doutrina é o que mais difere dos conceitos desenvolvidos pelo Luteranismo, posto que no Calvinismo, a fé em Jesus Cristo não era o caminho para a salvação, ou seja, ela demostrava que os fiéis estavam predestinados à salvação.
  • Com isso, em 1533, Calvino converteu-se ao protestantismo e por isso, durante a Inquisição foi perseguido por disseminar seus ideais e acaba por se refugiar na Suíça em 1536.

Alcançou inúmeros seguidores em Genebra, cidade que ficou conhecida pelo grande número de refugiados que recebia. Ali, destacou-se não somente em teologia, mas também na educação e na saúde. Além da Suíça outros países foram influenciados pelo Calvinismo: Inglaterra, Escócia, Países Baixos, França, Estados Unidos e África do Sul.

Quem foi o Papa que condenou Lutero?

Em 3 de janeiro de 1521, o papa Leão 10 excomungava o teólogo alemão Martinho Lutero. Era o clímax do conflito entre duas visões da religião cristã que acabaria numa das mais importantes cisões do Cristianismo. Em 1514, o padre Martinho Lutero assume, aos 31 anos, a igreja de Wittenberg.

See also:  OQue Fazer Quando Esta Com Falta De Ar?

Quais são as igrejas que defendem o calvinismo?

Em 06/02/2020 – Por The Intercept Brasil – Reportagem: Ronilso Pacheco Benedito Guimarães Aguiar Neto é o novo presidente da Capes. Foto: Reinaldo Canato/Folhapress Em 24 de janeiro, o governo Bolsonaro passou a presidência da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, a Capes, para as mãos de Benedito Guimarães Aguiar Neto, até então reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

  1. Tão logo Neto foi anunciado, parte da comunidade acadêmica e da imprensa repercutiu os posicionamentos anticiência do que agora é o chefe da maior agência de fomento à pesquisa no país.
  2. Neto é opositor do evolucionismo e adepto do chamado «Design Inteligente» – um outro nome ao criacionismo que sua turma tenta impor como teoria reconhecida que deve ser ensinada nas escolas e universidades.

Este é um risco real, mas não é o único. A nomeação do ex-reitor da Mackenzie marca a presença cada vez maior e influente no núcleo do governo de um grupo evangélico tão reacionário quanto discreto: os calvinistas. Neto se junta aos pastores Sergio Queiroz e Guilherme de Carvalho, que já integram o time de Bolsonaro.

  1. Fora do governo, o apoio dos calvinistas ao governo é maciço, como vimos com a Presbiteriana Central de Londrina – em que o pastor pediu explicitamente aos membros para assinaram o apoio a criação do novo partido de Bolsonaro, Aliança pelo Brasil.
  2. Os calvinistas são os evangélicos e igrejas que se orientam pelo legado do reformador francês João Calvino.

Comumente, são mais associados com o calvinismo os membros das igrejas presbiterianas. No entanto, a teologia de Calvino está presente em diferentes denominações, espalhadas em várias igrejas batistas e pentecostais no Brasil. A diferença principal dos evangélicos calvinistas dos demais é sua compreensão de que o cristianismo deve reivindicar sua hegemonia sobre a cultura.

  1. Na prática, isso significa uma concepção que tolera – e até promove – a ideia de superioridade cultural e moral do cristianismo e prega como missão influenciar a cultura.
  2. Em outras palavras, a «cosmovisão cristã», um outro conceito utilizado, deve estar em tudo, orientando e dominando o mundo.
  3. Esta definição vale, indistintamente, para qualquer evangélico calvinista? Sim e não.

Sim, porque isso faz parte do legado de João Calvino, embora seja passível de interpretação. Por ser passível de uma outra compreensão, a resposta também é não. Porque não são poucos os evangélicos e as evangélicas de fé reformada calvinista que preferem dar ênfase ao compromisso de Calvino com a liberdade (inclusive religiosa) e a vigilância aos governos para que ele sejam justos.

O que prega a doutrina calvinista?

Características e ideias do calvinismo – O calvinismo é uma doutrina religiosa, também chamada de fé reformada. O ponto central do pensamento religioso de João Calvino é a predestinação, O calvinista acredita que, desde a criação do mundo, Deus estabeleceu quais indivíduos seriam salvos e quais seriam condenados.

Para saber o destino preestabelecido para a sua alma, o fiel deveria procurar indícios e manter uma vida correta e obediente a Deus. Como os calvinistas defendiam uma «vida pura», eles foram chamados de puritanos. A doutrina calvinista afirma que o indivíduo pode estabelecer sua própria relação com Deus, desde que a sua vivência seja baseada na pureza e na prática de bons costumes,

Calvino se opôs ao fato de a Igreja Católica ser a única forma de o fiel se relacionar com Deus. Cada fiel recebia um talento, um dom de Deus, e deveria colocar sua aptidão em desenvolvimento. Dessa forma, o calvinismo valoriza o trabalho e os seus frutos, como o acúmulo de capital.

A burguesia abraçou a fé reformada por conta dessa valorização do trabalho, ao contrário do que se via na Igreja Católica, que era contra a usura. Max Weber, em seu livro «A Ética Protestante e o espírito do capitalismo», analisa a influência da fé reformada na formação e expansão do capitalismo na Europa.

Veja também: Contrarreforma – reação da Igreja Católica ao avanço do protestantismo

Quais são os cinco pontos principais do Calvinismo?

Resumo sobre o calvinismo –

É uma religião cristã fundada por João Calvino, em 1536, quando a Europa foi abalada pela Reforma Protestante. Nela, acredita-se na predestinação e na valorização do trabalho e do lucro. Cinco pontos da sua doutrina: Depravação Total, Eleição Incondicional, Expiação Limitada, Graça Irresistível e Perseverança dos Santos. Assim como o l uteranismo, é uma religião cristã, mas ambas têm algumas diferenças relacionadas à predestinação e à mediação entre os fiéis e Deus.

Tem Calvinismo no Brasil?

Denominações e vertentes – Conforme as ideias calvinistas foram se espalhando, elas foram ganhando denominações e, claro, vertentes também foram surgindo. Logo nos primórdios da religião, os calvinistas franceses foram chamados de huguenotes, na Inglaterra, de puritanos, na Holanda, de reformados, na Escócia, de presbiterianos.

No Brasil, houve várias tentativas de inserção do calvinismo», conta Moraes. «No Rio, com a França Antártida, depois no nordeste, com os holandeses. No século 19, com a abertura dos portos, para manter boas relações com a Inglaterra, os tratados comerciais e de navegação permitiam a prática de outras religiões para esses grupos.» Foi quando, oficialmente, diversas religiões protestantes chegaram ao Brasil.

Gradualmente, vão ganhando mais liberdades. «Durante o reinado de Dom Pedro. II, já havia grupos protestantes em diversas regiões», relata Moraes. «Mas ainda com limitações: não podiam ter igreja com torre, não podiam várias coisas. Mas podiam praticar os cultos sem serem perseguidos.» A pastora Mota explica que essa chegada dos calvinistas pode ser dividida em três fases.

  • A invasão era quando vinha junto com os ataques sofridos pela colônia, como no caso dos franceses no Rio e dos holandeses no Nordeste.
  • Ela também comum que eles buscassem catequizar indígenas.
  • Mais tarde, a partir do século 19, há a chegada de imigrantes que já praticavam religiões protestantes — e seguem fazendo em território brasileiro.

Por fim, os missionários são os que chegam com o papel de realmente criar igrejas no Brasil. De acordo com Moraes, o marco fundador do calvinismo no Brasil é considerado a vinda do pastor norte-americano Asgbel Green Simonton ao país, em 12 de agosto de 1859.

Em 1862 ele fundou a Igreja Presbiteriana do Brasil. Estima-se que, no total, sejam 1,2 milhão os praticantes do calvinismo no Brasil. «É a terceira maior vertente, considerando as igrejas protestantes históricas, depois de batistas e luteranos», diz Mota. A Igreja Presbiteriana do Brasil é ainda há maior do segmento no país, com 650 mil adeptos.

Há dissidências, como a Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, de 1903, e a Igreja Presbiteriana Unida e a Igreja Presbiteriana Renovada. «A Unida é um pouco mais aberta, progressista. A Renovada, quase pentecostal», explica Moraes. «Existe ainda a Igreja Presbiteriana Conservadora, que é declaradamente fundamentalista. Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Como se dava a salvação em Calvino?

Exercícios resolvidos sobre calvinismo – Questão 1 – Logo após a Reforma Protestante, várias doutrinas religiosas surgiram para criticar os ensinamentos da Igreja Católica, reinterpretando a Bíblia ou elaborando novos ensinamentos sobre a fé cristã. O calvinismo foi uma dessas doutrinas que surgiram no século XV.

Sobre isso, é correto afirmar que: A) os calvinistas acreditam que Maria, a mãe de Jesus, é a única que poder intermediar o fiel com relação a Deus, e não mais a Igreja Católica. B) ao elaborar a nova doutrina religiosa, João Calvino afirmou que o trabalho deveria ser desprezado e que a usura era um pecado mortal.

C) a burguesia aderiu ao calvinismo por conta da valorização do trabalho e da não condenação da usura. D) os luteranos, após o surgimento do calvinismo, abandonaram toda a doutrina elaborada por Martinho Lutero e aderiram às ideias de João Calvino. Resolução Alternativa C.

  1. João Calvino criticou a condenação da usura feita pela Igreja Católica.
  2. De acordo com a sua doutrina, cada indivíduo recebeu de Deus um dom, o qual deveria ser desenvolvido, por isso o trabalho era valorizado pelos calvinistas.
  3. Questão 2 – Sobre a salvação das pessoas, o calvinismo afirma que Deus já escolheu quem será salvo e quem será condenado, ou seja, o futuro de cada pessoa já foi traçado e não pode ser modificado.
See also:  Em Que Ano Estamos?

Essa teoria, que é o ponto central da doutrina calvinista, é chamada de: A) Teoria da Prosperidade. B) Teoria da Predestinação. C) Teoria da Anunciação. D) Teoria da Revelação. Resolução Alternativa B. De acordo com o calvinismo, a Teoria da Predestinação afirma que a salvação e a condenação já foram estabelecidas por Deus antes da criação.

Qual é a relação entre Lutero e Calvino?

João Calvino e a Reforma Protestante Quando estudamos as Reformas Protestantes, dois nomes destacam-se: Martinho Lutero (1483-1546) e João Calvino (1509-1564), Sabemos que, apesar de ter tido alguns precursores, foi o primeiro reformador religioso a ter um impacto realmente decisivo no interior da tradição da Igreja Católica e, sobretudo, na instituição política do Sacro Império Romano-Germânico.

  • A circulação das ideias luteranas (propiciadas principalmente pela invenção da máquina de imprensa) logo alcançou a Europa inteira e passou a influenciar desde clérigos e camponeses a reis e nobres.
  • Um dos lugares de maior repercussão do luteranismo foi a Suíça, onde floresceu, a partir da década de 1530, o pensamento de João Calvino,

Para compreendermos o contexto em que se desenvolveu o calvinismo, é necessário entender um pouco da situação da Suíça nessa época. No fim do século XV, especificamente no ano de 1499, a Suíça conseguiu tornar-se independente do Sacro Império Romano-Germânico.

  • Contudo, a sua organização política não era unitária, de modo que havia concentração de poder em várias cidades que eram verdadeiros polos comerciais e centros de uma burguesia ascendentes que se fortalecia progressivamente.
  • Contudo, essa ascensão era cerceada pela falta de legitimidade ideológica.
  • Nesse contexto, um personagem antecedeu Calvino e deu início à reforma religiosa nas cidades suíças: Huldrych Zwingli,

Zwingli apoiava as ideias de Martinho Lutero e propagava-as abertamente. Tornou-se uma figura de certa popularidade por causa de suas ações humanitárias empreendidas na época em que a Suíça foi atingida pela, Zwingli, entre outras coisas, rejeitava o sacramento da confissão e defendia a premissa da predestinação.

  1. Seus pensamentos agitaram várias regiões da Suíça e chegaram a provocar a guerra civil de 1531, na qual morreu.
  2. Nesse mesmo ano foi proposto um primeiro acordo, intitulado «Paz de Kappel», com vistas ao estabelecimento da tolerância religiosa na Suíça.
  3. Nos anos seguintes, as revoltas prosseguiam em outras regiões, principalmente em Genebra, que ainda estava dividida entre os católicos e o protestantismo ascendente.

Foi em Genebra que Calvino despontou como um personagem de grande importância dentro do protestantismo. Assim como Zwingli, Calvino era um entusiasta das ideias de Lutero e levou algumas de suas premissas às últimas consequências teológicas, como a questão da predestinação.

O calvinismo logo se espalhou para outras regiões da Europa, sobretudo para a Inglaterra, Escócia e França, onde os adeptos do calvinismo passaram a ser chamados de puritanos, presbiterianos e huguenotes, respectivamente. Por Me. Cláudio Fernandes Aproveite para conferir nossa videoaula relacionada ao assunto:

: João Calvino e a Reforma Protestante

Quais são as consequências do Calvinismo?

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/11871

Título: A influência do Calvinismo no processo de fundação e desenvolvimento dos Estados Unidos
Autor(es):
Palavras-chave: Calvinismo Estados Unidos Reforma Protestante
Data do documento: 25-Out-2016
Resumo: O Calvinismo eventualmente se estabeleceu não somente como força religiosa-eclesiástica, mas também como uma tradição que culminou no desenvolvimento econômico político e social. Teve influência direta e considerável para a fundação e nascimento da estrutura republicana de governo. Esse projeto foi elaborado para se compreender como o Calvinismo atribuiu valores no processo de construção dos Estados Unidos, a partir de sua eclosão no século XVI. Baseado no contexto histórico analisar-se-á o desenvolvimento calvinista nos Estados Unidos, existente por conta do transplante de igrejas europeias e instituições religiosas. Conjuntamente, apresentar a forma que os preceitos de João Calvino se estabeleceram na região. E observar a consequência nas estruturas políticas, culturais e econômicas. A forte ligação do Calvinismo com a construção dos Estados Unidos pode ser considerada como um alicerce. Em si, a temática em evidência mostrava um desejo de autonomia da Igreja para com o Estado, e havia uma atitude «distintamente agradável» para com o republicanismo, que foi trazido à fruição. Aos poucos, o pensamento calvinista estabeleceu um estilo de vida permanente para com a sociedade. Nesse sentido, esse artigo visa explanar sobre a influência do Calvinismo no processo de formação e desenvolvimento dos Estados Unidos. Trata-se de uma pesquisa de caráter exploratório que busca conhecer e descrever os fatos historicamente e absorver o conteúdo de suas implicações, tendo como base a pesquisa bibliográfica. Além do mais, utilizou-se do método qualitativo, centrando-se na compreensão e explicação da dinâmica das relações sociais.
Descrição: PERES, T.E.L.P. A influência do Calvinismo no processo de fundação e desenvolvimento dos Estados Unidos.2016.34f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Relações Internacionais) – Universidade Estadual da Paraíba, João Pessoa, 2016.
URI: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/11871
Aparece nas coleções: 52 – TCC

Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Quem João Calvino matou?

Foi condenado até mesmo pelos católicos, mas circulou por que parece que o povo gosta de ler coisas deste nível. Bolsec faleceu por volta de 1584. Após toda a difamação iniciada por Bolsec ainda a acusação que persiste é a de que Calvino pessoalmente matou Servet.

Quem apoiava o Calvino?

Os ‘guilherminos’ eram o partido que apoiava Calvino.

Quantos filhos teve João Calvino?

Família –

Calvinismo
João Calvino
Bases históricas:
Cristianismo Reforma
Marcos:
A Institutio Christianæ Religionis de Calvino Os Cinco Sola s Cinco Pontos (TULIP) Semper reformanda Confissões de fé Bíblia de Genebra
Influências:
Teodoro de Beza John Knox Ulrico Zuínglio Moise Amyraut Jonathan Edwards Teologia puritana Karl Barth
Igrejas:
Reformadas Presbiterianas Congregacionais Batistas reformados Pentecostais reformados Novo Calvinismo

Institutio christianae religionis, 1597 O avô de João Calvino morava nas proximidades de Noyon, Teve três filhos: Richard, que foi serralheiro e se instalou em Paris, Jacques, igualmente serralheiro e, finalmente, Gérard Cauvin, pai de João Calvino, que foi aquele que talvez mais se destacou dos três, tendo feito carreira em Noyon como funcionário administrativo.

  • Gérard Cauvin estabeleceu-se em Noyon em 1481.
  • Foi inicialmente notário da catedral.
  • Seria, depois, representante do bispado de Noyon; mais tarde, funcionário relacionado com a cobrança de impostos e, finalmente, o promotor (representante) do bispado, antes de entrar em conflito com este.
  • Faleceu em 1531 após uma disputa com o bispado, pela qual foi excomungado.

A mãe de Calvino, Jeanne Le Franc, de seu nome de solteira, era filha de um dono de uma hospedaria em Cambrai, que tinha enriquecido. Jeanne faleceu em 1515, quando João Calvino tinha apenas 6 anos de idade. Gérard e Jeanne tiveram cinco filhosː Patricia, Charles, Jehan Cauvin, Antoine e François.

  1. Haveria ainda duas irmãs, que nasceram do segundo casamento de Gérard.
  2. Uma chamou-se Marie (Maria) e iria também viver em Genebra,
  3. Da outra irmã sabe-se pouco.
  4. Em 1 de janeiro de 1515 o rei Francisco I de França ( François, roi des français ), sucedeu a Luís XII.
  5. Inicialmente moderado em matéria de religião, a postura deste rei foi endurecendo ao longo do seu reinado, terminando na perseguição declarada aos protestantes.

Pela Concordata de Bolonha, assinada no início do seu reinado, o papa Leão X concedia ao rei da França o direito a nomear os titulares dos rendimentos da Igreja. Em contrapartida, o papa via reforçados os seus direitos sobre a Igreja em França. Mudança para Paris João Calvino nasceu na casa da família em Noyon, nordeste da França, em dia 10 de julho de 1509, nos últimos anos do reinado de Luís XII,

  1. O trabalho de seu pai a serviço do bispo local possibilitou que recebesse, aos 12 anos, um benefício eclesiástico, cuja renda serviu-lhe de bolsa de estudos, tendo frequentado inicialmente o » Collège des Capettes » em Nyon, onde adquiriu conhecimentos básicos de latim,
  2. Em 1523, aos 14 anos, foi residir em Paris, com o objetivo de preparar-se para uma carreira eclesiástica, tendo estudado latim, humanidades e teologia.
See also:  Quem Foi Debora Na BBlia?

Inicialmente, começou por frequentar o Collège de la Marche, onde estudou latim e humanidades, tendo sido aluno de Maturin Cordier, um grande pedagogo do seu tempo. Estabeleceu, aí, amizade com as crianças da família d’Hangest, do bispo de Noyon, que se assumia, de certa forma, como protetor da família Calvino.

  • Os seus amigos eram Joachin (Joaquim), Yves (Ivo) e Claude (Cláudio), a quem mais tarde dedicaria o seu primeiro livro, um comentário a » De Clementia » de Sêneca, um autor conhecido pelo seu estoicismo,
  • Foi, em seguida, admitido no Collège Montaigu, onde estudou teologia e onde, mesmo em uma idade tão jovem, já teria tido contato com as obras de Lutero,

A escola, que também teria ensinado Inácio de Loyola e Erasmo de Roterdã, era conhecida pela sua rigidez, sovas e má comida. A lista de professores em Montaigu, nesta época, incluía o espanhol Antonio Coronel e o escocês John Mair (que foi professor de Inácio de Loyola ), mas não há provas definitivas de que eles tenham sido professores de Calvino.

  • Vida em Orleães Em 1529, pouco antes de atingir os vinte anos de idade, a vida de Calvino sofreu uma súbita mudança.
  • Soube que o pai havia mudado de planos em relação ao seu futuro e queria então que ele seguisse estudos na área do direito, ao invés de prosseguir com seus estudos na teologia,
  • A » ciência das leis torna normalmente ricos aqueles que se debatem com ela «, dizia seu pai (ele próprio um advogado do bispado), segundo as próprias palavras de Calvino.

Cumpriu a vontade do pai e foi estudar direito em Orleães, mas nunca deixou de preferir a teologia. Como disse mais tarde: » Se Deus me deu forças para que eu cumprisse a vontade de meu pai, determinou ele pela providência oculta que eu tomasse finalmente um outro caminho » (o da teologia).

  1. O biógrafo francês de Calvino, Bernard Cottret, escreveu: » Direito e leis: Calvino, o teólogo, é no fim, também, Calvino, o jurista.
  2. O seu pensamento fica marcado pela austeridade, a adstringência e a geometria da lei, pelo seu fascínio ou aspiração a ela.
  3. No início do século XVI assiste-se no direito a uma verdadeira revolução.

A retórica de Cícero tomou a primazia sobre a filosofia medieval, que se sustentava nos seus silogismos. Com a interpretação de textos jurídicos, Calvino tomou contacto pela primeira vez com a Filologia humanista «. O humanismo e o renascimento são, pois, os movimentos culturais que o influenciaram em primeiro lugar. O humanista Erasmo de Roterdão também se interessou pela obra de Séneca Em 1529, dirigiu-se também a Bourges, para assistir a aulas do famoso professor de direito italiano Andrea Alciato]]. Também estudou grego — no qual foi instruído pelo erudito luterano Melchior Wolmar — e hebraico, em preparação para realizar um estudo sério das Escrituras.

Em 1531, morre o pai, Gerard Cauvin. Calvino retorna a Paris e dedica-se ao seu interesse predileto – a literatura clássica. Em 1532, recebeu o bacharelado em direito em Orleães, tendo sido isento pela academia de pagar as taxas habituais pelo grau, em reconhecimento aos serviços prestados. O seu primeiro trabalho publicado foi um comentário sobre o texto do filósofo romano Séneca «De Clementia»,

Calvino cobriu os custos da publicação do livro com dinheiro do seu próprio bolso. Aos 23 anos era já um famoso humanista, seguindo os passos de Erasmo de Roterdão, que também escreveu sobre Séneca nestes anos. Em » De Clementia » não há da parte de Calvino uma alusão explicitamente religiosa.

É antes uma obra que reflecte o estoicismo de Séneca e a predestinação no sentido estoico. Séneca escrevera o texto como forma de apelar Nero à moderação e à razão. A conversão de Calvino ao protestantismo permanece envolta em mistério. Sabe-se apenas que ela se deu entre 1532 e 1533 (Calvino tinha 23 ou 24 anos), e que foi possivelmente influenciada pelo seu primo, Robert Olivétan.

Um texto escrito por Calvino em 1557 como prefácio ao seu comentário sobre os Salmos oferece-nos alguns parcos pormenoresː «Após tomar conhecimento da verdadeira fé e de lhe ter tomado o gosto, apossou-se de mim um tal zelo e vontade de avançar mais profundamente, de tal modo que apesar de eu não ter prescindido dos outros estudos, passei a ocupar-me menos com eles.

Fiquei estupefacto, quando antes mesmo do fim do ano, todos aqueles que desejavam conhecer a verdadeira fé me procuravam e queriam aprender comigo – eu, que ainda estava apenas no início! Pela minha parte, por natureza algo tímido, sempre preferi o sossego e permanecer discreto, de modo que comecei a procurar um pequeno refúgio que me permitisse recolher dos Homens.

Mas, pelo contrário, todos os meus refúgios se tornavam em escolas públicas. Em resumo, apesar de eu sempre ter pretendido viver incógnito, Deus guiou-me por tais caminhos, onde não encontrei sossego, até que ele me puxou para a luz forte, contrariando o meu carácter, e como se costuma dizer, me colocou em jogo.

E, na verdade, deixei a França e dirigi-me para a Alemanha para que ali pudesse viver em local desconhecido, incógnito, como sempre tinha desejado.» Note-se que a França e Alemanha não existiam no sentido de hoje, como Estados, mas sim em termos de zonas de língua francesa ou alemã. Neste período, o papa Clemente VII pressionava o rei de França a reprimir os protestantes franceses.

Em bulas de 30 de agosto de 1533 e de 10 de novembro do mesmo ano, o papa exortava à » aniquilação da heresia luterana e de outras seitas que ganham influência neste reino «. Os dois encontraram-se, então, nesse mesmo ano, em Marselha, onde discutiram entre outras coisas a » guerra contra os turcos, lá fora, e a repressão das heresias cá dentro «.

Qual a principal tese do calvinismo?

O calvinismo Na teoria da Predestinação Absoluta, Calvino afirmava que Deus, desde sempre, já sabia quem eram as pessoas que seriam salvas por eles, assim como as que não seriam. Portanto, para o calvinismo, Deus é o soberano de todas as coisas e nada acontece se não for conforme a sua vontade.

Quem foi Lutero e Calvino?

A discordância com Lutero – Martinho Lutero (retrato Lucas Cranach o Velho – 1529) No movimento reformista, Lutero não concordou com o » estilo » de reforma de João Calvino. Martinho Lutero queria reformar a Igreja Católica, enquanto João Calvino acreditava que a Igreja estava tão degenerada que não havia como reformá-la.

  1. Calvino se propunha a organizar uma nova Igreja que, na sua doutrina (e também em alguns costumes), seria idêntica à Igreja Primitiva.
  2. Já Lutero decidiu reformá-la, mas afastou-se desse objetivo, fundando, então, o protestantismo, que não seguia tradições, mas apenas a doutrina registrada na Bíblia, e cujos usos e costumes não ficariam presos a convenções ou épocas.

A doutrina luterana está explicitada no » Livro de Concórdia «, e não muda, embora os costumes e formas variem de acordo com a localidade e a época.