Moulin Rouge | Temuco

Consejos | Trucos | Comentarios

Quem Foi Nicolau CopRnico?

Quem foi Nicolau Copérnico E o que ele defendia?

Galileu e a Teoria de Copérnico Em 1533, o matemático e astrônomo polonês Nicolau Copérnico publicara sua grande obra – Sobre as Revoluções dos Corpos Celestes – defendendo a teoria de que a Terra se move em torno do Sol (Geocentrismo) e não o contrário ( Heliocentrismo ).

Essa teoria seria defendida e desenvolvida por Galileu e seu contemporâneo Johannes Kepler, que descreveu a trajetória elíptica dos planetas. A síntese desse trabalho foi a Teoria da Gravitação Universal, formulada pelo físico inglês Isaac Newton que por coincidência nasceu em 1642, o mesmo ano em que Galileu morreu.

Por ter afirmado que a Terra se move em torno do Sol, Galileu, um dos gênios da revolução científica do século 17, foi preso e obrigado à uma retratação humilhante. Aos 17 anos, assistindo à uma cerimônia na catedral de Pisa, observou um lustre que oscilava no teto.

  1. Controlando o tempo pelos seus próprios batimentos cardíacos, verificou que o intervalo entre cada oscilação era sempre o mesmo, não importando a amplitude do movimento.
  2. Repetiu a experiência mais tarde, e sugeriu que essa característica do pêndulo poderia tornar os relógios mais precisos.
  3. Galileu, ao abandonar a Faculdade de Medicina, foi lecionar em Florença.

Durante os quatro anos em que trabalhou ali, publicou um trabalho em que descrevia a balança hidrostática, uma invenção sua. Graças a esse trabalho, tornou-se aos 25 anos, professor de Matemática, e foi lecionar na Universidade de Pisa. Em Pádua, onde viveu dezoito anos – de 1592 a 1610 – lecionando matemática, já estava convencido do acerto das teorias de Copérnico sobre a movimentação dos astros, mas em suas aulas continuava a ensinar que a Terra era o centro do Universo, e em torno dela giravam planetas e estrelas.

  • Não tinha medo da Inquisição ainda, pois nessa época a Igreja não dava importância ao assunto.
  • Conforme confessou numa carta escrita à Kepler, datada de 1597, temia ser ridicularizado.
  • E tinha razão.
  • A imobilidade da Terra não era apenas uma teoria defendida pela tradição da escola de Aristóteles, mas sobretudo parecia perfeitamente de acordo com o senso comum.

Qualquer pessoa pode observar, diariamente, que o Sol, a Lua e as estrelas se movimentam; no entanto, nada havia, na época, que pudesse mostrar o movimento da Terra, sugerido apenas teoricamente em complicados cálculos matemáticos.

O que o Nicolau Copérnico inventou?

Nicolau Copérnico (1473 – 1543) «A ciência é filha da verdade e não da autoridade.» Nicolau Copérnico foi um importante matemático e astrônomo polonês. Pode ser chamado de «pai» da astronomia moderna, pois foi ele quem percebeu e defendeu a tese de que a Terra, assim como os demais planetas, gira em torno do sol, em uma teoria chamada de Heliocentrismo.

  1. Nascido numa família de ricos comerciantes, no dia 19 de fevereiro de 1473, Copérnico foi educado pelo tio, futuro bispo de Ermlend, depois de ficar órfão aos onze anos.
  2. Aos 18 anos ingressou na Universidade de Cracóvia, onde estudou astronomia e matemática.
  3. Em 1497, com 24 anos, foi para Itália estudar direito canônico na Universidade de Bolonha.

Em 1501, voltou à Polônia para aceitar o cargo de cônego da catedral de Frauenburg, para o qual tinha sido indicado por seu tio, mas pouco tempo depois voltou para a Itália onde frequentou as universidades de Roma, Pádua e Ferrara. Aprendeu medicina, direito, astronomia e matemática.

  • Voltou definitivamente à Polônia em 1506, estabelecendo-se em Frauenburg e depois em Heilsberg, onde foi secretário e médico pessoal de seu tio.
  • Somente em 1512, após o falecimento deste, voltou a viver em Frauenburg, realizando suas primeiras observações feitas por instrumentos que ele próprio construiu.

O primeiro livro que escreveu foi «Pequeno Comentário sobre as Hipóteses de Constituição do Movimento Celeste», sendo que não se sabe ao certo o ano em que foi escrito. A publicação de seus comentários foi adiada inúmeras vezes pelo próprio Copérnico, pois este temia as reações da Igreja Católica.

  1. Em 1533, o papa Clemente 7º solicitou uma exposição de sua teoria e, em 1536, o cardeal Schönberg pediu que esta fosse publicada.
  2. Nicolau Copérnico adiou a publicação, alegando a necessidade de elaborar uma teoria mais completa.
  3. Em 1539, conhece um jovem matemático alemão chamado Georg Joachim von Lauchen, mais conhecido como Rheticus, que passaria dois anos trabalhando com as teorias de Copérnico.

Juntos publicaram a «Prima Narratio», uma espécie de informativo que relatava as investigações realizadas por eles. A teoria completa de Copérnico foi enviada para publicação por intermédio de Rheticus, em 1541. Porém, a obra principal, «De revolutionibus orbium coelestium» (em latim) que significa «Das revoluções das esferas celestes», foi publicada no ano de sua morte, 1543.

Nesta obra ele defende a teoria do heliocentrismo, dizendo que o centro do Universo é o Sol e que os planetas possuem órbitas circulares em volta dele na seguinte ordem: Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno e depois as estrelas fixas. Apesar de que mais tarde novas descobertas vieram alterar alguns aspectos da teoria heliocêntrica, esta ideia foi realmente muito importante para o progresso da astronomia.

Nela, Copérnico apresentou ainda aspectos muito importantes, tais como a rotação da Terra, a inclinação do seu eixo, disse ainda que a distância entre a Terra e o Sol é pequena comparada com a distância até as estrelas, ente outras coisas.

Suas teorias serviram de referência para grandes astrônomos que posteriomente a aperfeiçoaram, tais como Johannes Kepler (que descobriu que as órbitas dos planetas não são circulares, mas sim elípticas) e Galileu Galilei. Nicolau Copérnico faleceu em Frauenburg em 24 de Maio de 1543. Texto por: Diana Maria Navroski Thomen. Referências:

DESCONHECIDO. Nicolau Copérnico.2012. Disponível em:, Acesso em: 28 set.2015. FRANCISCO, Patrick. Nicolau Copérnico – Biografia – Vida e Obra.2013. Disponível em:, Acesso em: 28 set.2015. PACIEVITCH, Thais. Nicolau Copérnico. Disponível em:, Acesso em: 28 set.2015. : Nicolau Copérnico (1473 – 1543)

O que a Igreja fez com Copérnico?

Para a Igreja, as teorias de Copérnico eram consideradas um sacrilégio, embora as ideias de Copérnico encontrassem alguns adeptos entre os seus contemporâneos. O Sistema Solar só teve sua estrutura modificada após os trabalhos de Kepler e de Galileu Galilei.

Como Copérnico provou o heliocentrismo?

Copérnico desenvolveu um sistema bem compreensível, no qual o Sol estaria no centro, fixo e imóvel. Em volta dele, girariam os seis planetas até então conhecidos, e a Lua giraria ao redor da Terra.

Quando a Igreja aceitou o heliocentrismo?

02 de fevereiro de 2021 Ouça também no Spotify! Por muito tempo, a humanidade acreditou no Geocentrismo. A palavra vem da junção de «geo», que significa «Terra», e «centro», indicando que a Terra seria o centro do Universo e todos os astros estariam girando ao seu redor.

Aristóteles, por volta de 350 a.C., na Grécia Antiga, defendia a ideia de que a Terra era o centro do universo e que nove esferas giravam em torno dela, sendo a primeira a Lua. Depois vinha Mercúrio, seguido de Vênus. Só então aparecia a quarta esfera: oo Sol. Para explicar os movimentos dos outros corpos celestes, Aristóteles considerava ainda as três esferas dos três planetas externos à órbita do Sol e que são visíveis no céu, a olho nu: Marte, Júpiter e Saturno.

Por último, viria a esfera que delimitava o próprio universo, na qual se encontravam as estrelas. Quem Foi Nicolau CopRnico Foi o astrônomo grego Cláudio Ptolomeu (90-168 d.C.), no início da Era Cristã, quem deu forma final a essa teoria na obra Almagesto, com uma sofisticação matemática jamais encontrada até então. A Igreja Católica defendia esse pensamento por estar de acordo com os textos bíblicos que colocavam o homem como figura central da criação divina. Quem Foi Nicolau CopRnico No geocentrismo, a Terra é tida como o centro do universo Ptolomeu contou em seu livro que as estrelas estariam fixas em uma esfera celeste que girava em torno da Terra e que os outros corpos celestes, incluindo a Lua e o Sol, também se moveriam em órbitas circulares em torno da Terra.

Outra inovação foi a descrição da órbita dos planetas, em termos de uma combinação de círculos, chamados «deferentes» e «epiciclos». Tal inovação foi essencial para explicar o movimento retrógrado dos planetas, que é quando um planeta é observado no céu se movendo em sentido contrário aos demais objetos do sistema solar, e porque eles ficam mais brilhantes nessa época.

As órbitas de Mercúrio e Vênus e as mudanças nas posições dos planetas no Zodíaco também eram explicadas nesse modelo. Esquema geocêntrico proposto por Cláudio Ptolomeu Nesse sistema geocêntrico, a ideia era que as posições planetárias dependiam das velocidades angulares dos planetas em relação às estrelas fixas. A ordem então seria: Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno. Quem Foi Nicolau CopRnico O sistema heliocêntrico tem o sol como seu centro fixo Copérnico desenvolveu um sistema bem compreensível, no qual o Sol estaria no centro, fixo e imóvel. Em volta dele, girariam os seis planetas até então conhecidos, e a Lua giraria ao redor da Terra.

Já a Terra giraria ao redor de seu próprio eixo, em um período de 23 horas e 56 minutos, e a sucessão de dias e noites seria uma consequência desse movimento de rotação, Cada planeta teria um período de translação diferente e, quanto mais distante do Sol, maior seria esse tempo. Com o seu modelo, Copérnico foi capaz de calcular com grande precisão as distâncias planetárias e o tempo necessário para cada planeta dar uma volta no Sol.

A teoria de Copérnico não condizia com os ideais bíblicos. Dessa forma, por medo de ser considerado herege, suas ideias só foram divulgadas depois de sua morte. A obra de Copérnico foi condenada pela Santa Inquisição e aqueles que a apoiavam eram condenados, como aconteceu com o filósofo italiano Giordano Bruno, morto na fogueira em 1600.

A princípio, o Heliocentrismo também não era aceito cientificamente. No século XVII, um dos mais importantes estudiosos da astronomia, Galileu Galilei, o comprovou, com base em observações com lunetas. Porém, foi obrigado a retratar-se perante a Igreja, para não ser condenado à morte. De qualquer forma, o modelo foi sendo aperfeiçoado por cientistas e astrônomos como Michael Maestlin, Johannes Kepler e Isaac Newton, até que passou a ser a teoria mais aceita pela comunidade científica.

A Igreja Católica, por sua vez, só aceitou o modelo heliocentrista em 1922. Para saber mais:

https://brasilescola.uol.com.br/geografia/geocentrismo-heliocentrismo.htm https://www.todamateria.com.br/geocentrismo-e-heliocentrismo/ https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/geocentrismo-heliocentrismo.htm http://www.ciencias.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=265 https://www.todoestudo.com.br/fisica/geocentrismohttps://www.todoestudo.com.br/fisica/geocentrismo Livro: Evolução das ideias da física – Antônio S.T. Pires – editora: livraria da física – 2° edição

Por que as pessoas não acreditavam em Copérnico?

Conheça a história de Nicolau Copérnico, o pai do heliocentrismo O astrônomo e matemático polonês foi o primeiro a observar que o Sol é o centro do sistema solar Shirley Paradizo Publicado em 22/10/2021, às 11h00 – Atualizado em 30/04/2022, às 10h00 Todos os dias, o nasce ao leste e desaparece a oeste.

  1. À noite, a Lua e as estrelas percorrem o mesmo caminho.
  2. A impressão que temos é a de que tudo no sistema solar gira em torno da,
  3. Por isso, nossos antepassados acreditavam que o planeta era o centro de tudo.
  4. Foi o astrônomo e matemático o primeiro estudioso a tentar provar que essa teoria estava errada.

Na época em que Copérnico viveu as pessoas seguiam a tese do matemático grego Claudio Ptolomeu chamada geocentrismo, que dizia que a Terra era o centro do e todo o resto girava em torno dela, até o Sol. Depois de estudar muito, Copérnico começou a desconfiar da teoria de Ptolomeu,

  • Tudo aconteceu em 1512, quando Copérnico construiu uma torre sem teto de onde ele ficava observando o movimento dos astros, como as fases da Lua, a posição das estrelas e do Sol.
  • Foi aí que descobriu que a Terra e os outros astros giravam em torno do Sol.
  • A teoria ficou conhecida por heliocentrismo.
  • A maioria das pessoas não acreditava em Copérnico e nem considerou sua teoria.

Mesmo assim, ele nunca desistiu. O problema é que suas observações eram feitas a olho nu ou com lunetas precárias. Dessa forma, ele não tinha como provar que estava certo. Em 1539, Copérnico conheceu o jovem matemático alemão George Rheticus, Os dois trabalharam juntos por dois anos e publicaram uma espécie de folheto que contava as investigações realizadas por eles.

Só em 1543 que Copérnico e Rheticus conseguiram lançar a teoria completa no livro Das Revoluções dos Corpos Celestes, que teve muitas alterações durante a impressão. Copérnico morreu antes de ver o livro pronto, mas tinha guardado com ele o original que escreveu. Quase um século depois, alguns cientistas que tentaram provar a teoria de Copérnico foram perseguidos.

Por volta do ano 1600, Giordano Bruno e Galileu Galilei receberam punições. Giordano morreu na fogueira, considerado bruxo, e Galileu acabou sendo condenado à prisão perpétua. Foi somente a partir dos anos 1900 que a teria do heliocentrismo começou a ser aceita.

Como ficou conhecida a teoria de Nicolau Copérnico?

Nicolau Copérnico (1473 – 1543) «A ciência é filha da verdade e não da autoridade.» Nicolau Copérnico foi um importante matemático e astrônomo polonês. Pode ser chamado de «pai» da astronomia moderna, pois foi ele quem percebeu e defendeu a tese de que a Terra, assim como os demais planetas, gira em torno do sol, em uma teoria chamada de Heliocentrismo.

  • Nascido numa família de ricos comerciantes, no dia 19 de fevereiro de 1473, Copérnico foi educado pelo tio, futuro bispo de Ermlend, depois de ficar órfão aos onze anos.
  • Aos 18 anos ingressou na Universidade de Cracóvia, onde estudou astronomia e matemática.
  • Em 1497, com 24 anos, foi para Itália estudar direito canônico na Universidade de Bolonha.

Em 1501, voltou à Polônia para aceitar o cargo de cônego da catedral de Frauenburg, para o qual tinha sido indicado por seu tio, mas pouco tempo depois voltou para a Itália onde frequentou as universidades de Roma, Pádua e Ferrara. Aprendeu medicina, direito, astronomia e matemática.

Voltou definitivamente à Polônia em 1506, estabelecendo-se em Frauenburg e depois em Heilsberg, onde foi secretário e médico pessoal de seu tio. Somente em 1512, após o falecimento deste, voltou a viver em Frauenburg, realizando suas primeiras observações feitas por instrumentos que ele próprio construiu.

See also:  Qual Que O?

O primeiro livro que escreveu foi «Pequeno Comentário sobre as Hipóteses de Constituição do Movimento Celeste», sendo que não se sabe ao certo o ano em que foi escrito. A publicação de seus comentários foi adiada inúmeras vezes pelo próprio Copérnico, pois este temia as reações da Igreja Católica.

  1. Em 1533, o papa Clemente 7º solicitou uma exposição de sua teoria e, em 1536, o cardeal Schönberg pediu que esta fosse publicada.
  2. Nicolau Copérnico adiou a publicação, alegando a necessidade de elaborar uma teoria mais completa.
  3. Em 1539, conhece um jovem matemático alemão chamado Georg Joachim von Lauchen, mais conhecido como Rheticus, que passaria dois anos trabalhando com as teorias de Copérnico.

Juntos publicaram a «Prima Narratio», uma espécie de informativo que relatava as investigações realizadas por eles. A teoria completa de Copérnico foi enviada para publicação por intermédio de Rheticus, em 1541. Porém, a obra principal, «De revolutionibus orbium coelestium» (em latim) que significa «Das revoluções das esferas celestes», foi publicada no ano de sua morte, 1543.

  • Nesta obra ele defende a teoria do heliocentrismo, dizendo que o centro do Universo é o Sol e que os planetas possuem órbitas circulares em volta dele na seguinte ordem: Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno e depois as estrelas fixas.
  • Apesar de que mais tarde novas descobertas vieram alterar alguns aspectos da teoria heliocêntrica, esta ideia foi realmente muito importante para o progresso da astronomia.

Nela, Copérnico apresentou ainda aspectos muito importantes, tais como a rotação da Terra, a inclinação do seu eixo, disse ainda que a distância entre a Terra e o Sol é pequena comparada com a distância até as estrelas, ente outras coisas.

Suas teorias serviram de referência para grandes astrônomos que posteriomente a aperfeiçoaram, tais como Johannes Kepler (que descobriu que as órbitas dos planetas não são circulares, mas sim elípticas) e Galileu Galilei. Nicolau Copérnico faleceu em Frauenburg em 24 de Maio de 1543. Texto por: Diana Maria Navroski Thomen. Referências:

DESCONHECIDO. Nicolau Copérnico.2012. Disponível em:, Acesso em: 28 set.2015. FRANCISCO, Patrick. Nicolau Copérnico – Biografia – Vida e Obra.2013. Disponível em:, Acesso em: 28 set.2015. PACIEVITCH, Thais. Nicolau Copérnico. Disponível em:, Acesso em: 28 set.2015. : Nicolau Copérnico (1473 – 1543)

Quem descobriu que a Terra se move?

Cedo, habitumo-nos a observar que o dia se sucede noite e que a noite se sucede ao dia. Porqu? Porque vemos o Sol nascer, percorrer o cu e iluminar-nos. Mas ao fim do dia ele desaparece por detrs dos montes ou no mar. Ento, surgem as estrelas e a Lua, nascendo e desaparecendo para de novo dar lugar ao Sol. A Terra, no seu movimento em volta do Sol, percorre uma trajectria aproximadamente circular. A Lua roda em volta da Terra e acompanha no seu movimento em torno do Sol.

O que diz a teoria do heliocentrismo?

Diferenças entre heliocentrismo e geocentrismo – O heliocentrismo e o geocentrismo expõem visões diferentes sobre a concepção de mundo:

Heliocentrismo: defende que o Sol é o centro do Universo, ou seja, todos os corpos celestes do Sistema Solar orbitam o Sol. Geocentrismo: defende que a Terra é o centro do Universo, assim a esfera terrestre é o ponto de referência dos corpos celestes, que orbitam esse planeta.

Quem Foi Nicolau CopRnico O geocentrismo, ao contrário do heliocentrismo, defende que a Terra é o centro do Universo.

Quem disse que a Terra era redonda e foi queimado?

Os tropeços de Mercadante sobre Galileu | Caçador de Mitos Continua após publicidade

  • O ministro da Educação precisa voltar para a escola. Na quarta-feira, comentando o projeto de lei que impede professores da rede pública de emitirem opiniões ideológicas durante a aula, Mercadante disse o seguinte:
  • Não podemos voltar ao tempo da Inquisição, em que Galileu Galilei foi queimado porque achava que a Terra era redonda, e a ‘Fé’, não.
  • É difícil achar uma frase tão curta e tão cheia de mitos. Vamos lá:
  1. Galileu não tentava convencer ninguém de que a Terra é redonda. Isso todo mundo já sabia no século 17. Suspeitava-se da esfericidade da Terra desde a Grécia Antiga; as grandes navegações, mais de um século antes da condenação de Galileu, encerraram o assunto. O que o astrônomo defendia é que a Terra se move.
  2. Galileu não foi queimado pela Inquisição. Todo mundo sabe que, pouco antes de ser condenado pela Igreja, ele voltou atrás e jurou ter abandonado a ideia do movimento da Terra. Tampouco foi torturado ou preso em masmorras. Durante o julgamento em Roma, ficou hospedado na casa do embaixador da Toscana e, depois, em aposentos do Santo Ofício reservado a visitantes ilustres. Tinha acesso ao pátio e era servido por funcionários da casa.
  3. É verdade que a Igreja cometeu uma lamentável perseguição a Galileu, mas é impreciso dizer que «a Fé» não acreditava no movimento da Terra. Essa polêmica dividia opiniões dentro e fora da Igreja. O dinamarquês Tycho Brahe, o astrônomo mais conceituado na época, concordava com o movimento de todos os planetas – menos o da Terra, que para ele estava parada no centro do Universo. Na Itália, os melhores amigos de Galileu eram bispos; os dois principais opositores eram professores universitários. Ludovico delle Colombe, autor de uma crítica a Galileu chamada «Contra o movimento da Terra», era um filósofo natural; Cesare Cremonini, que se recusou a olhar no telescópio por acreditar que Galileu era um charlatão que criava ilusões de ótica, era professor da Universidade de Pádua.

De fato há problemas no projeto de lei que limita opiniões religiosas e políticas dos professores da rede pública. Seria preciso definir o que é uma opinião neutra e limitar a liberdade em sala de aula. Mercadante tinha argumentos de sobra para criticar o projeto – não precisava se atrapalhar com uma história que não conhece.

  1. Continua após a publicidade @lnarloch * Para quem se interessar pelo conflito de Galileu com a Igreja e o ambiente científico da época, há mais detalhes no meu livro Guia Politicamente Incorreto da História do Mundo,
  2. A melhor notícia da Black Friday Assine Veja e tenha acesso digital a todos os títulos e acervos Abril*.

E mais: aproveite uma experiência com menos anúncio! É o melhor preço do ano! *Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas.

Como foi a morte de Nicolau Copérnico?

RMMG РRevista M̩dica de Minas Gerais

  • Nicolaus Copernicus: médico e astrônomo polonês
  • Nicolaus Corpenicus: A Polish physician and astronomer
  • Jorge Paprocki

Médico. Membro Titular da Academia Mineira de Medicina. Membro Titular do Instituto Mineiro de História da Medicina. Belo Horizonte, MG – Brasil Endereço para correspondência Rua Dom Lúcio Antunes 360 Bairro: Coração Eucarístico Belo Horizonte, MG – Brasil CEP 30535-630 E-mail:

  1. Recebido em: 16/06/2009 Aprovado em: 13/09/2010
  2. Instituição: Academia Mineira de Medicina Belo Horizonte, MG – Brasil
  3. Resumo

Este artigo constitui-se um esboço de alguns aspectos relevantes da vida de Nicolau Copérnico. Destaque para a sua atividade de médico praticante, pouco divulgada por seus biógrafos. Trata-se de tentativa de corrigir o conceito errôneo e muito divulgado de sua condição de sacerdote.

  • Palavras-chave: História da Medicina; Religiao e Medicina; Biografia; Ciencia/história; Astronomia.
  • INTRODUÇÃO
  • Alguns historiadores referem-se a Nicolau Copérnico (1473-1543) como padre, monge ou clérigo polonês, astrônomo e matemático que concebeu a hipótese heliocêntrica do cosmo, em meados do século 16.1,2

Segundo outros biógrafos, Copérnico não era sacerdote nem monge. Somente dedicou-se à Astronomia, com 3-5 atividade principal, a partir dos 40 anos de idade. Na realidade, ele não concebeu a hipótese heliocêntrica. Apenas ressuscitou a hipótese esquecida, do filósofo grego Aristarco de Samos (350-320 a.C.) e comprovou a sua veracidade.4,5 Copérnico tomou conhecimento dessa hipótese quando estudava na Universidade de Bolonha, em 1497, por intermédio de um professor de Direito e Astronomia chamado Domenico Maria de Novara (1454-1504).

  • Fato pouco comentado por seus biógrafos é que Nicolau Copérnico estudou Medicina na Universidade de Pádua no período de 1507 a 1510.
  • Após a sua volta para a Polônia, exerceu a função de assessor médico de seu tio, Lucas Watzenrode, bispo na cidade de Ermeland, onde praticou a Medicina junto à corte do bispado durante três anos.1,3,4 Em 1513 assumiu o cargo de cônego na catedral da cidade de Fromborg, onde exerceu Medicina, Astronomia e outras atividades importantes.1,3-6 DADOS BIOGRAFICOS Nicolau Copérnico nasceu em 1473 em pequena cidade polonesa chamada Torun, fundada no século 7.

Seu pai chamava-se Niklas Kopperning e foi próspero comerciante. Sua mae era Bárbara Watzenrode. Tiveram quatro filhos: dois homens – André e Nicolau – e duas mulheres. O irmão mais velho, André, seguiu carreira religiosa. A irma mais velha tornou-se monja cisterciense e chegou a exercer o cargo de abadessa no convento da cidade de Ulm.

O pai de Copérnico faleceu quando ele tinha 10 anos. Seu tio materno, Lucas Watzenrode, futuro bispo de Ermeland, assumiu a tutoria de Nicolau e de seus irmãos e orientou os seus estudos.1,3-5 Os estudos iniciais de Copérnico foram realizados na Polônia, até a idade de 22 anos. A partir dessa época, e durante um período de 14 anos, compreendido entre os 23 e os 36 anos de idade, Copérnico estudou em grandes universidades da Itália.

Em 1510, aos 36 anos de idade, voltou para a Polônia. Durante três anos, permaneceu na cidade de Ermeland, na corte do tio, bispo. Após a morte do tio, em 1513, Copérnico assumiu o cargo de cônego da catedral de Fromborg, onde permaneceu durante 30 anos, até sua morte, causada por acidente vascular cerebral, em 24 de maio de 1543, aos 70 anos.1,3-6 Os restos mortais de um homem de cerca de 70 anos foram encontrados, em 2005, perto do altar da catedral de Fromborg, onde Copérnico exerceu o cargo de cônego.

  1. A análise do DNA foi realizada a partir de um dente e de um fêmur desse esqueleto.
  2. Paralelamente a esse achado, foram encontrados dois fios de cabelo em um livro que pertenceu a Copérnico.
  3. O DNA desses fios de cabelo coincide com o DNA dos restos mortais encontrados na catedral.
  4. O crânio encontrado na tumba possuía marca, próxima da sobrancelha, que se assemelha a uma cicatriz visível nos retratos de Copérnico pintados durante sua vida.6 FORMACAO UNIVERSITARIA Em 1491, com 18 anos de idade, Copérnico passou a frequentar o Collegium Maius (Colégio Maior), que fazia parte da Academia de Cracóvia, fundada em 1364 e que, mais tarde, foi transformada na importante Universidade Jaguelloniana (Universytet Jagiellonski).

Ali Copérnico realizou estudos de artes: Letras, Belas Artes, Matemática e Filosofia. Cinco anos depois, em 1496, com 23 anos de idade, foi estudar na Itália junto com seu irmão mais velho. Nessa época as famílias abastadas da Europa enviavam os jovens mais promissores para estudar em universidades italianas.

As do norte da Itália tornaram-se centros importantes de difusão de conhecimentos após a fuga maciça dos sábios bizantinos de Constantinopla, quando a cidade foi tomada pelos otomanos, em 1453.7-8 Na Itália, Copérnico passou a frequentar a Universidade de Bolonha, de 1496 a 1499, onde estudou Grego e Astronomia.

Depois, na Universidade de Pádua, no período de 1501 a 1504, dedicou-se ao estudo de Direito. A seguir, até 1506, frequentou a Universidade de Ferrara, onde aprendeu Direito Canónico. Voltou para a Universidade de Pádua aos 33 anos. Em Pádua, frequentou o curso de Medicina no período de 1507 a 1510 e obteve o título de médico.

Este último fato é pouco conhecido e pouco comentado por muitos de seus biógrafos. Com essa impressionante trajetória, de quase quatro anos na Academia de Cracóvia, na Polônia, e de 14 anos nas principais universidades italianas, Bolonha, Pádua e Ferrara, Nicolau Copérnico ostentou currículo impressionante e colocou-se na posição de homem erudito em muitas áreas do conhecimento.7-10 SACERDOTE, MONGE, CLÉRIGO OU CONEGO? Acredita-se que a aparente confusão a esse respeito decorre do desconhecimento, por parte de alguns biógrafos, do significado do termo «clérigo» e «cônego» no Latim medieval.

O termo «clérigo» tem origem no vocábulo grego «clérigos» e no latino «clericus». Indica, atualmente, pessoas que se iniciaram nas ordens sacras, assim como aquelas que já pertencem à classe eclesiástica e que são sacerdotes cristaos. Entretanto, na Idade Média e no Renascimento, o termo «clérigo» era usado, frequentemente, para indicar pessoa letrada e instruída.

No meio universitário desse período, o termo era empregado para designar, indistintamente, professores e alunos das universidades, quer fossem religiosos, quer não tivessem qualquer vínculo com a Igreja.2,9,11 Confusão semelhante costuma ocorrer com o termo «cônego» que, atualmente, indica um padre a quem cabem obrigações religiosas em uma diocese.

Não era esse o sentido do termo na época de Copérnico. O termo é derivado do latim «canonicus» e do grego «cânon», que têm o significado de «regra». Na Idade Média, os cónegos viviam dentro do claustro das catedrais, em torno de um bispo. Sua função principal era assegurar o esplendor das funções litúrgicas.

Com o tempo, os cônegos passaram a viver fora da catedral. Tornaram-se leigos e constituíram capítulos (cabidos) que se reuniam, periodicamente, para realizar algumas funções ligadas à diocese e ao bispo. O termo «capitulum» deriva do latim e indica subordinação à cabeça (caput) de um superior.

Paulatinamente, os cabidos assumiram funções de um «Conselho do Bispo» e governavam a diocese na sua ausência. O título de cônego foi conseguido pelo tio de Copérnico quando ele ainda estudava na Academia de Cracóvia, em 1493, e tinha apenas 20 anos.

Idade e escolaridade insuficientes para uma ordenação como sacerdote. Na época, o título de cônego podia ser concedido a leigos. Tudo indica que se tratava de uma sinecura vitalícia, já que vinha acompanhada de uma prebenda (rendimento). Essa prebenda tinha a finalidade de assegurar a sobrevida material de Copérnico durante a sua permanência nas universidades italianas.

Em resumo: Copérnico foi clérigo e cónego no sentido do latim medieval, isto é, homem de saber e, mais tarde, administrador dos bens de uma catedral e de um castelo episcopal, sem votos religiosos, para os quais nunca teria manifestado qualquer pendor, segundo a maioria de seus biógrafos.3-5 ATIVIDADES DE COPÉRNICO Até os 36 anos de idade, Copérnico permaneceu na condição de estudioso.

  • Nesse longo período, presumivelmente, não exerceu alguma atividade remunerada.
  • Segundo Brody e Brody 9, ele teria lecionado Astronomia, Matemática e Medicina em várias universidades da Europa.
  • Entretanto, esses autores não mencionaram as épocas nem os locais onde isso teria ocorrido.
  • Outros biógrafos não comentam tais atividades de Copérnico.
See also:  Quando O Bebe ComeA A Mexer?

Seu conceito na Igreja era elevado. Em 1514, o Papa Leao X (1513-1521) solicitou a Copérnico sua opiniao acerca da reforma do calendário eclesiástico e não foi atendido. Supoe-se que Copérnico temia oferecer explicação baseada em suas convicções heliocêntricas, contrárias aos conceitos geocêntricos adotados pela Igreja.

Mais tarde, Copérnico enviou a resposta ao Papa Paulo III (1534-1539), que continha algumas observações relevantes, as quais teriam servido de base para o calendário gregoriano, 70 anos depois.1,3,9 Como cônego, Copérnico ocupou outros cargos temporários importantes. Foi administrador do castelo episcopal de Allenstein, em 1516.

Algumas das atividades mostram que a sua erudição era reconhecida e respeitada no país: assessorou o governo polonês em projeto de reformulação monetária, em 1522, quando escreveu um memorando sobre reformas monetárias. Essa monografia converteu-se em tratado acerca do assunto quando foi publicada, em latim, cinco anos depois.

Em função dessa obra, o rei da Polônia designou Copérnico como Conselheiro Adjunto de Assuntos Financeiros da Prússia, em 1528.4-6 As atividades de lazer de Copérnico são pouco conhecidas e pouco comentadas: traduziu do grego para o latim aproximadamente 85 pequenos poemas do poeta bizantino Theophylactus Simocrata.

A temática deles é muito variada. Há, inclusive, alguns trechos bastante picantes sobre assuntos considerados eróticos. Consta que Copérnico era bom pintor. Há uma pintura sua, no castelo de Ermeland, até hoje. Representa fragmentos de uma carta do firmamento.

  • Um autorretrato seu serviu de modelo para um quadro pintado por um grande artista plástico polonês (Jan Mateiko), em 1872.
  • Representa Copérnico em seu observatório de Fromborg, em diálogo com Deus.
  • O LIVRO DE COPÉRNICO E SUAS REPERCUSSÕES Em 1543, ainda prevalecia na Europa a crença de que a Terra permanecia imóvel, no centro do Universo.

Em torno dela giravam os outros corpos celestes. Tal crença fazia parte da teoria geocêntrica, de Cláudio Ptolomeu (87-150), desde o século 2 da Era Crista. O sistema ptolomaico era considerado convincente e foi aceito ao longo de 14 séculos. Uma das razoes dessa aceitação foi o fato que ela constituía o cerne da tese criacionista da Igreja Católica Romana e, mais tarde, da Igreja Luterana: o homem criado por Deus e colocado na Terra há 6.000 anos era o rei do Universo.

Copérnico foi o primeiro astrônomo a contestar a tese ptolomaica quando escreveu em seu livro «De Revolutionibus Orbium Coelestium»: «A Terra, carregando com ela a Lua, passa em grande órbita, entre os outros planetas, em seu giro anual, em torno do Sol»,1,3-5,9,10 O livro estava dividido em seis longas partes.

Fornecia explicação e justificativa minuciosas do sistema heliocêntrico. Demonstrava que a Terra é esférica, algo de que muitos ainda duvidavam. Descrevia um sistema no qual os seis planetas conhecidos tinham como centro o Sol. A Terra e a Lua, como os outros planetas, também giravam em torno do mesmo.

No sistema de Copérnico, as órbitas dos planetas ainda eram descritas como círculos perfeitos, contidos nas esferas cristalinas da hipótese ptolomaica. Os cálculos realizados por Copérnico estavam fundamentados, principalmente, em observações antigas, de Ptolomeu, e em 27 observações pessoais, realizadas com instrumentos rudimentares.

Na época, as lunetas ainda não haviam sido inventadas. O modelo copernicano também explicava por que, quando vistos da Terra, os planetas mudam de posição enquanto as estrelas parecem fixas em sua localização. Em 1539, o Bispo Giese, da cidade de Ulm, designou o matemático Georg Joachim Rheticus, professor da Universidade de Wittemberg, para trabalhar junto de Copérnico e ajudar na conclusão de seu livro.

  1. Essa colaboração durou cerca de três anos.
  2. Em 1542, Rheticus tentou voltar para a Universidade de Wittemberg, mas foi rechaçado devido às suas convicções copernicanas.
  3. Estabeleceu-se em Leipzig, em 1543.
  4. Devido ao seu afastamento, o controle da edição do livro de Copérnico foi assumido por um pastor luterano, Andreas Osiander, que perpetrou algumas modificações na obra.

Essas modificações somente foram corrigidas em edições futuras. Rheticus publicou uma segunda edição do livro, em Basilea, em 1566. Uma terceira edição foi publicada por Muller de Gotingen, em Amsterdam, em 1617.1,2,6 As repercussões do livro de Copérnico a curto prazo foram muito reduzidas.

  1. Alguns autores contemporâneos sugerem que, na época, poucas pessoas teriam sido capazes de entender a teoria heliocêntrica, bem como o seu alcance.
  2. Segundo o historiador americano Owen Gingerich, durante os primeiros 100 anos após a publicação da obra de Copérnico não mais de 10 estudiosos, em todo o mundo, seriam capazes de entender a sua teoria e implicações.

Stephen Hawking 1 concorda com essa opiniao. Afirma que, até o ano de 1600, a hipótese heliocêntrica foi entendida e adotada por menos de uma dúzia de cientistas. Assim, a teoria de Copérnico ficou relegada à periferia do pensamento científico e astronômico: a Terra permaneceu imóvel e como centro do Universo por mais algumas décadas, até que outros astrônomos e matemáticos adotassem e refinassem os ensinamentos de Copérnico até o nível da irrefutabilidade.

No que se refere às repercussões das ideias de Copérnico no seio da Igreja Católica, pode-se afirmar que elas foram lentas e demoradas: somente em 1616, aproximadamente 73 anos após sua publicação, a obra foi incluída no Index de livros proibidos pela Igreja Católica por Paulo V (1605-1621).

Isso ocorreu quando o cardeal Belarmino decretou que o sistema copernicano era falso e errôneo e que » Deus fixou a Terra em seus alicerces para jamais ser movida «. Foi quando Copérnico adquiriu notoriedade, devido ao livro de Johannes Kepler (1571-1630), publicado em 1609, e os livros de Galileu Galilei (1564-1642), editados em 1610 e 1613.

  1. A obra de Copérnico foi retirada discretamente do Index, em 1757, pelo Papa Bento XIV (1740-1758), 141 anos após sua publicação.
  2. A teoria heliocêntrica já tinha sido plenamente aceita, após os escritos de Isaac Newton (1642-1727), o qual formulou as leis da mecânica e a lei universal da gravitação em seu livro «Philosophiae Naturalis Principia Mathematica» (Princípios Matemáticos da Filosofia Natural), lançado em 1687.9,13 As causas da demora para publicar o livro Existem algumas indagações importantes que não são bem respondidas pelos biógrafos de Copérnico.

Uma delas refere-se à sua relutância em autorizar a publicação de seu livro. Vamos lembrar que, em 1513, quando publicou o «Pequeno Comentário.», Copérnico já estava certo da veracidade da hipótese heliocêntrica. Em 1530 seu livro «De Rovolutionibus Orbium Coelestium » já estava concluído.

Copérnico somente concordou com sua publicação, em 1543.3,9 Essa demora de 30 anos tem justificativa de ordem pessoal e uma explicação de ordem geral, de uma atitude observada, frequentemente, em alguns grandes cientistas. No primeiro caso, é bastante pertinente conjecturar que Copérnico temia o que ocorreu com Giordano Bruno (1548-1600) e com Galileu Galilei (1564-1642) algumas décadas mais tarde.

O primeiro foi condenado por heresia pela Inquisição e queimado vivo em 1600. Galileu teve o livro indexado, foi condenado à prisão perpétua e ameaçado de tortura em 1633, quando seu livro foi queimado em um grande espetáculo público. Durante a vida de Copérnico, a Igreja foi governada por oito Papas.

  • Pode-se considerar que a firmeza de caráter, integridade e dignidade de comportamento desses Papas que governaram a Igreja podem ser consideradas pelo menos duvidosas: sobre a eleição de três deles pesa a acusação de simonia (Inocêncio VIII, Pio III e Júlio II).
  • Nepotismo sem qualquer pudor era praticado por quatro deles (Sisto IV, Alexandre VI, Leao X e Paulo III).

Ganância e falta de escrúpulos e de visão podem ser imputadas a Júlio II e a Leao X, que instituíram as indulgências para aqueles que colaboraram para a construção da Basílica de São Pedro e com isso abriram o caminho para as Reformas de Lutero e Calvino.

Ferocidade inquisitorial por parte de Inocêncio VIII, Alexandre VI, Leao X e Paulo III. Por último, vida faustosa e dilapidação dos bens da Igreja pela maioria deles.12,13 Como homem que sempre viveu muito próximo da Igreja, é presumível que Copérnico conhecesse bem esses fatos. Como homem sensato, também seria compreensível que temesse ser julgado por Papas desse perfil.

Como homem culto, é razoável pensar que ele imaginasse o impacto e as consequências da hipótese heliocêntrica e a provável reação negativa da Igreja e a imprevisibilidade do julgamento de seus governantes. Um outro motivo para essa demora para autorizar a publicação de sua obra «De Rovolutionibus Orbium Coelestium » poderia ter ocorrido devido a um fenômeno mais geral, que é mencionado por alguns estudiosos do comportamento de grandes cientistas. William Harvey (1576-1657), médico inglês, realizou os primeiros estudos em Cambridge, continuados em Pádua, onde foi aluno de Fabricius Aquapendente (1523-1562), descobridor das válvulas venosas. Em 1602, voltou para Londres, onde exerceu a função de médico real e prosseguiu em suas investigações.

  1. Expunha a teoria da circulação sanguínea em suas aulas e discursos já em 1615.
  2. Somente publicou o seu trabalho «Sobre o Movimente Cardíaco e Sanguíneo dos Animais» em 1628, 13 anos depois.
  3. Apesar de constituir-se em um dos trabalhos mais importantes da Biologia e da Medicina, sua repercussão, na prática da Medicina, foi muito limitada.

Demorou cerca de 20 anos, repletos de controvérsias, para ser inteiramente aceita pela comunidade médica.8-10 Isaac Newton (1642-1727) escreveu em 1665 e 1666, nos dois anos de peste negra, quando permaneceu refugiado em sua casa em Whoolstorpe: «tudo isso ocorreu nos anos da peste, 1665 e 1666, pois naquela época eu me encontrava na idade mais propícia à invenção e me ocupei da Matemática e da Filosofia mais do que em qualquer época posterior».

  • Naqueles 18 meses, Newton dominou as leis básicas da mecânica.
  • Descobriu que elas se aplicavam a todos os corpos celestes.
  • Chegou a lei fundamental da gravitação e inventou um novo ramo da Matemática chamado Cálculo Diferencial.
  • Depois, pôs de lado as suas anotações e se afastou da ciência para dedicar-se a outras atividades.

Somente 20 anos depois, em 1686, um amigo de Newton, o astrônomo e matemático Edward Halley (1656-1742), descobriu essas anotações e tomou a iniciativa de publicá-las. Solicitou à Royal Society uma subvenção para isso e, diante da recusa, tomou as devidas providências: escreveu o prefácio, tratou de todos os detalhes da impressão e arcou com os custos. Charles Robert Darwin (1809-1882), autor da » Teoria da Evolução Através da Seleção Natural», escreveu em 1844: «após cinco anos de trabalho permiti-me especulações sobre o tema e registrei algumas anotações; estas se ampliaram em um esboço das conclusões » Nessa época, ele compartilhou a sua teoria com alguns amigos mais próximos e seu plano original era permitir a sua publicação apenas após a sua morte.

Devido ao risco de suas ideias perderem a primazia em função das descobertas do naturalista Alfred Russel Wallace (1823-1913), Darwin concluiu os seus escritos e permitiu a publicação de seu livro monumental, em 1859, após 22 anos de incubação.3-5,9,10 Esses exemplos indicam que alguns homens que fazem ciência têm consciência e temem a comoção que pode ser criada na comunidade por suas concepções inovadoras.

Parece que eles sabem que as suas concepções somente podem ser compreendidas e aceitas decorrido algum tempo e após passarem por minucioso exame realizado por outros estudiosos. O fato ocorre porque essas ideias e concepções inovadoras contêm conceitos que, frequentemente, entram em conflito com a experiência cotidiana prévia.

Como os homens que fazem ciência conhecem essas razoes, é possível que posterguem a divulgação de suas descobertas à espera de um momento em que a humanidade e a comunidade científica estejam mais bem preparadas para receberem fatos novos e inovadores.9,10 No caso particular de Copérnico, pode-se supor que ele, com sua cultura e erudição, pudesse imaginar e temer, como ocorreu de fato, as possíveis repercussões de sua teoria sobre a humanidade, no plano científico, filosófico e religioso.

Nesse último plano, como homem próximo da Igreja, seria razoável pensar que temesse a reação da mesma, o que também ocorreu, ainda que com algum atraso.12,13 CONSIDERAÇÕES FINAIS Stephen Hawking considera Nicolau Copérnico o fundador da Astronomia moderna e o grande precursor da Revolução Científica que culminou na aceitação e na adoção do sistema heliocêntrico.

É verdade que, em função de suas limitações como matemático, o livro de Copérnico «De Revolutiónibus Orbium Coeléstium» (Sobre a Revolução das Esferas Celestes) contenha alguns erros. Esses erros somente foram corrigidos por Johannes Kepler (1571-1630) e por Galileu Galilei (1564-1642). Mais tarde, a doutrina heliocêntrica foi transformada em sistema científico amplo e coerente por Isaac Newton (1642 – 1727).

Entretanto, a expressão » revolução copernicana » exprime o consenso quanto à importância de Nicolau Copérnico em toda a sequência de acontecimentos. Essa expressão foi empregada, pela primeira vez por Immanuel Kant (1724-1804) em seu livro «Crítica da Razao Pura», publicado em 1781.1,9 O escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832) compartilha dessa opiniao quando escreve: De todas as descobertas e opinioes, nenhuma exerceu um efeito maior sobre o espírito humano do que a doutrina de Copérnico.

  • O mundo mal se tornara conhecido como redondo, quando se pediu a ele que abrisse mão do enorme privilégio de ser o centro do Universo Nunca, talvez, foi feito um pedido de tal magnitude à humanidade.
  • Não é de surpreender que seus contemporâneos não quisessem perder tudo isso e resistissem, de todo modo possível, a uma doutrina que autorizava e exigia de seus partidários uma liberdade de visão e uma grandeza de pensamento desconhecida, nunca antes sonhada.
See also:  Quando Dia Dos Pais 2022?

Albert Einstein (1879-1955), em discurso feito em 1953, por ocasiao do 410º aniversário da morte de Copérnico, declarou: «Copérnico não só preparou o terreno para a Astronomia moderna, mas também ajudou a precipitar uma mudança decisiva na atitude do homem perante o cosmo.

  1. Tao logo se reconheceu que a Terra não era o centro do mundo, mas apenas um dos planetas menores, as ilusões sobre a importância central do homem tornaram-se insustentáveis.
  2. Portanto, Copérnico, com sua obra e a grandeza de sua personalidade, ensinou o homem a ser modesto».
  3. Além das opinioes desses sábios, pode-se acrescentar a opiniao de alguns historiadores 9,10 de que a vida e a obra de Nicolau Copérnico ensinam que, mesmo quando homens, governos, instituições e religioes poderosas persistem em conservar mitos e crenças centenárias ou mesmo milenares, é mister coragem para avaliá-las e, se for o caso, enfrentá-las e lutar contra elas.

Essa coragem, no plano da ciência, é que levou um grupo de precursores a discernir a nítida linha entre Astrologia e Astronomia, Alquimia e Química, Metafísica e Física e, por último, a diferença entre misticismo e fé e, de outro lado, da razao e ciência.

REFERENCIAS 1. Hawking S. Nicolau Copérnico (1473 – 1543) In: Hawking S. Os gênios da ciência. Rio de Janeiro: Elsevier; 2005.p.13-49.2. Crouzet M. As Monarquias medievais.In: Crouzet M. História geral das civilizações. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil; 1995.p.203-50.3. Hart MH. Nicolau Copérnico. In: Hart MH.

As 100 maiores personalidades da História.5ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil; 2002. Cap.19, p.146-50.4. Seymor-Smith M. Da revolução das órbitas celestiais. In: Seymor-Smith M. Os 100 livros que mais influenciaram a humanidade: a história do pensamento dos tempos antigos à atualidade.

Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil; 2002. Cap.36, p.259-63.5. Simmons J. Nicolau Copérnico e o Universo Heliocêntrico. In: Simmons J. Os 100 maiores Cientistas da História: Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil; 2002. Cap.10, p.83-6.6. Horn A. Poland. Singapore: Apa Publications; 1995.319 p.7. Lyons AS; Petrucelli RJ.

O Renascimento. In: Lyons AS, Petrucelli RJ. História da Medicina. São Paulo: Monole; 1997.p.369-99.8. Cowen DL, Helfound WH. The Renaissance. In: Cowen DL, Helfound WH. Pharmacy – an illustrated history New York: Harry N. Abrams Inc. Publishers, 1990.p.59-91.9.

Brody DE, Brody AR. As Revoluções. In: Brody DE, Brody AR. As sete maiores descobertas científicas da história. São Paulo: Cia das Letras; 1999.p.29-51.10. Blainey G. Uma breve história do mundo.2ª ed. São Paulo: Fundamento; 2007.342 p.11. Amaral A. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos.

Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 1990.406 p.12. Fisher-Wollpert R.Os Papas e o Papado. Petrópolis:Vozes; 1990.381 p.13. Fröhlich R. Curso básico de história da Igreja. São Paulo: Paulus; 1987.174 p. : RMMG – Revista Médica de Minas Gerais

Quem foi condenado por dizer que a Terra era redonda?

Pela acusação de defender o modelo de Copérnico, em que a Terra girava em torno do Sol, Galileu foi considerado um herético, forçado a repudiar as ideias heliocêntricas e sentenciado a prisão domiciliar, além de ter sua obra Diálogo incluída no Índice de Livros Proibidos do Vaticano.

Porque o heliocentrismo não foi aceito?

Quando o heliocentrismo foi aceito? – O heliocentrismo não foi aceito de imediato pela comunidade científica, tendo sofrido também a resistência da Igreja Católica, que se pautava no geocentrismo para explicar o Universo. O principal caso de resistência pelos grupos religiosos diz respeito a Galileu Galilei, considerado herege pelo Tribunal da Santa Inquisição pela defesa que fez do modelo heliocêntrico de Nicolau Copérnico.

A publicação da obra Diálogo sobre os dois máximos sistemas do mundo, em 1632, fez com que Galileu fosse levado a julgamento e condenado pela Inquisição. O astrônomo teve que negar publicamente as suas descobertas e sua defesa da teoria heliocêntrica, e viveu em prisão domiciliar até a sua morte, em 1642.

Muitos anos se passaram até que o avanço do conhecimento científico permitisse maior aceitação do heliocentrismo. No caso da Igreja Católica, a aceitação das comprovações de Galileu acontece u apenas no século XIX, O perdão ao astrônomo foi concedido, ainda, somente no ano de 1992, pelo papa João Paulo II.

Porque a Igreja Católica defendia o geocentrismo?

02 de fevereiro de 2021 Ouça também no Spotify! Por muito tempo, a humanidade acreditou no Geocentrismo. A palavra vem da junção de «geo», que significa «Terra», e «centro», indicando que a Terra seria o centro do Universo e todos os astros estariam girando ao seu redor.

  • Aristóteles, por volta de 350 a.C., na Grécia Antiga, defendia a ideia de que a Terra era o centro do universo e que nove esferas giravam em torno dela, sendo a primeira a Lua.
  • Depois vinha Mercúrio, seguido de Vênus.
  • Só então aparecia a quarta esfera: oo Sol.
  • Para explicar os movimentos dos outros corpos celestes, Aristóteles considerava ainda as três esferas dos três planetas externos à órbita do Sol e que são visíveis no céu, a olho nu: Marte, Júpiter e Saturno.

Por último, viria a esfera que delimitava o próprio universo, na qual se encontravam as estrelas. Quem Foi Nicolau CopRnico Foi o astrônomo grego Cláudio Ptolomeu (90-168 d.C.), no início da Era Cristã, quem deu forma final a essa teoria na obra Almagesto, com uma sofisticação matemática jamais encontrada até então. A Igreja Católica defendia esse pensamento por estar de acordo com os textos bíblicos que colocavam o homem como figura central da criação divina. Quem Foi Nicolau CopRnico No geocentrismo, a Terra é tida como o centro do universo Ptolomeu contou em seu livro que as estrelas estariam fixas em uma esfera celeste que girava em torno da Terra e que os outros corpos celestes, incluindo a Lua e o Sol, também se moveriam em órbitas circulares em torno da Terra.

  1. Outra inovação foi a descrição da órbita dos planetas, em termos de uma combinação de círculos, chamados «deferentes» e «epiciclos».
  2. Tal inovação foi essencial para explicar o movimento retrógrado dos planetas, que é quando um planeta é observado no céu se movendo em sentido contrário aos demais objetos do sistema solar, e porque eles ficam mais brilhantes nessa época.

As órbitas de Mercúrio e Vênus e as mudanças nas posições dos planetas no Zodíaco também eram explicadas nesse modelo. Esquema geocêntrico proposto por Cláudio Ptolomeu Nesse sistema geocêntrico, a ideia era que as posições planetárias dependiam das velocidades angulares dos planetas em relação às estrelas fixas. A ordem então seria: Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno. Quem Foi Nicolau CopRnico O sistema heliocêntrico tem o sol como seu centro fixo Copérnico desenvolveu um sistema bem compreensível, no qual o Sol estaria no centro, fixo e imóvel. Em volta dele, girariam os seis planetas até então conhecidos, e a Lua giraria ao redor da Terra.

Já a Terra giraria ao redor de seu próprio eixo, em um período de 23 horas e 56 minutos, e a sucessão de dias e noites seria uma consequência desse movimento de rotação, Cada planeta teria um período de translação diferente e, quanto mais distante do Sol, maior seria esse tempo. Com o seu modelo, Copérnico foi capaz de calcular com grande precisão as distâncias planetárias e o tempo necessário para cada planeta dar uma volta no Sol.

A teoria de Copérnico não condizia com os ideais bíblicos. Dessa forma, por medo de ser considerado herege, suas ideias só foram divulgadas depois de sua morte. A obra de Copérnico foi condenada pela Santa Inquisição e aqueles que a apoiavam eram condenados, como aconteceu com o filósofo italiano Giordano Bruno, morto na fogueira em 1600.

A princípio, o Heliocentrismo também não era aceito cientificamente. No século XVII, um dos mais importantes estudiosos da astronomia, Galileu Galilei, o comprovou, com base em observações com lunetas. Porém, foi obrigado a retratar-se perante a Igreja, para não ser condenado à morte. De qualquer forma, o modelo foi sendo aperfeiçoado por cientistas e astrônomos como Michael Maestlin, Johannes Kepler e Isaac Newton, até que passou a ser a teoria mais aceita pela comunidade científica.

A Igreja Católica, por sua vez, só aceitou o modelo heliocentrista em 1922. Para saber mais:

https://brasilescola.uol.com.br/geografia/geocentrismo-heliocentrismo.htm https://www.todamateria.com.br/geocentrismo-e-heliocentrismo/ https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/geocentrismo-heliocentrismo.htm http://www.ciencias.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=265 https://www.todoestudo.com.br/fisica/geocentrismohttps://www.todoestudo.com.br/fisica/geocentrismo Livro: Evolução das ideias da física – Antônio S.T. Pires – editora: livraria da física – 2° edição

Porque o heliocentrismo foi aceito?

Quando o heliocentrismo foi aceito? – A teoria do heliocentrismo enfrentou forte resistência de diversos grupos da sociedade, com destaque para os religiosos, uma vez que os apontamentos realizados pelos pesquisadores do heliocentrismo entravam em contradição com os preceitos de diversas religiões,

  • Galileu Galilei, por exemplo, foi forçado a negar publicamente as ideias de Copérnico e o modelo heliocêntrico.
  • O heliocentrismo passou a ser aceito somente mediante a evolução da ciência moderna, que por meio do avanço dos estudos acadêmicos e dos aparatos tecnológicos conseguiu provar de forma irrefutável que o Sol é o centro do nosso Sistema Solar.

Saiba também: Exoplanetas — os planetas que se encontram fora do nosso Sistema Solar

Qual é a diferença entre geocêntrico e heliocêntrico?

Geocentrismo e Heliocentrismo Juliana Bezerra Professora de História Geocentrismo e heliocentrismo são duas teorias que explicam o funcionamento do universo. O geocentrismo afirma que a Terra está fixa no universo e os planetas e astros giram ao seu redor.

Quem descobriu o Sol?

Nicolau Copérnico (Toruń, 19 de fevereiro de 1473 — Frauenburgo, 24 de maio de 1543) foi um astrônomo e matemático polonês que desenvolveu a teoria heliocêntrica do Sistema Solar. Foi também cónego da Igreja Católica, governador e administrador, jurista e médico.

Qual elemento é o centro do Universo?

A teoria científica do heliocentrismo defende que o Sol é o centro do Universo e, consequentemente, do Sistema Solar. O heliocentrismo foi desenvolvido em oposição ao geocentrismo, que defende que a Terra é o centro do Universo.

Quem foi o primeiro a dizer que a Terra gira em torno do Sol?

Mas, há cerca de 450 anos, Nicolau Copérnico mostrou que a Terra se move em torno do Sol, e os dias se sucedem às noites e as noites aos dias, porque a Terra gira sobre si própria.

Quem descobriu a Lua?

Em 1609, Galileu foi um dos primeiros a cartografar a Lua através de telescópio na sua obra Sidereus Nuncius, fazendo notar que não era plana e que possuía montanhas e crateras.

Quem foi o primeiro astrônomo do mundo?

Origem da Astronomia – O Newgrange, monumento pré-histórico localizado na Irlanda, foi construída em torno de 3200 aC, durante o período Neolítico, O monumento está alinhado com o sol nascente do solstício de inverno, Desde o início, o homem sempre olhou para o céu em busca de possíveis correlações entre as suas histórias e os fenômenos cósmicos.

  • Essas primeiras observações eram frutos da imaginação e da criatividade humana, o que deu origem as constelações,
  • Elas também originaram à organização dos ciclos na agricultura, a contagem do tempo e os pontos referências para orientar-se na terra e no mar.
  • Eles relacionavam os objetos no céu (e seus movimentos) a fenômenos como a chuva, a seca, as estações do ano e as marés,

O homem também utilizou as primeiras observações astronômicas para fins religiosos: em algumas culturas, as estrelas, bem como a luz natural em um céu escuro, foi logo identificada como a divindade responsável pela proteção dos acontecimentos humanos.

Acredita-se geralmente que os primeiros astrônomos profissionais foram os sacerdotes, A compreensão que eles tinham pelo céu era visto como algo divino, daí a antiga ligação da astronomia com o que hoje conhecemos como astrologia, O primeiro conhecimento astronômico do homem pré-histórico consistiu essencialmente na previsão dos movimentos de objetos celestiais visíveis, como estrelas e planetas,

Um exemplo de ferramenta na astronomia antiga são os primeiros monumentos astronômicos megalíticos, como o famoso complexo de Stonehenge, os montes de Newgrange, os Menir e os vários outros edifícios projetados com a função de observar o espaço sideral,

Muitos destes monumentos mostram a relação do homem pré-histórico com o céu, bem como as excelentes capacidades de precisão das observações. Em Stonehenge, por exemplo, cada pedra pesa em média 26 toneladas. A avenida principal que parte do centro da monumento aponta para o local no horizonte em que o Sol nasce no dia mais longo do verão ( solstício ).

Nessa estrutura, algumas pedras estão alinhadas com o nascer e o pôr do Sol no início do verão e do inverno. Parece que foi no paleolítico que o homem considerou o céu como o lugar onde as histórias dos deuses tomam forma. Há vestígios de um culto atribuído ao asterismo da Ursa Maior por povos que viviam além das margens do Estreito de Bering, no momento do último período glacial entre os Estados Unidos e a Ásia,

  1. Estudos recentes afirmam que no período Paleolítico (cerca de 16 000 anos atrás) foi desenvolvido um sistema de 25 constelações, dividida em três grupos que representam metaforicamente o Céu, a Terra e o submundo,
  2. No período neolítico, a fim de melhorar a memorização das estrelas, foram atribuídas aos asterismos nomes semelhantes, nem sempre antropomórfico, aludindo a aspectos e elementos da vida agrícola e pastoral,

A constelação do zodíaco, que se encontram perto da linha percorrida pelo sol durante o ano ( eclíptica ), foi uma das primeiras a ser codificada no céu, principalmente por razões práticas. Dada a importância da economia baseada numa agricultura-pastoral, se fez necessário conhecer as diferentes épocas do ano a fim de melhorar a semeadura, as plantações, a criação de animais e todas as outras práticas relacionadas ao homem primitivo.