Moulin Rouge | Temuco

Consejos | Trucos | Comentarios

Quem Pode Tomar A Vacina Bivalente?

Quem vai poder tomar a vacina bivalente?

A vacinação com a Pfizer bivalente está disponível para todas as pessoas com 18 anos ou mais, além de moradores de instituição de longa permanência com 12 anos ou mais; pessoas imunocomprometidas, também a partir dos 12 anos; e gestantes e puérperas, inclusive as menores de 18 anos.

  1. As pessoas imunocomprometidas precisam levar laudo ou relatório médico comprobatório.
  2. Para se vacinar, é necessário levar documento de identificação e, se possível, o cartão de vacina onde constem as doses já recebidas de covid-19.
  3. A Pfizer bivalente será aplicada a partir de quatro meses da última dose de reforço ou da segunda dose.

Quem não tiver recebido a primeira ou a segunda dose terá que iniciar o esquema vacinal com a dose monovalente, também disponível em unidades da Secretaria de Saúde. Voltar para o menu inicial UBS 1 Sobradinho Horário: das 8h às 11h30 e das 13h15 às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Quadra 14 Área Especial 22/23 UBS 2 Sobradinho Horário: das 8h às 11h45 e das 13h30 às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Quadra 3 Área Especial Conjunto D/E UBS 3 Sobradinho – Nova Colina Horário: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Área Especial – Novo Setor de Mansões Nova Colina UBS 5 Sobradinho – BASEVI Horário: das 13h às 17h às SEGUNDAS, TERÇAS e QUARTAS-FEIRAS (Dias úteis); e das 8h às 12h às TERÇAS, QUINTAS e SEXTAS-FEIRAS Endereço: Área Especial 01, Lote 01, Associação de Moradores, Vila BASEVI UBS 6 Sobradinho – Lago Oeste Horário: das 8h às 12h e das 13h às 16h30 às SEGUNDAS, TERÇAS e QUINTAS-FEIRAS (Dias úteis); e das 13h às 16h30 às QUARTAS-FEIRAS Endereço: DF 001 KM 120 Rua 08 Chácara 187 Lago Oeste UBS 1 Sobradinho II Horário: das 8h15 às 11h30 e das 13h15 às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: AR 13 Conjunto 07 Lote 01 UBS 2 Sobradinho II Horário: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Rodovia DF 420, Complexo de Saúde, Setor de Mansões, ao lado da UPA Sobradinho UBS 5 Sobradinho II Horário de vacinação: das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30 às SEGUNDAS, QUARTAS, QUINTAS e SEXTAS (Dias úteis); E das 8h às 11h30 às TERÇAS (Dias úteis) Endereço: Condomínio Mini-Chácaras, QMS 16 Rua 14 Casa 01 UBS 7 Sobradinho II Horário de vacinação: das 8h às 17h às SEGUNDAS, TERÇAS e QUINTAS-FEIRAS (Dias úteis); das 8h às 11h30 e das 13h às 17h às QUARTAS-FEIRAS; e das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30, às SEXTAS-FEIRAS Endereço: Condomínio Mini-Chácaras, QMS 16 Rua 14 Casa 01 UBS 1 Fercal – Engenho Velho Horário de vacinação: das 7h30 às 11h30 e das 13h às 16h30 – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: DF 150 KM 12 Quadra 10 Casa 14, Engenho Velho – Fercal UBS 1 Planaltina – Buritis IV Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 16h30 – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Quadra 18 Conjunto H Área Especial 1 – Buritis IV UBS 2 Planaltina – Vila Buritis Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Entrequadras 1/10 Área Especial S/N – Vila Buritis UBS 4 Planaltina – Estância Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Estância Nova Planaltina Quadra 02 Rua A Área Especial, Estância UBS 5 Planaltina – Arapoanga Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Quadra 12 D Conjunto A Área Especial Arapoanga UBS 7 Planaltina – Jardim Roriz Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Entrequadras 03/04 Área Especial 2 – Jardim Roriz UBS 8 Planaltina – Vale do Amanhecer Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 16h às TERÇAS-FEIRAS (Dias úteis) Endereço: Área de Regularização de Interesse social, ARIS do Vale do Amanhecer UBS 10 Planaltina – Taquara Horário de vacinação: das 8h às 16h e das 13h às 16h às QUARTAS-FEIRAS (Dias úteis) Endereço: Quadra 1 Área Especial – Núcleo Rural Taquara UBS 13 Planaltina – São José Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Núcleo Rural São José, Área Especial UBS 14 Planaltina – Tabatinga Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Núcleo Rural Tabatinga UBS 15 Planaltina Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Núcleo Rural Rio Preto UBS 16 Planaltina – Piripau Horário de vacinação: das 8h às 16h – às QUARTAS-FEIRAS (Dias úteis) Endereço: Núcleo Rural Pipiripau II, Área Administrativa UBS 17 Planaltina – Jardim Morumbi Horário de vacinação: das 8h às 11h e das 13h às 16h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: DF 128 Km 03 Quadra N Lote 15 Gleba F – Núcleo Rural Jardim Morumbi UBS 20 Planaltina Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Área Especial 9 A, Setor Norte, Planaltina/DF

Quem pode tomar vacina bivalente SP?

A vacina Pfizer bivalente contra a Covid-19 está disponível na cidade de São Paulo desde o dia 27 de fevereiro, para grupos prioritários e todas as faixas etárias acima dos 18 anos.

Quanto tempo dura a vacina bivalente?

Vacina bivalente, que protege contra variantes do coronavírus, já está disponível Gabriela Pereira | 10/05/2023, 09h18 A vacina bivalente promove a imunização para novas variantes do coronavírus, além da cepa original. Aplicada em dose única, essa nova vacinação é considerada mais eficaz.

A vacina está disponível nos postos de saúde. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a produção de dois tipos desse imunizante, feitos a partir da subvariante ômicron. A empresa responsável pela produção da vacina é a farmacêutica multinacional Pfizer. O imunizante bivalente é ofertado a que tenham recebido, pelo menos, duas doses monovalentes como esquema primário ou como dose de reforço, respeitando um intervalo de quatro meses da última dose, conforme o,

Para saber se o estado já está vacinando maiores de 18 anos, é preciso buscar informação no posto de saúde local. O senador Marcelo Castro (MDB-PI) salienta que a vacinação é a diferença entre a vida e a morte, em termos coletivos, mas também individuais, já que os não vacinados podem desenvolver uma covid mais grave, que afeta os pulmões.

Quem deve tomar a vacina tetravalente?

A vacina Tetravalente Viral é indicada para uso pediátrico entre 12 meses e 12 anos de idade.

O que é preciso para tomar a vacina bivalente?

A vacinação com a Pfizer bivalente está disponível para todas as pessoas com 18 anos ou mais, além de moradores de instituição de longa permanência com 12 anos ou mais; pessoas imunocomprometidas, também a partir dos 12 anos; e gestantes e puérperas, inclusive as menores de 18 anos.

  1. As pessoas imunocomprometidas precisam levar laudo ou relatório médico comprobatório.
  2. Para se vacinar, é necessário levar documento de identificação e, se possível, o cartão de vacina onde constem as doses já recebidas de covid-19.
  3. A Pfizer bivalente será aplicada a partir de quatro meses da última dose de reforço ou da segunda dose.

Quem não tiver recebido a primeira ou a segunda dose terá que iniciar o esquema vacinal com a dose monovalente, também disponível em unidades da Secretaria de Saúde. Voltar para o menu inicial UBS 1 Sobradinho Horário: das 8h às 11h30 e das 13h15 às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Quadra 14 Área Especial 22/23 UBS 2 Sobradinho Horário: das 8h às 11h45 e das 13h30 às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Quadra 3 Área Especial Conjunto D/E UBS 3 Sobradinho – Nova Colina Horário: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Área Especial – Novo Setor de Mansões Nova Colina UBS 5 Sobradinho – BASEVI Horário: das 13h às 17h às SEGUNDAS, TERÇAS e QUARTAS-FEIRAS (Dias úteis); e das 8h às 12h às TERÇAS, QUINTAS e SEXTAS-FEIRAS Endereço: Área Especial 01, Lote 01, Associação de Moradores, Vila BASEVI UBS 6 Sobradinho – Lago Oeste Horário: das 8h às 12h e das 13h às 16h30 às SEGUNDAS, TERÇAS e QUINTAS-FEIRAS (Dias úteis); e das 13h às 16h30 às QUARTAS-FEIRAS Endereço: DF 001 KM 120 Rua 08 Chácara 187 Lago Oeste UBS 1 Sobradinho II Horário: das 8h15 às 11h30 e das 13h15 às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: AR 13 Conjunto 07 Lote 01 UBS 2 Sobradinho II Horário: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Rodovia DF 420, Complexo de Saúde, Setor de Mansões, ao lado da UPA Sobradinho UBS 5 Sobradinho II Horário de vacinação: das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30 às SEGUNDAS, QUARTAS, QUINTAS e SEXTAS (Dias úteis); E das 8h às 11h30 às TERÇAS (Dias úteis) Endereço: Condomínio Mini-Chácaras, QMS 16 Rua 14 Casa 01 UBS 7 Sobradinho II Horário de vacinação: das 8h às 17h às SEGUNDAS, TERÇAS e QUINTAS-FEIRAS (Dias úteis); das 8h às 11h30 e das 13h às 17h às QUARTAS-FEIRAS; e das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30, às SEXTAS-FEIRAS Endereço: Condomínio Mini-Chácaras, QMS 16 Rua 14 Casa 01 UBS 1 Fercal – Engenho Velho Horário de vacinação: das 7h30 às 11h30 e das 13h às 16h30 – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: DF 150 KM 12 Quadra 10 Casa 14, Engenho Velho – Fercal UBS 1 Planaltina – Buritis IV Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 16h30 – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Quadra 18 Conjunto H Área Especial 1 – Buritis IV UBS 2 Planaltina – Vila Buritis Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Entrequadras 1/10 Área Especial S/N – Vila Buritis UBS 4 Planaltina – Estância Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Estância Nova Planaltina Quadra 02 Rua A Área Especial, Estância UBS 5 Planaltina – Arapoanga Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Quadra 12 D Conjunto A Área Especial Arapoanga UBS 7 Planaltina – Jardim Roriz Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Entrequadras 03/04 Área Especial 2 – Jardim Roriz UBS 8 Planaltina – Vale do Amanhecer Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 16h às TERÇAS-FEIRAS (Dias úteis) Endereço: Área de Regularização de Interesse social, ARIS do Vale do Amanhecer UBS 10 Planaltina – Taquara Horário de vacinação: das 8h às 16h e das 13h às 16h às QUARTAS-FEIRAS (Dias úteis) Endereço: Quadra 1 Área Especial – Núcleo Rural Taquara UBS 13 Planaltina – São José Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Núcleo Rural São José, Área Especial UBS 14 Planaltina – Tabatinga Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Núcleo Rural Tabatinga UBS 15 Planaltina Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Núcleo Rural Rio Preto UBS 16 Planaltina – Piripau Horário de vacinação: das 8h às 16h – às QUARTAS-FEIRAS (Dias úteis) Endereço: Núcleo Rural Pipiripau II, Área Administrativa UBS 17 Planaltina – Jardim Morumbi Horário de vacinação: das 8h às 11h e das 13h às 16h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: DF 128 Km 03 Quadra N Lote 15 Gleba F – Núcleo Rural Jardim Morumbi UBS 20 Planaltina Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h – De SEGUNDA a SEXTA-FEIRA (Dias úteis) Endereço: Área Especial 9 A, Setor Norte, Planaltina/DF

Como funciona a vacina bivalente?

A vacina bivalente promove a imunização para novas variantes do coronavírus, além da cepa original. Aplicada em dose única, essa nova vacinação é considerada mais eficaz. A vacina está disponível nos postos de saúde. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a produção de dois tipos desse imunizante, feitos a partir da subvariante ômicron.

A empresa responsável pela produção da vacina é a farmacêutica multinacional Pfizer. O imunizante bivalente é ofertado a todas as pessoas maiores de 18 anos que tenham recebido, pelo menos, duas doses monovalentes como esquema primário ou como dose de reforço, respeitando um intervalo de quatro meses da última dose, conforme o Ministério da Saúde,

Para saber se o estado já está vacinando maiores de 18 anos, é preciso buscar informação no posto de saúde local. O senador Marcelo Castro (MDB-PI) salienta que a vacinação é a diferença entre a vida e a morte, em termos coletivos, mas também individuais, já que os não vacinados podem desenvolver uma covid mais grave, que afeta os pulmões.

Quem pode tomar a vacina bivalente RJ?

Reforço com vacina bivalente – A vacinação acontece para grupos prioritários, conforme orientações do Programa Nacional de Imunizações, listados abaixo: • População geral com 12 anos ou mais • Idosos com 60 anos ou mais • Gestantes e puérperas • Trabalhadores da saúde • Pessoas a partir de 12 anos de idade com comorbidades • Pessoas que vivem ou trabalham em instituições de longa permanência, indígenas e quilombolas • Pessoas com deficiência permanente (a partir de 12 anos), adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (12 a 17 anos, 11 meses e 29 dias), população privada de liberdade (a partir de 18 anos) e funcionários do sistema prisional.

Para pessoas com 18 anos ou mais, o intervalo mínimo é 4 meses após a última dose da vacina contra a covid-19. É necessário ter tomado, pelo menos, duas doses de vacina contra a covid-19 antes de tomar a vacina bivalente. Já para pessoas de 12 anos a 17 anos, é necessário ter recebido pelo menos uma dose da vacina contra a doença há 10 meses ou mais,

Essa é uma vacina atualizada, com proteção maior contra as subvariantes da ômicron. A vacina é segura e já está sendo usada fora do país há bastante tempo! Efeitos colaterais não são frequentes. Em caso de algum sintoma, é só entrar em contato com a unidade de saúde onde se vacinou para orientações.

  1. Ao tomar a vacina bivalente, você protege a si mesmo e ajuda a proteger a população como um todo.
  2. Isso ocorre porque, aumentando a cobertura vacinal, reduzimos a circulação do vírus.
  3. Faça a sua parte e vacine-se! • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea; • Pessoas vivendo com HIV (PVHIV); • Pessoas com doenças inflamatórias imunomediadas em atividade e em uso de corticoides em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥ 14 dias; • Crianças: doses de prednisona, ou equivalente, ≥ 2 mg/Kg/dia por mais de 14 dias até 10 Kg; • Pessoas em uso de imunossupressores e/ou imunobiológicos que levam à imunossupressão; • Pessoas com erros inatos de imunidade (imunodeficiências primárias); • Pessoas com doença renal crônica em hemodiálise; • Pacientes oncológicos que realizam tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses; • Pessoas com neoplasias hematológicas.

Lista de condições consideradas como imunocomprometimentos graves para vacinação contra covid-19: • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea; • Pessoas vivendo com HIV (PVHIV); • Pessoas com doenças inflamatórias imunomediadas em atividade e em uso de corticoides em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥ 14 dias; • Crianças: doses de prednisona, ou equivalente, ≥ 2 mg/Kg/dia por mais de 14 dias até 10 Kg; • Pessoas em uso de imunossupressores e/ou imunobiológicos que levam à imunossupressão; • Pessoas com erros inatos de imunidade (imunodeficiências primárias); • Pessoas com doença renal crônica em hemodiálise; • Pacientes oncológicos que realizam tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses; • Pessoas com neoplasias hematológicas.

Gestantes e puérperas (até 45 dias pós-parto) devem apresentar cartão de pré-natal OU declaração do nascido vivo OU certidão de nascimento do recém-nascido para comprovação da condição. São considerados trabalhadores da saúde a serem vacinados os indivíduos que trabalham em estabelecimentos de assistência, vigilância à saúde, regulação e gestão de saúde, ou seja, que atuam em estabelecimentos de serviços de saúde, a exemplo de hospitais, clinicas, ambulatórios, unidades básicas de saúde, laboratórios, farmácias, drogarias e outros locais.

Entre eles, estão os profissionais de saúde, agentes comunitários de saúde, agentes de combate às endemias, profissionais da vigilância em saúde e os trabalhadores de apoio (exemplos: recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias, gestores e outros.

Estão incluídos, ainda, aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares (programas ou serviços de atendimento domiciliar, cuidadores de idosos, doulas/parteiras), estagiários ou residentes das profissões das áreas de saúde que estão atuando nos serviços de saúde, bem como familiares diretamente responsáveis pelo cuidado de indivíduos gravemente enfermos ou com deficiência permanente que impossibilite o autocuidado (não estão inclusos todos os contatos domiciliares desses indivíduos, apenas o familiar diretamente responsável pelo cuidado).

Também será ofertada aos estudantes da área da saúde que estiverem prestando atendimento na assistência dos serviços de saúde. Deverá ser apresentado documento que comprove a vinculação ativa do trabalhador com o serviço de saúde ou apresentação de declaração emitida pelo serviço de saúde de atuação do profissional.

  1. Deficiência física, auditiva, intelectual; psicossocial (mental), visual, múltipla (associação de duas ou mais deficiências), transtorno do espectro autista.
  2. CLIQUE AQUI E ENTENDA.
  3. Pessoas com deficiência psicossocial são aquelas que, apesar do tratamento e medicação otimizados, mantêm uma condição de sofrimento de longo prazo que as incapacita a terem uma participação plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas.

O conceito de deficiência psicossocial é definido pela Organização Mundial de Saúde e reconhecido na Lei Brasileira de Inclusão (LBI 13.146/15). As condições clínicas são variadas e o paciente, para ser vacinado, deve apresentar laudo médico que explicite a deficiência psicossocial.

See also:  Como Saber Qual Minha Paleta De Cores?

A comprovação poderá ser feita por meio de qualquer laudo da rede pública ou particular que indique a deficiência; cartões de gratuidade no transporte público; documentos comprobatórios de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas no atendimento de pessoas com deficiência; documento oficial de identidade com a indicação da deficiência; ou qualquer outro documento que indique se tratar de uma pessoa com deficiência.

A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência criou pranchas de Comunicação Alternativa que podem ser utilizadas para o apoio ao atendimento de pessoas que não se comunicam por meio da língua portuguesa e/ou sejam não-verbais. Caso haja a necessidade ou o desejo do paciente que usa Libras de se comunicar, será possível contar com o suporte da Central Carioca de Intérprete de Libras por meio de vídeo-chamada via WhatsApp e/ou Skype pelo número (21) 98909-1373.

Quem tomou HPV bivalente pode tomar quadrivalente?

Quem já teve HPV pode tomar a vacina? Sim, a vacina HPV é recomendada também para pessoas que já foram infectadas pelo HPV. Afinal, o imunizante confere proteção para os demais tipos de HPV, além do vírus com que o paciente foi infectado.

Quem pode se vacinar no momento?

Pessoas com idade a partir de 18 anos e que pertençam aos grupos prioritários para vacinação. Em caso de dúvida sobre qualquer vacina, é fundamental consultar os serviços de saúde. É preciso respeitar o cronograma de vacinação indicado pelas autoridades de saúde.

Porque tomar a bivalente?

Covid-19 A vacina bivalente promove a imunização para novas variantes do coronavírus, além da cepa original. Aplicada em dose única, essa nova vacinação é considerada mais eficaz. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a produção de dois tipos desse imunizante, feitos a partir da subvariante ômicron e a empresa responsável pela produção da vacina é a farmacêutica multinacional Pfizer. Quem Pode Tomar A Vacina Bivalente Foto: Itamar Aguiar/SES Transcrição A CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A COVID-19 DISTRIBUI ATUALMENTE A VACINA BIVALENTE. CONHEÇA DETALHES SOBRE ESTE IMUNIZANTE QUE PROTEGE CONTRA A PRIMEIRA CEPA DA COVID-19 E SUAS VARIANTES NA REPORTAGEM DE GABRIELA PEREIRA.

  1. A imunização com a vacina bivalente teve início em fevereiro deste ano, através do SUS, Sistema Único de Saúde.
  2. O novo imunizante, produzido pela farmacêutica Pfizer, garante proteção contra a cepa original que causou a primeira onda da pandemia de covid-19 e suas variantes, como é o caso da Ômicron, predominante atualmente no mundo.

A imunização é realizada em dose única e considerada mais eficaz que as vacinas monovalentes. A atual campanha de vacinação é uma iniciativa do Ministério da Saúde, e faz parte do Movimento Nacional pela Vacinação, que também inclui imunização contra sarampo e poliomielite.

A secretária de vigilância de saúde e ambiente do Ministério da Saúde, Ethel Maciel, afirmou que é preciso conter a desinformação para que as pessoas voltem a se vacinar. Muitas pessoas ficaram na dúvida se deveriam tomar a vacina ou não. Muita desinformação, né? Muita mentira circulou e as pessoas ficaram desconfiadas, né? Então nós precisamos agora restabelecer a confiança da população, não só na vacina contra a covid, mas em todas as vacinas, né? O senador e médico Marcelo Castro, do MDB do Piauí, ressaltou a importância da imunização.

O que salva hoje é a vacina. Se não tiver tomado a vacina, se não tiver sido vacinado, a pessoa pode ter acometimento dos pulmões e a doença cursar com gravidade. O presidente Lula recebeu o novo imunizante no primeiro dia da vacinação e incentivou a imunização.

Pelo amor de Deus, não sejam irresponsáveis. Se tiver vacina, vá lá tomar vacina, porque a vacina é a única garantia que você tem de não morrer por falta de responsabilidade. A vacina é uma garantia de vida. As vacinas bivalentes estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde. Podem se vacinar com o novo imunizante: Idosos, pessoas imunocomprometidas a partir dos 12 anos de idade, indígenas, ribeirinhos e quilombolas também a partir dos 12 anos de idade, gestantes, trabalhadores da área da saúde, População Privada de Liberdade e Adolescentes em Medidas Socioeducativas e funcionários do sistema carcerário.

Em alguns estados já é possível se vacinar caso você tenha mais de 18 anos, Em caso de dúvidas, procure a UBS mais próxima ou acesse o site: www.gov.br/saude. Sob a supervisão de Rodrigo Resende, da Rádio Senado, Gabriela Pereira.

Quem já tomou 4 doses pode tomar a bivalente?

Quais os requisitos e qual o intervalo para receber a vacina bivalente? – Para receber a bivalente, são necessárias ao menos duas doses das vacinas originais, as monovalentes, que são consideradas o esquema primário de vacinação para a Covid-19. O reforço com a bivalente pode ser aplicado a partir de quatro meses da última dose, seja ela a segunda aplicação ou algum outro reforço (terceira ou quarta dose) realizado até então. Quem Pode Tomar A Vacina Bivalente São necessárias ao menos duas doses das vacinas monovalentes para receber o novo reforço com a bivalente. — Foto: Informe técnico do Ministério da Saúde sobre a vacinação com as doses bivalentes da Covid-19 no Brasil.

Quanto tempo leva para se acostumar a ir à academia?

Quais os benefícios da vacina bivalente?

Cinco motivos para você receber a vacina bivalente contra Covid-19 | Portal Prefeitura de Dourados Quem Pode Tomar A Vacina Bivalente Vacina bivalente chega primeiro às pessoas com maior risco de desenvolver formas graves da doença (Foto: Agência Brasília) A vacina bivalente contra a Covid-19 está à disposição nas Unidades Básicas de Saúde de Dourados para, por enquanto, grupos prioritários determinados pelo Ministério da Saúde.

Neste primeiro momento, estão sendo vacinadas pessoas com maior risco de desenvolver formas graves da doença: idosos acima de 60 anos, pessoas imunocomprometidas, funcionários e pessoas que vivem em instituições permanentes, indígenas, ribeirinhos e quilombolas. Em seguida, conforme o avanço da campanha, outros grupos serão imunizados e devem ficar atentos às informações de seus municípios para saber o momento de procurar uma unidade de saúde.

Importância da Vacina Esse imunizante, assim como outros ao longo da história, é a principal arma na luta contra epidemias e pandemias, como é o caso do coronavírus. Foi o caso, por exemplo, da varíola, que matou milhares de pessoas. Essa doença foi erradicada depois da imunização em larga escala. Quem Pode Tomar A Vacina Bivalente Vacinas monovalentes também estão à disposição nas UBSs (Foto: Ministério da Saúde)

Confira abaixo cinco motivos pelos quais você deve se vacinar: 1 – Só assim a pandemia acaba

O vírus pode não desaparecer, então o grande desafio é controlar sua disseminação. Se cada vez mais pessoas se protegerem por meio da vacinação, o coronavírus perde a capacidade de infectar tantas pessoas ao mesmo tempo, o que pode tornar a doença cada vez menos frequente.

A Organização Mundial da Saúde considera que a pandemia da Covid-19 ainda é uma realidade e está em ponto de transição. A OMS só deve mudar o status da doença quando a maioria dos países avançarem na vacinação (incluindo as doses de reforço), quando melhorar a notificação de dados, e quando aumentar o uso e a disponibilidade a longo prazo dos imunizantes.2 – A proteção é coletiva A vacina protege a saúde de quem se imunizou e também das pessoas à sua volta, especialmente as mais vulneráveis ou que possuam alguma comorbidade, como diabetes e hipertensão.

«Vacinação é uma estratégia coletiva. Precisamos do maior número de vacinados em todos os lugares», frisa a secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente, Ethel Maciel.3 – A vacina é segura Todos os imunizantes ofertados à população são testados e aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) antes de serem disponibilizados.

  1. Na fabricação, depois de feitos todos os testes, a empresa precisa apresentar a documentação referente aos resultados das pesquisas.
  2. Assim, técnicos da Anvisa verificam os dados de segurança, eficácia e qualidade do imunizante para, então, liberar a comercialização.
  3. Os imunizantes disponíveis nos postos de saúde passaram por todo esse processo e tem segurança garantida.4 – O reforço protege mais ainda Mesmo que você já tenha tomado as duas doses do esquema primário, é necessário tomar a dose de reforço, conforme recomendação para sua faixa etária.

Com o tempo, o organismo pode perder a memória imunológica contra o vírus. Estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com mais de 1,5 mil pessoas revelou que seis meses depois da segunda dose, os anticorpos haviam caído entre os pesquisados.

  • Com o reforço na imunização, eles voltaram a subir consideravelmente.5 – Vacinas protegem contra variantes O Ministério da Saúde iniciou, recentemente, o Movimento Nacional pela Vacinação.
  • A série de ações visa o aumento das coberturas vacinais contra diversas doenças, entre elas, a Covid-19.
  • No caso da imunização contra o coronavírus, estão sendo utilizadas também as vacinas bivalentes, que protegem contra o vírus original, a variante Ômicron e suas subvariantes.

É importante lembrar que as vacinas bivalentes e monovalentes são igualmente eficazes e protegem contra a Covid-19. Com informações do Ministério da Saúde : Cinco motivos para você receber a vacina bivalente contra Covid-19 | Portal Prefeitura de Dourados

Quantos anos vale a vacina tetravalente?

É necessário doses de reforço da vacina a cada 10 anos. Em caso de ferimentos graves, antecipar a dose de reforço para 5 anos após a última dose.

Qual a idade para tomar a vacina tetravalente?

Última Atualização: 23/08/2023 O que previne: Sarampo, caxumba, rubéola e varicela, Do que é feita: Trata-se de vacina atenuada, contendo vírus vivos «enfraquecidos» do sarampo, da rubéola, da caxumba e da varicela (catapora), lactose anidra, sorbitol, manitol, aminoácidos, traços de neomicina e água para injeção.

Há duas vacinas disponíveis no Brasil:

A vacina SCR-V do laboratório MSD está licenciada para crianças e adolescentes até 12 anos. Recomenda-se em substituição às vacinas tríplice viral (SCR) e varicela, quando a aplicação das duas for coincidente; A vacina SCR-V do laboratório GSK está licenciada para pessoas a partir de 6 meses de idade. Recomenda-se em substituição às vacinas tríplice viral (SCR) e varicela, quando a aplicação das duas for coincidente;

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) adotou a vacina SCR-V aos 15 meses, como segunda dose do esquema da SCR e primeira dose do esquema da varicela.

Contraindicação:

Gestantes; pessoas com comprometimento da imunidade por doença ou medicação; história de anafilaxia após dose anterior da vacina ou a algum componente. A maioria das crianças com história de reação anafilática a ovo não tem reações adversas à vacina e, mesmo quando a reação é grave, não há contraindicação ao uso. Foi demonstrado, em muitos estudos, que pessoas com alergia ao ovo, mesmo aquelas com alergia grave, têm risco insignificante de reações anafiláticas. O teste cutâneo não é recomendado, pois não consegue prever se a reação acontecerá. No entanto, recomenda-se que estas crianças, por precaução, sejam vacinadas em ambiente hospitalar ou outro que ofereça condições de atendimento de anafilaxia.

Esquemas de doses:

A Sociedade Brasileira de Imunizações ( SBIm ) considera protegido contra as quatro doenças todo indivíduo que recebeu duas doses a partir dos 12 meses de idade. Como a vacina contém o componente varicela, os intervalos mínimos a serem respeitados entre as doses são de três meses, para crianças e adolescentes até 12 anos, e de um mês, a partir de 13 anos de idade; A SBIm e a Sociedade Brasileira de Pediatria ( SBP ) recomendam na rotina uma dose aos 12 meses e outra entre 15 e 24 meses de idade, podendo a vacina SCR-V ser substituída pelas vacinas tríplice viral (SCR) e varicela. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) disponibiliza na rotina uma dose da vacina SCR-V aos 15 meses. A segunda dose da varicela é aplicada aos 4 anos de idade, com a vacina varicela isolada Indivíduos com história pregressa de sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora) são considerados imunizados contra as doenças, mas é preciso certeza do diagnóstico. Na dúvida, recomenda-se a vacinação.

Efeitos e eventos adversos:

Após a primeira dose, 22% dos indivíduos vacinados com a SCR-V têm risco de apresentar febre. Esse percentual cai para 15% quando da aplicação das vacinas em separado. O risco de convulsão febril é discretamente mais alto após a primeira dose, quando é feita com a vacina SCR-V, em comparação com as vacinas separadas, o que equivale a um caso a mais para cada 2.500 crianças vacinadas. Na segunda dose de SCR-V, essas diferenças não acontecem e a quantidade de eventos adversos é a mesma após a vacinação com uma ou outra apresentação. Em 3% dos vacinados aparecem erupções na pele semelhantes às do sarampo. Esses sinais se instalam de cinco a 12 dias após a vacinação e desaparecem em poucos dias sem deixar sequelas. As reações locais acontecem menos de 0,1% dos vacinados e incluem: ardência, vermelhidão, dor e formação de nódulo. Febre alta (maior que 39,5?C), que surge de cinco a 12 dias após a vacinação, com um a cinco dias de duração, pode ocorrer em 5% a 15% dos vacinados. Nesse caso, crianças predispostas podem apresentar convulsão febril, sem consequências. Em 0,5% a 4% dos vacinados também ocorrem dor de cabeça, irritabilidade, febre baixa, lacrimejamento e vermelhidão dos olhos e coriza, de cinco a 12 dias após a vacinação. Manchas vermelhas no corpo, sete a 14 dias após a vacinação, durando em torno de dois dias, aparecem em 5% dos vacinados. Gânglios inchados aparecem em menos de 1% dos vacinados entre sete a 21 dias após a vacinação. Todos estes sintomas gerais ocorrem principalmente após a primeira dose da vacina. Inflamação das meninges (meningite), em geral benigna, pode ocorrer entre o 11º e o 32º dia após a vacinação. Inflamação do cérebro (encefalite) pode surgir entre 15 a 30 dias após vacinação em um a cada 1 milhão a 2,5 milhões de vacinados com a primeira dose. A associação da vacina SCR-V com autismo está descartada. Manifestações hemorrágicas (púrpura trombocitopênica) foram descritas na proporção de um caso para 30 mil a 40 mil vacinados, com evolução benigna entre 12 a 25 dias após a vacinação, mas sua ocorrência contraindica doses subsequentes. Inflamação das glândulas parótidas ocorre em 0,7% a 2% dos vacinados, de dez a 21 dias após a vacina. A anafilaxia é muito rara e ocorre com mais frequência nos primeiros 30 minutos, o que contraindica doses subsequentes.

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

Pessoas que usaram imunossupressores podem ser vacinadas após a suspenção do tratamento e a reconstituição do sistema imune, a critério médico. Os intervalos mínimos para a administração da vacina variam de acordo com o quadro e o medicamento utilizado. Saiba mais, Pessoas que receberam transplante de medula óssea só podem ser vacinadas de 12 a 24 meses após o procedimento. Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora. Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação. Sintomas de eventos adversos graves ou persistentes, que se prolongam por mais de 24 a 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser notificados ao serviço que realizou a vacinação e investigados para verificação de outras causas.

Onde pode ser encontrada:

Nas Unidades Básicas de Saúde, para crianças de 15 meses. Nos serviços privados de vacinação, para pessoas a partir de 12 meses.

Saiba mais Perguntas e respostas sobre a vacina contra o sarampo hoje no Brasil,

Qual é a diferença entre a vacina trivalente e a tetravalente?

Entenda as diferenças entre as vacinas tri e tetravalente Conhecida popularmente como «gripe», a influenza é a causa de surtos e pandemias desde os primórdios da humanidade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), todos os anos, são notificados cerca de 1 bilhão de casos da doença, dos quais de 3 a 5 milhões são graves e entre 290 e 650 mil evoluem para óbito.

  1. Para evitar que o vírus continue fazendo mais vítimas, anualmente, o Ministério da Saúde (MS) realiza campanhas de vacinação na rede pública e em parceria com a rede privada de saúde.
  2. Isso porque a gripe é causada por diferentes tipos de vírus influenza, sendo o A e o B os mais relevantes para humanos.

«A influenza A é classificada em diversos subtipos, com ênfase para os H1N1 e H3N2, responsáveis pela maioria dos casos. Já o influenza B tem duas linhagens: Victoria e Yamagata. Por isso, existem vacinas trivalentes e tetravalentes», explica a infectologis Juliana Oliveira da Silva.

As vacinas trivalentes protegem contra três cepas do vírus, sendo duas de influenza A e uma B. Já as tetravalentes fortalecem a imunização contra os quatro subtipos. No momento, a campanha do MS disponibiliza apenas a vacina trivalente e para grupos mais propensos a desenvolver formas graves da enfermidade, como adultos com mais de 60 anos, crianças com menos de cinco anos, gestantes e puérperas e doentes crônicos.

Já os centros de vacinação privados oferecem também a vacina tetravalente e podem imunizar a população geral. Contudo, a tendência é que, nos próximos anos, apenas vacinas tetravalentes sejam produzidas. «As vacinas tetravalentes são importantes porque, nos últimos anos, temos visto a cocirculação das duas linhagens de influenza B em uma mesma estação.

  1. Além disso, verificamos que a linhagem de Influenza B contida na vacina trivalente não foi a predominante em 50% das temporadas de gripe», esclarece Juliana Oliveira da Silva.
  2. Em 2023, uma nova opção de vacina tetravalente está disponível para a população acima de 60 anos na rede privada.
  3. Chamada de vacina tetravalente de alta concentração (high dose), ela tem maior concentração do antígeno, gerando maior proteção nessa faixa etária, que tem resposta mais reduzida devido à imunossenescência (envelhecimento imunológico) e à presença de doenças crônicas.

Vale ressaltar que a Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm) recomenda o uso preferencial da vacina tetravalente, pelo maior espectro de proteção. Quando isso não for possível, a vacina trivalente deve ser utilizada de maneira rotineira, especialmente nos grupos de maior risco para o desenvolvimento de formas graves da doença.

O período de circulação do vírus influenza ocorre, justamente, no outono e no inverno, por isso a vacinação é recomendada nessa época do ano; A proteção oferecida pela vacina, geralmente, é obtida em 2 a 3 semanas. A duração da proteção varia, sendo, usualmente, de 6 a 12 meses; A vacina tetravalente contra influenza pode ser administrada junto com outras, inclusive em conjunto com a vacina a contra a COVID-19.

,

Fonte: Imagem: Freepik

: Entenda as diferenças entre as vacinas tri e tetravalente

Quem tem que tomar a vacina da meningite?

Esse imunizante é indicado para outros públicos: adolescentes de 11 e 12 anos. E, até junho deste ano, também aqueles na faixa etária de 13 e 14 anos de idade.

Quem não pode tomar a bivalente?

Pessoas com 30 anos ou mais poderão receber a dose da vacina bivalente contra Covid-19 a partir desta quarta-feira, 3, em Porto Alegre. O grupo se soma às pessoas com comorbidades que têm 12 anos ou mais, com deficiência permanente de 12 anos ou mais, gestantes, puérperas, imunocomprometidos a partir dos 12 anos e profissionais de saúde, todos com esquema vacinal primário completo, ou seja, ter feito pelo menos duas doses anteriormente.

  1. São 33 locais aplicando o imunizante.
  2. Comorbidades – De acordo com definição do Ministério da Saúde expressa na Nota Técnica 17/2023 da Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente, as comorbidades e condições de saúde são: diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial estágio 1 e 2 com lesão em órgão-alvo, insuficiência cardíaca, cor-pulmonar e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias, doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas, cardiopatia congênita no adulto, próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doenças neurológicas crônicas e distrofias musculares, doença renal crônica, hemoglobinopatias e disfunções esplênicas graves, obesidade mórbida, síndrome de Down e outras síndromes genéticas e doença hepática crônica.
See also:  InfecO UrináRia Quando Internar?

Conforme a NT/MS, não há exigência quanto à comprovação da situação de comorbidade, sendo suficiente para a vacinação a comorbidade autodeclarada. Outros públicos – Bebês a partir de seis meses até a crianças até 3 anos também podem ser imunizados contra a doença, com vacina específica para a faixa etária.

  1. A aplicação ocorre na Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza.
  2. O esquema vacinal para este grupo é em três doses: a segunda 28 dias (quatro semanas) após a primeira e a terceira oito semanas após a segunda.

Para crianças e adultos, a vacinação será mantida em diferentes locais. A primeira dose para crianças de 3 e 4 anos será aplicada na Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza.

Nos mesmos locais, também será aplicada a segunda dose. Crianças entre 3 e 4 anos vacinadas com a Coronavac – que receberam a segunda dose há, pelo menos, quatro meses – podem ter acesso à terceira dose nos mesmos locais. No caso de crianças a partir de 5 anos, a vacinação poderá ser feita em seis unidades de saúde, com atendimento até as 21h: Álvaro Difini, IAPI, Primeiro de Maio, Santa Marta, São Carlos e Tristeza.

Haverá aplicação de primeira e segunda doses em todos os locais. A população deve ficar atenta para o fechamento do Shopping João Pessoa como ponto de vacinação. O atendimento é feito na Unidade de Saúde Modelo, das 8h às 21h. Adultos – A imunização para a população a partir de 12 anos ocorre em 33 unidades de saúde – 13 com atendimento até as 21h (Álvaro Difini, Belém Novo, Campo da Tuca, Chácara da Fumaça, IAPI, Clínica da Família Mauro Ceratti Lopes, Modelo, Morro Santana, Navegantes, Ramos, Santa Marta, São Carlos e Tristeza).

Haverá aplicação de primeira, segunda, terceira e quarta doses em todos os locais. Reforço – A quarta dose está disponível para pessoas com idades a partir de 18 anos vacinadas com a terceira dose há mais de quatro meses. Neste público, poderão ser utilizadas Pfizer, Janssen ou Astrazeneca, independente da fabricante aplicada anteriormente.

São imunocomprometidos ou em condição de imunossupressão: – Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea. – Pessoas vivendo com HIV (PVHIV). – Pessoas com doenças inflamatórias imunomediadas em atividade e em uso de corticoides em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente por ≥ 14 dias.

Crianças: doses de prednisona, ou equivalente, ≥ 2 mg/Kg/dia por mais de 14 dias até 10 Kg. – Pessoas em uso de imunossupressores e/ou imunobiológicos que levam à imunossupressão. – Pessoas com erros inatos da imunidade (imunodeficiências primárias). – Pessoas com doença renal crônica em hemodiálise. – Pacientes oncológicos que realizaram tratamentos quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses.

– Pessoas com neoplasias hematológicas. Bebês e crianças até 3 anos Onde: Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza. Endereços e horários: confira no link,

Documentação: documento de identidade do pai, mãe ou responsável legal e da criança. Os pais ou responsáveis legais devem estar presentes no momento da vacinação ou a pessoa que estiver acompanhando a criança deve apresentar autorização e carteira de vacinação. No caso de crianças imunocomprometidas, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação.

Crianças Primeira dose: crianças a partir de 3 anos. Segunda dose: crianças vacinadas com Coronavac/Butantan e Pfizer/BioNTech há pelo menos 28 dias e oito semanas, respectivamente. Terceira dose: pessoas a partir de 3 anos vacinadas há, pelo menos, quatro meses.

  • Onde: seis unidades para 5 anos ou mais e nove unidades de saúde para 3 e 4 anos.
  • Endereços e horários: confira no link,
  • Documentação: documento de identidade do pai, mãe ou responsável legal e da criança.
  • Os pais ou responsáveis legais devem estar presentes no momento da vacinação ou a pessoa que estiver acompanhando a criança deve apresentar autorização e carteira de vacinação.

No caso de crianças imunocomprometidas, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação. Adultos Primeira dose: pessoas com 12 anos ou mais. Segunda dose: pessoas vacinadas com Pfizer/BioNTech, Oxford/AstraZeneca e Janssen há pelo menos oito semanas e com Coronavac/Butantan há 28 dias.

Terceira dose: pessoas a partir de 12 anos vacinadas há, pelo menos, quatro meses. Quarta dose: pessoas a partir de 18 anos vacinados há, pelo menos, quatro meses. * Pacientes imunocomprometidos a partir de 12 anos devem receber uma dose adicional dois meses após o esquema primário. Onde: 33 unidades de saúde.

Endereços e horários: confira no link, Documentação: documento de identidade com CPF e carteira de vacinação. Profissionais de saúde devem apresentar comprovante de vínculo com o conselho de classe. Novos profissionais de apoio à saúde devem apresentar declaração impressa de vínculo com o serviço, carteira ou contrato de trabalho e ficha CNES do serviço de saúde.

  1. No caso de imunocomprometidos, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação.
  2. Bivalente Público: pessoas com 30 anos ou mais, pessoas com comorbidades a partir de 12 anos, imunocomprometidos com 12 anos ou mais, pessoas com deficiência permanente com 12 anos ou mais, gestantes e puérperas, profissionais de saúde, todos com esquema vacinal primário completo (pelo menos duas doses anteriores).

Onde: 33 unidades de saúde. São 13 locais das 8h às 21h: unidades de saúde Navegantes, Campo da Tuca, IAPI, Clínica da Família Álvaro Difini, Clínica da Família José Mauro Ceratti Lopes, Belém Novo, Tristeza, São Carlos, Santa Marta, Modelo, Ramos, Morro Santana e Chácara da Fumaça.

Outros 20 postos atendem das 8h às 17h: Glória, Nossa Senhora de Belém, Nova Brasília, Sarandi, Jardim Itu, Rubem Berta, Costa e Silva, Vila Ipiranga, Vila Jardim, Campo Novo, Camaquã, Panorama, Parque dos Maias, Ipanema, Restinga, Lomba do Pinheiro, Ilha dos Marinheiros, Assis Brasil e Mato Sampaio, além da Moab Caldas (até 19h).

Endereços e horários: confira no link, Documentação: documento de identidade com CPF e carteira de vacinação. No caso de imunocomprometidos, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação.

Para profissionais de saúde é necessário apresentar comprovante do vínculo empregatício (crachá, carteira ou contrato de trabalho vigente). No caso de trabalhadores autônomos, entregar cópia da ficha CNES ou alvará do serviço de saúde ou autodeclaração (veja aqui ). Já trabalhadores de apoio devem levar declaração de vínculo do trabalhador (veja aqui ).

Pessoas com deficiência permanente deverão apresentar documento que comprove sua condição, como laudo médico, cartões de gratuidade no transporte público, entre outros, válidos independente da data. Profissionais de saúde: que trabalham em estabelecimentos de assistência, vigilância à saúde, regulação e gestão, além dos profissionais de saúde liberais ou de estabelecimentos de saúde, com atividade assistencial direta e presencial voltada à saúde humana: médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares que atuam em serviços voltados ao atendimento da saúde humana, como em hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios, farmácias, consultórios para atendimento à saúde de seres humanos.

Inclui-se ainda aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares (exemplos: programas ou serviços de atendimento domiciliar, cuidadores de idosos, doulas/parteiras), funcionários do sistema funerário, Instituto Médico Legal e Serviço de Verificação de Óbito, acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios.

Pessoa com deficiência permanente: aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

Este grupo inclui pessoas com: limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas; indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de ouvir, mesmo com uso de aparelho auditivo; indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de enxergar, mesmo com uso de óculos; indivíduos com alguma deficiência intelectual permanente que limite as atividades habituais, como trabalhar, ir à escola ou brincar.

Vacinação contra gripe (Influenza) Em Porto Alegre, poderão ser vacinados contra a gripe, neste momento da campanha, os idosos com 60 anos ou mais, profissionais de saúde, indígenas, quilombolas, gestantes, puérperas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), professores do ensino básico e superior, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, com deficiência permanente a partir de seis meses de idade e trabalhadores de transporte coletivo.

Quantas doses tem no frasco da bivalente?

Suspensão injetável diluída ( 6 doses/frasco ) em embalagens com 10 frascos com tampa cinza.

Quantos anos para tomar a bivalente?

Pessoas com 30 anos ou mais poderão receber a dose da vacina bivalente contra Covid-19 a partir desta quarta-feira, 3, em Porto Alegre. O grupo se soma às pessoas com comorbidades que têm 12 anos ou mais, com deficiência permanente de 12 anos ou mais, gestantes, puérperas, imunocomprometidos a partir dos 12 anos e profissionais de saúde, todos com esquema vacinal primário completo, ou seja, ter feito pelo menos duas doses anteriormente.

  • São 33 locais aplicando o imunizante.
  • Comorbidades – De acordo com definição do Ministério da Saúde expressa na Nota Técnica 17/2023 da Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente, as comorbidades e condições de saúde são: diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial estágio 1 e 2 com lesão em órgão-alvo, insuficiência cardíaca, cor-pulmonar e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias, doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas, cardiopatia congênita no adulto, próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doenças neurológicas crônicas e distrofias musculares, doença renal crônica, hemoglobinopatias e disfunções esplênicas graves, obesidade mórbida, síndrome de Down e outras síndromes genéticas e doença hepática crônica.

Conforme a NT/MS, não há exigência quanto à comprovação da situação de comorbidade, sendo suficiente para a vacinação a comorbidade autodeclarada. Outros públicos – Bebês a partir de seis meses até a crianças até 3 anos também podem ser imunizados contra a doença, com vacina específica para a faixa etária.

A aplicação ocorre na Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza. O esquema vacinal para este grupo é em três doses: a segunda 28 dias (quatro semanas) após a primeira e a terceira oito semanas após a segunda.

Para crianças e adultos, a vacinação será mantida em diferentes locais. A primeira dose para crianças de 3 e 4 anos será aplicada na Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza.

  • Nos mesmos locais, também será aplicada a segunda dose.
  • Crianças entre 3 e 4 anos vacinadas com a Coronavac – que receberam a segunda dose há, pelo menos, quatro meses – podem ter acesso à terceira dose nos mesmos locais.
  • No caso de crianças a partir de 5 anos, a vacinação poderá ser feita em seis unidades de saúde, com atendimento até as 21h: Álvaro Difini, IAPI, Primeiro de Maio, Santa Marta, São Carlos e Tristeza.

Haverá aplicação de primeira e segunda doses em todos os locais. A população deve ficar atenta para o fechamento do Shopping João Pessoa como ponto de vacinação. O atendimento é feito na Unidade de Saúde Modelo, das 8h às 21h. Adultos – A imunização para a população a partir de 12 anos ocorre em 33 unidades de saúde – 13 com atendimento até as 21h (Álvaro Difini, Belém Novo, Campo da Tuca, Chácara da Fumaça, IAPI, Clínica da Família Mauro Ceratti Lopes, Modelo, Morro Santana, Navegantes, Ramos, Santa Marta, São Carlos e Tristeza).

  1. Haverá aplicação de primeira, segunda, terceira e quarta doses em todos os locais.
  2. Reforço – A quarta dose está disponível para pessoas com idades a partir de 18 anos vacinadas com a terceira dose há mais de quatro meses.
  3. Neste público, poderão ser utilizadas Pfizer, Janssen ou Astrazeneca, independente da fabricante aplicada anteriormente.

São imunocomprometidos ou em condição de imunossupressão: – Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea. – Pessoas vivendo com HIV (PVHIV). – Pessoas com doenças inflamatórias imunomediadas em atividade e em uso de corticoides em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente por ≥ 14 dias.

  • Crianças: doses de prednisona, ou equivalente, ≥ 2 mg/Kg/dia por mais de 14 dias até 10 Kg.
  • Pessoas em uso de imunossupressores e/ou imunobiológicos que levam à imunossupressão.
  • Pessoas com erros inatos da imunidade (imunodeficiências primárias).
  • Pessoas com doença renal crônica em hemodiálise.
  • Pacientes oncológicos que realizaram tratamentos quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses.

– Pessoas com neoplasias hematológicas. Bebês e crianças até 3 anos Onde: Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza. Endereços e horários: confira no link,

  1. Documentação: documento de identidade do pai, mãe ou responsável legal e da criança.
  2. Os pais ou responsáveis legais devem estar presentes no momento da vacinação ou a pessoa que estiver acompanhando a criança deve apresentar autorização e carteira de vacinação.
  3. No caso de crianças imunocomprometidas, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação.

Crianças Primeira dose: crianças a partir de 3 anos. Segunda dose: crianças vacinadas com Coronavac/Butantan e Pfizer/BioNTech há pelo menos 28 dias e oito semanas, respectivamente. Terceira dose: pessoas a partir de 3 anos vacinadas há, pelo menos, quatro meses.

  • Onde: seis unidades para 5 anos ou mais e nove unidades de saúde para 3 e 4 anos.
  • Endereços e horários: confira no link,
  • Documentação: documento de identidade do pai, mãe ou responsável legal e da criança.
  • Os pais ou responsáveis legais devem estar presentes no momento da vacinação ou a pessoa que estiver acompanhando a criança deve apresentar autorização e carteira de vacinação.

No caso de crianças imunocomprometidas, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação. Adultos Primeira dose: pessoas com 12 anos ou mais. Segunda dose: pessoas vacinadas com Pfizer/BioNTech, Oxford/AstraZeneca e Janssen há pelo menos oito semanas e com Coronavac/Butantan há 28 dias.

  • Terceira dose: pessoas a partir de 12 anos vacinadas há, pelo menos, quatro meses.
  • Quarta dose: pessoas a partir de 18 anos vacinados há, pelo menos, quatro meses.
  • Pacientes imunocomprometidos a partir de 12 anos devem receber uma dose adicional dois meses após o esquema primário.
  • Onde: 33 unidades de saúde.

Endereços e horários: confira no link, Documentação: documento de identidade com CPF e carteira de vacinação. Profissionais de saúde devem apresentar comprovante de vínculo com o conselho de classe. Novos profissionais de apoio à saúde devem apresentar declaração impressa de vínculo com o serviço, carteira ou contrato de trabalho e ficha CNES do serviço de saúde.

No caso de imunocomprometidos, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação. Bivalente Público: pessoas com 30 anos ou mais, pessoas com comorbidades a partir de 12 anos, imunocomprometidos com 12 anos ou mais, pessoas com deficiência permanente com 12 anos ou mais, gestantes e puérperas, profissionais de saúde, todos com esquema vacinal primário completo (pelo menos duas doses anteriores).

Onde: 33 unidades de saúde. São 13 locais das 8h às 21h: unidades de saúde Navegantes, Campo da Tuca, IAPI, Clínica da Família Álvaro Difini, Clínica da Família José Mauro Ceratti Lopes, Belém Novo, Tristeza, São Carlos, Santa Marta, Modelo, Ramos, Morro Santana e Chácara da Fumaça.

Outros 20 postos atendem das 8h às 17h: Glória, Nossa Senhora de Belém, Nova Brasília, Sarandi, Jardim Itu, Rubem Berta, Costa e Silva, Vila Ipiranga, Vila Jardim, Campo Novo, Camaquã, Panorama, Parque dos Maias, Ipanema, Restinga, Lomba do Pinheiro, Ilha dos Marinheiros, Assis Brasil e Mato Sampaio, além da Moab Caldas (até 19h).

Endereços e horários: confira no link, Documentação: documento de identidade com CPF e carteira de vacinação. No caso de imunocomprometidos, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação.

  • Para profissionais de saúde é necessário apresentar comprovante do vínculo empregatício (crachá, carteira ou contrato de trabalho vigente).
  • No caso de trabalhadores autônomos, entregar cópia da ficha CNES ou alvará do serviço de saúde ou autodeclaração (veja aqui ).
  • Já trabalhadores de apoio devem levar declaração de vínculo do trabalhador (veja aqui ).

Pessoas com deficiência permanente deverão apresentar documento que comprove sua condição, como laudo médico, cartões de gratuidade no transporte público, entre outros, válidos independente da data. Profissionais de saúde: que trabalham em estabelecimentos de assistência, vigilância à saúde, regulação e gestão, além dos profissionais de saúde liberais ou de estabelecimentos de saúde, com atividade assistencial direta e presencial voltada à saúde humana: médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares que atuam em serviços voltados ao atendimento da saúde humana, como em hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios, farmácias, consultórios para atendimento à saúde de seres humanos.

Inclui-se ainda aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares (exemplos: programas ou serviços de atendimento domiciliar, cuidadores de idosos, doulas/parteiras), funcionários do sistema funerário, Instituto Médico Legal e Serviço de Verificação de Óbito, acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios.

Pessoa com deficiência permanente: aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

See also:  Como Que Faz Para Tirar?

Este grupo inclui pessoas com: limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas; indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de ouvir, mesmo com uso de aparelho auditivo; indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de enxergar, mesmo com uso de óculos; indivíduos com alguma deficiência intelectual permanente que limite as atividades habituais, como trabalhar, ir à escola ou brincar.

Vacinação contra gripe (Influenza) Em Porto Alegre, poderão ser vacinados contra a gripe, neste momento da campanha, os idosos com 60 anos ou mais, profissionais de saúde, indígenas, quilombolas, gestantes, puérperas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), professores do ensino básico e superior, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, com deficiência permanente a partir de seis meses de idade e trabalhadores de transporte coletivo.

Qual a idade para tomar a vacina bivalente?

Pessoas com 30 anos ou mais poderão receber a dose da vacina bivalente contra Covid-19 a partir desta quarta-feira, 3, em Porto Alegre. O grupo se soma às pessoas com comorbidades que têm 12 anos ou mais, com deficiência permanente de 12 anos ou mais, gestantes, puérperas, imunocomprometidos a partir dos 12 anos e profissionais de saúde, todos com esquema vacinal primário completo, ou seja, ter feito pelo menos duas doses anteriormente.

São 33 locais aplicando o imunizante. Comorbidades – De acordo com definição do Ministério da Saúde expressa na Nota Técnica 17/2023 da Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente, as comorbidades e condições de saúde são: diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial estágio 1 e 2 com lesão em órgão-alvo, insuficiência cardíaca, cor-pulmonar e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias, doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas, cardiopatia congênita no adulto, próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doenças neurológicas crônicas e distrofias musculares, doença renal crônica, hemoglobinopatias e disfunções esplênicas graves, obesidade mórbida, síndrome de Down e outras síndromes genéticas e doença hepática crônica.

Conforme a NT/MS, não há exigência quanto à comprovação da situação de comorbidade, sendo suficiente para a vacinação a comorbidade autodeclarada. Outros públicos – Bebês a partir de seis meses até a crianças até 3 anos também podem ser imunizados contra a doença, com vacina específica para a faixa etária.

A aplicação ocorre na Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza. O esquema vacinal para este grupo é em três doses: a segunda 28 dias (quatro semanas) após a primeira e a terceira oito semanas após a segunda.

Para crianças e adultos, a vacinação será mantida em diferentes locais. A primeira dose para crianças de 3 e 4 anos será aplicada na Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza.

Nos mesmos locais, também será aplicada a segunda dose. Crianças entre 3 e 4 anos vacinadas com a Coronavac – que receberam a segunda dose há, pelo menos, quatro meses – podem ter acesso à terceira dose nos mesmos locais. No caso de crianças a partir de 5 anos, a vacinação poderá ser feita em seis unidades de saúde, com atendimento até as 21h: Álvaro Difini, IAPI, Primeiro de Maio, Santa Marta, São Carlos e Tristeza.

Haverá aplicação de primeira e segunda doses em todos os locais. A população deve ficar atenta para o fechamento do Shopping João Pessoa como ponto de vacinação. O atendimento é feito na Unidade de Saúde Modelo, das 8h às 21h. Adultos – A imunização para a população a partir de 12 anos ocorre em 33 unidades de saúde – 13 com atendimento até as 21h (Álvaro Difini, Belém Novo, Campo da Tuca, Chácara da Fumaça, IAPI, Clínica da Família Mauro Ceratti Lopes, Modelo, Morro Santana, Navegantes, Ramos, Santa Marta, São Carlos e Tristeza).

Haverá aplicação de primeira, segunda, terceira e quarta doses em todos os locais. Reforço – A quarta dose está disponível para pessoas com idades a partir de 18 anos vacinadas com a terceira dose há mais de quatro meses. Neste público, poderão ser utilizadas Pfizer, Janssen ou Astrazeneca, independente da fabricante aplicada anteriormente.

São imunocomprometidos ou em condição de imunossupressão: – Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea. – Pessoas vivendo com HIV (PVHIV). – Pessoas com doenças inflamatórias imunomediadas em atividade e em uso de corticoides em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente por ≥ 14 dias.

Crianças: doses de prednisona, ou equivalente, ≥ 2 mg/Kg/dia por mais de 14 dias até 10 Kg. – Pessoas em uso de imunossupressores e/ou imunobiológicos que levam à imunossupressão. – Pessoas com erros inatos da imunidade (imunodeficiências primárias). – Pessoas com doença renal crônica em hemodiálise. – Pacientes oncológicos que realizaram tratamentos quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses.

– Pessoas com neoplasias hematológicas. Bebês e crianças até 3 anos Onde: Clínica da Família Álvaro Difini e unidades de saúde IAPI, Morro Santana, Navegantes, Primeiro de Maio, Ramos, São Carlos, Santa Marta e Tristeza. Endereços e horários: confira no link,

Documentação: documento de identidade do pai, mãe ou responsável legal e da criança. Os pais ou responsáveis legais devem estar presentes no momento da vacinação ou a pessoa que estiver acompanhando a criança deve apresentar autorização e carteira de vacinação. No caso de crianças imunocomprometidas, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação.

Crianças Primeira dose: crianças a partir de 3 anos. Segunda dose: crianças vacinadas com Coronavac/Butantan e Pfizer/BioNTech há pelo menos 28 dias e oito semanas, respectivamente. Terceira dose: pessoas a partir de 3 anos vacinadas há, pelo menos, quatro meses.

  1. Onde: seis unidades para 5 anos ou mais e nove unidades de saúde para 3 e 4 anos.
  2. Endereços e horários: confira no link,
  3. Documentação: documento de identidade do pai, mãe ou responsável legal e da criança.
  4. Os pais ou responsáveis legais devem estar presentes no momento da vacinação ou a pessoa que estiver acompanhando a criança deve apresentar autorização e carteira de vacinação.

No caso de crianças imunocomprometidas, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação. Adultos Primeira dose: pessoas com 12 anos ou mais. Segunda dose: pessoas vacinadas com Pfizer/BioNTech, Oxford/AstraZeneca e Janssen há pelo menos oito semanas e com Coronavac/Butantan há 28 dias.

Terceira dose: pessoas a partir de 12 anos vacinadas há, pelo menos, quatro meses. Quarta dose: pessoas a partir de 18 anos vacinados há, pelo menos, quatro meses. * Pacientes imunocomprometidos a partir de 12 anos devem receber uma dose adicional dois meses após o esquema primário. Onde: 33 unidades de saúde.

Endereços e horários: confira no link, Documentação: documento de identidade com CPF e carteira de vacinação. Profissionais de saúde devem apresentar comprovante de vínculo com o conselho de classe. Novos profissionais de apoio à saúde devem apresentar declaração impressa de vínculo com o serviço, carteira ou contrato de trabalho e ficha CNES do serviço de saúde.

  1. No caso de imunocomprometidos, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação.
  2. Bivalente Público: pessoas com 30 anos ou mais, pessoas com comorbidades a partir de 12 anos, imunocomprometidos com 12 anos ou mais, pessoas com deficiência permanente com 12 anos ou mais, gestantes e puérperas, profissionais de saúde, todos com esquema vacinal primário completo (pelo menos duas doses anteriores).

Onde: 33 unidades de saúde. São 13 locais das 8h às 21h: unidades de saúde Navegantes, Campo da Tuca, IAPI, Clínica da Família Álvaro Difini, Clínica da Família José Mauro Ceratti Lopes, Belém Novo, Tristeza, São Carlos, Santa Marta, Modelo, Ramos, Morro Santana e Chácara da Fumaça.

Outros 20 postos atendem das 8h às 17h: Glória, Nossa Senhora de Belém, Nova Brasília, Sarandi, Jardim Itu, Rubem Berta, Costa e Silva, Vila Ipiranga, Vila Jardim, Campo Novo, Camaquã, Panorama, Parque dos Maias, Ipanema, Restinga, Lomba do Pinheiro, Ilha dos Marinheiros, Assis Brasil e Mato Sampaio, além da Moab Caldas (até 19h).

Endereços e horários: confira no link, Documentação: documento de identidade com CPF e carteira de vacinação. No caso de imunocomprometidos, é preciso apresentar comprovante da condição de saúde por meio de atestado médico, nota de alta hospitalar ou receita de medicação.

  • Para profissionais de saúde é necessário apresentar comprovante do vínculo empregatício (crachá, carteira ou contrato de trabalho vigente).
  • No caso de trabalhadores autônomos, entregar cópia da ficha CNES ou alvará do serviço de saúde ou autodeclaração (veja aqui ).
  • Já trabalhadores de apoio devem levar declaração de vínculo do trabalhador (veja aqui ).

Pessoas com deficiência permanente deverão apresentar documento que comprove sua condição, como laudo médico, cartões de gratuidade no transporte público, entre outros, válidos independente da data. Profissionais de saúde: que trabalham em estabelecimentos de assistência, vigilância à saúde, regulação e gestão, além dos profissionais de saúde liberais ou de estabelecimentos de saúde, com atividade assistencial direta e presencial voltada à saúde humana: médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares que atuam em serviços voltados ao atendimento da saúde humana, como em hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios, farmácias, consultórios para atendimento à saúde de seres humanos.

Inclui-se ainda aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares (exemplos: programas ou serviços de atendimento domiciliar, cuidadores de idosos, doulas/parteiras), funcionários do sistema funerário, Instituto Médico Legal e Serviço de Verificação de Óbito, acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios.

Pessoa com deficiência permanente: aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

Este grupo inclui pessoas com: limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas; indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de ouvir, mesmo com uso de aparelho auditivo; indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de enxergar, mesmo com uso de óculos; indivíduos com alguma deficiência intelectual permanente que limite as atividades habituais, como trabalhar, ir à escola ou brincar.

Vacinação contra gripe (Influenza) Em Porto Alegre, poderão ser vacinados contra a gripe, neste momento da campanha, os idosos com 60 anos ou mais, profissionais de saúde, indígenas, quilombolas, gestantes, puérperas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), professores do ensino básico e superior, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, com deficiência permanente a partir de seis meses de idade e trabalhadores de transporte coletivo.

Quem tomou 3 doses pode tomar a bivalente?

A partir de quanto tempo desde a última dose posso tomar a nova aplicação? – É preciso esperar no mínimo quatro meses para que alguém possa tomar o reforço com a vacina bivalente. A regra é a mesma para outras aplicações de reforço, mesmo quando é feita com o modelo monovalente.

Quem pode tomar a vacina influenza 2023?

Como será o esquema de doses para crianças? – Todas as crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias) que receberam pelo menos uma dose da vacina influenza sazonal em anos anteriores, devem receber apenas uma dose em 2023. Para a população indígena, a vacina está indicada para as crianças de 6 meses a menores de nove anos de idade.

Quem pode tomar a vacina bivalente em Salvador?

A vacinação bivalente acontece também para os idosos a partir de 60 anos, imunocomprometidos, quilombolas, pessoas assistidas em instituições de longa permanência com 12 anos ou mais e os respectivos trabalhadores destes Centros de Acolhimento, trabalhadores da saúde, gestantes e puérperas, além de pessoas com

Quem pode tomar a vacina bivalente RJ?

Reforço com vacina bivalente – A vacinação acontece para grupos prioritários, conforme orientações do Programa Nacional de Imunizações, listados abaixo: • População geral com 12 anos ou mais • Idosos com 60 anos ou mais • Gestantes e puérperas • Trabalhadores da saúde • Pessoas a partir de 12 anos de idade com comorbidades • Pessoas que vivem ou trabalham em instituições de longa permanência, indígenas e quilombolas • Pessoas com deficiência permanente (a partir de 12 anos), adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (12 a 17 anos, 11 meses e 29 dias), população privada de liberdade (a partir de 18 anos) e funcionários do sistema prisional.

Para pessoas com 18 anos ou mais, o intervalo mínimo é 4 meses após a última dose da vacina contra a covid-19. É necessário ter tomado, pelo menos, duas doses de vacina contra a covid-19 antes de tomar a vacina bivalente. Já para pessoas de 12 anos a 17 anos, é necessário ter recebido pelo menos uma dose da vacina contra a doença há 10 meses ou mais,

Essa é uma vacina atualizada, com proteção maior contra as subvariantes da ômicron. A vacina é segura e já está sendo usada fora do país há bastante tempo! Efeitos colaterais não são frequentes. Em caso de algum sintoma, é só entrar em contato com a unidade de saúde onde se vacinou para orientações.

  • Ao tomar a vacina bivalente, você protege a si mesmo e ajuda a proteger a população como um todo.
  • Isso ocorre porque, aumentando a cobertura vacinal, reduzimos a circulação do vírus.
  • Faça a sua parte e vacine-se! • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea; • Pessoas vivendo com HIV (PVHIV); • Pessoas com doenças inflamatórias imunomediadas em atividade e em uso de corticoides em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥ 14 dias; • Crianças: doses de prednisona, ou equivalente, ≥ 2 mg/Kg/dia por mais de 14 dias até 10 Kg; • Pessoas em uso de imunossupressores e/ou imunobiológicos que levam à imunossupressão; • Pessoas com erros inatos de imunidade (imunodeficiências primárias); • Pessoas com doença renal crônica em hemodiálise; • Pacientes oncológicos que realizam tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses; • Pessoas com neoplasias hematológicas.

Lista de condições consideradas como imunocomprometimentos graves para vacinação contra covid-19: • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea; • Pessoas vivendo com HIV (PVHIV); • Pessoas com doenças inflamatórias imunomediadas em atividade e em uso de corticoides em doses ≥ 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥ 14 dias; • Crianças: doses de prednisona, ou equivalente, ≥ 2 mg/Kg/dia por mais de 14 dias até 10 Kg; • Pessoas em uso de imunossupressores e/ou imunobiológicos que levam à imunossupressão; • Pessoas com erros inatos de imunidade (imunodeficiências primárias); • Pessoas com doença renal crônica em hemodiálise; • Pacientes oncológicos que realizam tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses; • Pessoas com neoplasias hematológicas.

Gestantes e puérperas (até 45 dias pós-parto) devem apresentar cartão de pré-natal OU declaração do nascido vivo OU certidão de nascimento do recém-nascido para comprovação da condição. São considerados trabalhadores da saúde a serem vacinados os indivíduos que trabalham em estabelecimentos de assistência, vigilância à saúde, regulação e gestão de saúde, ou seja, que atuam em estabelecimentos de serviços de saúde, a exemplo de hospitais, clinicas, ambulatórios, unidades básicas de saúde, laboratórios, farmácias, drogarias e outros locais.

Entre eles, estão os profissionais de saúde, agentes comunitários de saúde, agentes de combate às endemias, profissionais da vigilância em saúde e os trabalhadores de apoio (exemplos: recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias, gestores e outros.

Estão incluídos, ainda, aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares (programas ou serviços de atendimento domiciliar, cuidadores de idosos, doulas/parteiras), estagiários ou residentes das profissões das áreas de saúde que estão atuando nos serviços de saúde, bem como familiares diretamente responsáveis pelo cuidado de indivíduos gravemente enfermos ou com deficiência permanente que impossibilite o autocuidado (não estão inclusos todos os contatos domiciliares desses indivíduos, apenas o familiar diretamente responsável pelo cuidado).

Também será ofertada aos estudantes da área da saúde que estiverem prestando atendimento na assistência dos serviços de saúde. Deverá ser apresentado documento que comprove a vinculação ativa do trabalhador com o serviço de saúde ou apresentação de declaração emitida pelo serviço de saúde de atuação do profissional.

Deficiência física, auditiva, intelectual; psicossocial (mental), visual, múltipla (associação de duas ou mais deficiências), transtorno do espectro autista. CLIQUE AQUI E ENTENDA. Pessoas com deficiência psicossocial são aquelas que, apesar do tratamento e medicação otimizados, mantêm uma condição de sofrimento de longo prazo que as incapacita a terem uma participação plena e efetiva na sociedade, em igualdade de condições com as demais pessoas.

O conceito de deficiência psicossocial é definido pela Organização Mundial de Saúde e reconhecido na Lei Brasileira de Inclusão (LBI 13.146/15). As condições clínicas são variadas e o paciente, para ser vacinado, deve apresentar laudo médico que explicite a deficiência psicossocial.

A comprovação poderá ser feita por meio de qualquer laudo da rede pública ou particular que indique a deficiência; cartões de gratuidade no transporte público; documentos comprobatórios de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas no atendimento de pessoas com deficiência; documento oficial de identidade com a indicação da deficiência; ou qualquer outro documento que indique se tratar de uma pessoa com deficiência.

A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência criou pranchas de Comunicação Alternativa que podem ser utilizadas para o apoio ao atendimento de pessoas que não se comunicam por meio da língua portuguesa e/ou sejam não-verbais. Caso haja a necessidade ou o desejo do paciente que usa Libras de se comunicar, será possível contar com o suporte da Central Carioca de Intérprete de Libras por meio de vídeo-chamada via WhatsApp e/ou Skype pelo número (21) 98909-1373.

Quem pode se vacinar no momento?

Pessoas com idade a partir de 18 anos e que pertençam aos grupos prioritários para vacinação. Em caso de dúvida sobre qualquer vacina, é fundamental consultar os serviços de saúde. É preciso respeitar o cronograma de vacinação indicado pelas autoridades de saúde.